VW Golf Highline: em plena sintonia com a Europa (fim)

VW Golf Highline

 
Os quase 3.000 km do Golf, dois terços deles percorridos em rodovias, deixaram
boas impressões na equipe: três dos quatro colaboradores comprariam um

 

Um ponto que a incomodou foi o sistema de parada e partida automáticas do motor: “Pode ser questão de costume, mas me deixou um pouco insegura. Quando o semáforo abre ou o trânsito anda, você tende a acelerar mais para religar o motor e liberar o freio de mão. Acabei pisando mais do que deveria e fazendo o carro dar uma ‘cantada’ de pneus…”.

A colaboradora elogiou o peso da direção e a visibilidade em geral, mas gostaria que o carro tivesse um rodar mais macio. “O Golf me pareceu um pouco duro, comparado ao Sentra ou ao Focus que dirijo. Também estranhei um ruído que vem da parte debaixo quando andei devagar em ruas irregulares, o que o Fabrício me disse vir do câmbio e ser normal do carro. Normal, isso? Será que não testaram o carro no Brasil antes de começar as vendas?”, questiona. Em seu período de uso o consumo médio foi de 8,8 km/l.

 

VW Golf Highline
VW Golf Highline
 
O motor turbo de 140 cv agradou a quem o dirigiu, sobretudo pelo torque
em rotações ainda baixas e as marcas de consumo muito positivas

 

Apesar das ressalvas, Cibele teria um Highline? “Gostei do carro de maneira geral: parece superior ao padrão que temos nessa categoria. Mas R$ 120 mil é preço de carros de sonho para mim, e posso garantir que não sonharia com um Golf com todo esse dinheiro… Entendo que o mercado oferece carros compatíveis por menos, como o novo Focus Titanium. Se fosse ficar com o Golf, escolheria o pacote Elegance [R$ 82,8 mil] e teria que deixar de fora o Park Assist, pois está vinculado ao caríssimo pacote Premium. Ainda assim, acho que ele não combina comigo e por isso talvez preferisse outro modelo”, ela conclui.

 

Diante de uma configuração mais acessível
da versão, três dos quatro motoristas
declararam que comprariam um Golf Highline

 

Aprovado, mas não pelo preço

Com mais essa experiência o Golf conclui sua avaliação, feita dois terços em rodovia, o que explica a velocidade média geral acima do padrão da seção (veja outros dados no quadro Desde o início,  abaixo). Sua média global de consumo, 11,2 km/l de gasolina, foi a melhor desde que a seção passou a ser baseada no interior paulista, em 2012 — ante 10,5 km/l do Citroën C3, 10,3 km/l do Fiat Bravo, 9,3 km/l do Citroën C4 Lounge e 9 km/l do Nissan Sentra, dos quais apenas o Fiat usava câmbio manual. Da mesma forma, nenhum outro até agora foi tão econômico nos ciclos-padrão de consumo (veja a tabela abaixo).

Entre os quatro motoristas (três homens, uma mulher) que opinaram sobre o novo médio da VW, elogios frequentes foram ao acabamento, aos itens de conveniência, ao desempenho e à economia do motor turbo de 140 cv, à operação da caixa de dupla embreagem DSG e à estabilidade. Das poucas críticas, as mais comuns trataram da suspensão firme, do forro perfurado do teto solar — que não fecha a passagem de sol — e de limitações de espaço no banco traseiro e no compartimento de bagagem, embora sejam esperadas de um carro de seu segmento.

 

VW Golf Highline
VW Golf Highline
 
Tudo funcionou bem a maior parte do tempo no Golf, mas o câmbio faz ruídos
em piso irregular e a central de áudio ficou travada por dois períodos

 

O que não se espera, mas também incomodou, foi o ruído das embreagens ouvido ao rodar devagar sobre pisos irregulares, característica do sistema DSG com embreagens a seco e não banhadas em óleo. No começo do teste a central de áudio, travada, impedia a leitura de CD ou das várias conexões disponíveis. O problema foi sanado ao restabelecermos a configuração de fábrica, mas voltou e exigiu a repetição da providência, ainda na primeira semana. Depois, tudo funcionou normalmente.

 

 

O trigésimo carro avaliado na seção foi também o único a passar por uma troca de pneu, após ter o flanco interno cortado por algum elemento da via. O esvaziamento instantâneo impediu a ação do monitor de pressão, que requer certa velocidade para detectar a perda por meio da diferença de rotação entre as rodas. Depois da troca, porém, o estepe com 35 lb/pol² (mais 6 que o recomendado) foi devidamente indicado pelo sistema assim que chegamos a uns 50 km/h.

À pergunta final — compraria um carro como o avaliado pelo preço sugerido? —, as respostas dos colaboradores foram semelhantes. Nenhum desembolsaria R$ 120,2 mil por um Golf tão equipado quanto esse, preferindo modelos que oferecessem mais em espaço, desempenho e/ou prestígio, mesmo que com menos itens de conveniência. Por outro lado, quando permitimos que cada um optasse por uma configuração mais acessível da versão Highline (que parte de R$ 77,6 mil com câmbio DSG), três declararam que comprariam, o que é bom resultado para esse hatch em plena sintonia com a Europa.

Atualização anterior

 

Último período

9 dias

788 km

Distância em cidade 198 km
Distância em rodovia 590 km
Tempo ao volante 15h 18 min
Velocidade média 52 km/h
Consumo médio (gasolina) 13,1 km/l
     Melhor marca média 16,4 km/l
     Pior marca média 8,6 km/l
Indicações do computador de bordo

 

Desde o início

31 dias

2.927 km

Distância em cidade 960 km (33%)
Distância em estrada 1.967 km (67%)
Tempo ao volante 62h 46min
Velocidade média 47 km/h
Consumo médio 11,2 km/l
     Melhor marca média 16,4 km/l
     Pior marca média 7,3 km/l
Combustível consumido 261,2 litros
Despesa com combustível R$ 757
Custo por km rodado (gasolina) R$ 0,26
Preço médio (gasolina) R$ 2,90
Indicações do computador de bordo, exceto despesas; o combustível é sempre gasolina

 

Preço

Básico (câmbio DSG) R$ 77.610
Como avaliado R$ 120.232
Preços públicos vigentes em 24/2/14

 

 

Testes de desempenho

Aceleração de 0 a 80 km/h 6,4 s
Aceleração de 0 a 100 km/h 9,1 s
Aceleração de 0 a 120 km/h 12,9 s
Aceleração de 0 a 400 m 17,3 s
Retomada de 60 a 100 km/h 4,4 s
Retomada de 60 a 120 km/h 8,5 s
Retomada de 80 a 120 km/h 6,2 s
Conheça nossos métodos de medição

 

Consumo em trajetos-padrão

Trajeto

Gasolina

Leve em cidade 14,5 km/l
Exigente em cidade 7,3 km/l
Em rodovia 14,2 km/l
Conheça nossos métodos de medição

 

Ficha técnica

Motor
Posição transversal
Cilindros 4 em linha
Comando de válvulas duplo no cabeçote
Válvulas por cilindro 4, variação de tempo
Diâmetro e curso 74,5 x 80 mm
Cilindrada 1.395 cm³
Taxa de compressão 10,5:1
Alimentação injeção direta, turbocompressor, resfriador de ar
Potência máxima 140 cv de 4.500 a 6.000 rpm
Torque máximo 25,5 m.kgf de 1.500 a 3.500 rpm
Transmissão
Tipo de câmbio e marchas automatizado de dupla embreagem, 7
Tração dianteira
Freios
Dianteiros a disco ventilado
Traseiros a disco
Antitravamento (ABS) sim
Direção
Sistema pinhão e cremalheira
Assistência elétrica
Suspensão
Dianteira independente, McPherson, mola helicoidal
Traseira independente, multibraço, mola helicoidal
Rodas
Dimensões 7,5 x 17 pol
Pneus 225/45 R 17
Dimensões
Comprimento 4,255 m
Largura 1,799 m
Altura 1,468 m
Entre-eixos 2,63 m
Capacidades e peso
Tanque de combustível 50 l
Compartimento de bagagem 313 l
Peso em ordem de marcha 1.238 kg
Desempenho
Velocidade máxima 212 km/h
Aceleração de 0 a 100 km/h 8,4 s
Dados do fabricante; consumo não disponível
Atualização anterior