Honda CBX 250 Twister

Honda Twister

Participe: envie opinião sobre sua moto

[Nome] Paulo Serpa
[Cidade] Rio De Janeiro
[Estado] RJ

[Modelo] Honda CBX 250 Twister
[Motor] 250
[Ano-modelo] 2005
[Quilometragem atual] 20.000 km
[Combustível] Gasolina
[Tempo há que possui] Mais de 5 anos

[Grau de satisfação com a moto] Muito satisfeito(a)
[Grau de satisfação com a rede de concessionárias] Parcialmente satisfeito(a)

[Estilo] 5
[Acabamento] 4
[Posição de pilotar] 5
[Instrumentos] 3
[Conforto] 5
[Motor] 5
[Desempenho] 5
[Consumo] 4
[Câmbio] 5
[Freios] 3
[Suspensão] 5
[Estabilidade] 5
[Custo-benefício] 5

[Principais aspectos positivos] Confiabilidade, elasticidade, e baixo índice de furto/roubo

[Principais aspectos negativos] O painel de instrumentos parece de brinquedo. Parece que foi tirado de uma moto chinesa da década de 70.

[Defeitos apresentados] Nenhum defeito, nem o pneu furou ainda.

[Concessionárias] A rede de concessionárias é algo simplesmente ridículo. O atendimento vai de caótico a péssimo. Eles quase nunca tem a peça que se precisa, e quando tem, o preço é mais que um absurdo. A Twister virou moto de rico – o preço das peças não é pra pobre não.

[Best Cars] É uma fonte interessante de informação.

[Data de publicação] 6/10/20

[Nome] Gustavo
[Cidade] Niterói
[Estado] RJ

[Modelo] Honda CBX 250 Twister
[Motor] 250
[Ano-modelo] 2008
[Quilometragem atual] 90.000 km
[Combustível] Gasolina
[Tempo há que possui] De 3 a 5 anos

[Grau de satisfação com a moto] Muito satisfeito(a)
[Grau de satisfação com a rede de concessionárias] Insatisfeito(a)

[Estilo] 4
[Acabamento] 4
[Posição de pilotar] 4
[Instrumentos] 4
[Conforto] 4
[Motor] 5
[Desempenho] 5
[Consumo] 4
[Câmbio] 5
[Freios] 3
[Suspensão] 4
[Estabilidade] 4
[Custo-benefício] 4

[Principais aspectos positivos] O câmbio com 6 marchas

[Principais aspectos negativos] O barulho na relação

[Defeitos apresentados] O retentor de canela não resiste ao peso da moto e sempre vaza

[Concessionárias] As peças são muito caras mesmo pra uma moto antiga

[Comentários adicionais] É uma boa moto

[Data de publicação] 8/9/20

_

[Nome] Andre Claudio
[Cidade] Sao Paulo
[Estado] SP

[Modelo] Honda CBX 250 Twister
[Motor] 250
[Ano-modelo] 2008
[Quilometragem atual] 60.000 km
[Combustível] Gasolina
[Tempo há que possui] De 1 a 3 anos

[Grau de satisfação com a moto] Muito satisfeito(a)
[Grau de satisfação com a rede de concessionárias] Muito satisfeito(a)

[Estilo] 5
[Acabamento] 5
[Posição de pilotar] 4
[Instrumentos] 5
[Conforto] 4
[Motor] 5
[Desempenho] 5
[Consumo] 5
[Câmbio] 5
[Freios] 4
[Suspensão]
[Estabilidade] 5
[Custo-benefício] 5

[Principais aspectos positivos] melhor moto em relação custo/benefício(motor 250cc, forte, econômica por ser carburada e a posição de pilotagem é confortável)… Pois é mais em conta do que uma pop100 zero km.

[Principais aspectos negativos] ter saído de linha.

[Defeitos apresentados] nenhum. Desde que se mantenha as manutenções preventivas.

[Data de publicação] 28/7/20

[Nome] Marlon Botelho Vieira
[Cidade] Fortaleza
[Estado] CE

[Motor] 250
[Ano-modelo] 2004
[Quilometragem atual] 100.000 km
[Combustível] Gasolina
[Tempo há que possui] Até 1 ano

[Grau de satisfação com a moto] Muito satisfeito(a)
[Grau de satisfação com a rede de concessionárias] Parcialmente satisfeito(a)

[Estilo] 5
[Acabamento] 4
[Posição de pilotar] 5
[Instrumentos] 5
[Conforto] 4
[Motor] 5
[Desempenho] 5
[Consumo] 4
[Câmbio] 5
[Freios] 5
[Suspensão] 4
[Estabilidade] 5
[Custo-benefício] 5

[Principais aspectos positivos] O estilo ainda chama atenção apesar dos anos. Boa estabilidade nas curvas, bom desempenho na cidade e nas estradas e com baixa manutenção. Confiabilidade e robustez no conjunto, enfim, foi um projeto muito bem acertado pela Honda. É uma moto para ser usada por muitos anos.

[Principais aspectos negativos] Sinceramente nenhum. Apesar dos comentários: 1 – Barulho na corrente – coisa insignificante; 2 – Consumo – padrão para um moto 250 e carburada; 3 – Suspensão dura – condizente para a proposta street deste modelo. Enfim: moto robusta, segura, confiável e de baixa manutenção.

[Defeitos apresentados] Nenhum.

[Concessionárias] Peças de boa qualidade mas o preço cobrado nas oficinas poderiam ser melhor.

[Comentários adicionais] Para quem quer ter uma moto que ande bem na cidade e em pequenas viagens e com peças baratas e de baixa manutenção, experimente uma CBX Twister 250.

[Best Cars] Excelente site que eu visualizo semanalmente e quer apresenta boas reportagens sobre o mundo automobilístico. parabéns

[Data de publicação] 26/7/19

[Nome] Klebson Rodrigues
[Cidade] Cabo de Santo Agostinho
[Estado] PE

[Ano-modelo] 2007
[Quilometragem atual] 60.000 km
[Combustível] Gasolina
[Tempo há que possui] De 1 a 3 anos

[Grau de satisfação com a moto] Muito satisfeito(a)
[Grau de satisfação com a rede de concessionárias] Insatisfeito(a)

[Estilo] 4
[Acabamento] 4
[Posição de dirigir] 3
[Instrumentos] 2
[Conforto] 2
[Motor] 5
[Desempenho] 5
[Consumo] 3
[Câmbio] 4
[Freios] 2
[Suspensão] 3
[Estabilidade] 5
[Custo-benefício] 4

[Principais aspectos positivos] Robusta, com visual bem acertado e funcional. Talvez o estilo não seja revolucionário ou marcante, mas é esperto e mesmo após anos não tem cara de antigo. A motoca entrega boa potência e torque e é extremamente confiável, estou com ela a pouco mais de 2 anos, nunca me deixou na mão e está na faixa dos 60.000 km rodados, mais ou menos 10.000 comigo, final em torno de 160 km/h e boa aceleração para a cilindrada oferecida . Minha anterior foi uma XRE 300 2012 e sinceramente, só sinto falta da posição de pilotagem e do conforto, no resto a Twister é superior. O câmbio, apesar de um pouco duro, é bem casado com o motor e a 6ª é o coringa. Faço viagens de FDS e, fora o desconforto causado pela posição de pilotagem, vibração, dureza dos amortecedores e do banco, só alegria. Meu grupo de viagens tem motos bem potentes também e, em velocidades de cruzeiro e retomadas, não tenho nada a reclamar, andamos todos na mesma pegada numa boa e quando se requisita desempenho, não nega fogo (lógico que não dá pra competir com uma esportiva, mas anda muito bem mesmo para uma 250cc). Contudo, a dureza do sistema de amortecimento/suspensão se compensa em estabilidade, em especial nas curvas e faz muita diferença na pista. Consumo médio na faixa, claro que andando comportadamente, a economia é maior.

[Principais aspectos negativos] Manutenção em concessionária é para matar, tanto em qualidade do serviço, quanto disponibilidade de peças e preços. Faço meus serviços em oficina independente de minha confiança, com peças, sempre que possível (disponibilidade/preço), originais. Conforto não é muito sua praia… Freios poderiam ser melhores. Poderia ter um visual mais robusto e caprichado, pois aparenta ser uma moto menor, mas aquele escape encorpado e cromado impõe respeito.

[Defeitos apresentados] Rolamentos da roda dianteira; Cabo e sensor de velocímetro; Estator; Retentor de bengala; Bateria; Interruptor de farol/setas. Itens trocados a contento, nunca me deixaram na mão. No mais, só a manutenção periódica mesmo. Fique atento: Direção, inspecionar, lubrificar e reapertar sempre. Tração: Idem.

[Concessionárias] Como disse, manutenção em concessionária é para matar. Mas falo da minha experiência com concessionárias. Já possuí Honda e Yamaha, e trocando uma pela outra, todas tem seus méritos e (muito) deméritos, e varia de loja pra loja.

[Comentários adicionais] No geral, acho uma boa moto, me dá muito mais diversão que decepção. Apesar da idade dela, é de fácil manutenção, de manter e de andar, atende bem minhas necessidades, tanto para uso diário urbano, como em viagens. É minha segunda opção de transporte/diversão. Quando me desfiz da XRE foi a única moto nessa faixa que despertou interesse: Boa, barata, potente, durável. Veja outros depoimentos de proprietários no site e tire as suas conclusões. Para mim, no dia que chegar a hora de vende-la, deixará saudades e muitas boas lembranças com certeza.

[Best Cars] Uma das referência do seguimento! Muito bom!!

[Data de publicação] 21/10/16

[Nome] Tiago Pacífico
[Cidade] Betim
[Estado] MG

[Motor] 250
[Ano-modelo] 2008
[Quilometragem atual] 60.000 km
[Combustível] Gasolina
[Tempo há que possui] De 1 a 3 anos

[Grau de satisfação com a moto] Muito satisfeito(a)
[Grau de satisfação com a rede de concessionárias] Insatisfeito(a)

[Estilo] 4
[Acabamento] 3
[Posição de dirigir] 3
[Instrumentos] 5
[Conforto] 3
[Motor] 5
[Desempenho] 5
[Consumo] 3
[Câmbio] 4
[Freios] 5
[Suspensão] 5
[Estabilidade] 5
[Custo-benefício] 5

[Principais aspectos positivos] DESIGN: simples e bonito. Conseguiram um bom efeito estético e estilo marcante sem encher a moto de carenagens. MOTOR: um trator. Robusto e potente. Entrega boa potência e torque e extremamente confiável. Como sou bem pesado, faço no máximo 140 km/h na descida. Mas mantendo o giro ideal consigo manter 120 km/h a 130 km/h em retas (sem facilidade diga-se). CÂMBIO: bem escalonado. Ao contrário do que muitos falam, sua 6ª marcha não é over drive, pois vc só alcança a final com ela. Muito bem vinda na estrada, sua existência força mais trocas no trânsito urbano. PAINEL: completo e bonito. É um dos destaques moto. FREIOS: muito bem dimensionados. Param a moto em um curto espaço sem sustos.

[Principais aspectos negativos] CONSUMO: se for fazer uma relação entre o que a moto entrega e o consumo ele realmente não é tão alto. Mas se for comparar com motos de maior cilindrada mesmo sendo carburada, de fato ela é beberrona. Levando em consideração que peso 110 kg minha pior média foi 18 km/l na estrada tentando manter velocidades entre 130 e 140 km/h. Já a melhor foi 29.3 km/l com velocidade média de 80km/h e picos de 90 km/h. ACABAMENTO: o encaixe das peças deixa a desejar e aquele banco com grampos aparentes… Huuurgh. BARULHO DA CORRENTE: característica de projeto, assim como o 1.5 da Fiat que queima óleo, e inclusive te avisam isso no manual. Não atrapalha em nada, então acostume-se com ele. Agora é fato que no máximo toda semana a corrente tem que ser minuciosamente lubrificada. CAIXA DE DIREÇÃO: tão sagrado quanto trocar óleo e apertar a caixa de direção. Já troquei e de tempos em tempos ela folga tanto que chega a atrapalhar frenagens mais intensas. CÂMBIO (2ª parte): mais difícil de achar que ponto G é o neutro da moto. Depois que se troca a embreagem fica fácil engatar, mas depois de uns 10 mil km ele fica misterioso de novo.

[Defeitos apresentados] Vazamento na tampa do cabeçote e cabo do acelerador desfiado.

[Comentários adicionais] Quer sair das 125/150 cc sem gastar muito? Twister. Quer ter uma moto justa tanto tecnicamente quanto financeiramente? Twister. Melhor CxB em motos abaixo de 500 cc. Por menos de R$6.000 vc terá uma moto confiável, potente e bonita. Tanto para agilidade no trânsito urbano quanto razoável segurança em pequenas viagens.

[Best Cars] Consulta obrigatória quando quero conhecer um veículo. E um bom passa tempo tb.

[Data de publicação] 9/9/16