Mercedes-Benz Classe C: portal de acesso às estrelas

Mercedes-Benz Classe C: portal de acesso às estrelas

 

Mercedes-Benz Classe C: portal de acesso às estrelas
Mercedes-Benz Classe C: portal de acesso às estrelas
Mercedes-Benz Classe C: portal de acesso às estrelas

 
Nova frente, melhorias internas e motores mais econômicos vinham na linha 2012 do
Classe C, que contava ainda com o belo Coupé, aqui mostrado na versão C63 AMG

 

Importante evolução ocorria nos motores, com consumo até 31% mais baixo. A linha completa vinha com parada/partida automática e a caixa automática agora era sempre de sete marchas. Todos os motores a gasolina adotavam injeção direta e, no V6 do C350 Blue Efficiency, potência e torque passavam a 306 cv e 37,6 m.kgf. O mais econômico Classe C, porém, era o C220 CDI com caixa manual, capaz de 24,3 km/l de diesel. O carro ganhava ainda recursos de segurança conhecidos de outros Mercedes: alerta para evasão da faixa de rolamento, monitor de veículo em ponto cego, detector de sonolência ou desatenção no motorista, assistente de estacionamento e detector de risco de acidente (Pre-Safe) com atuação sobre os freios.

Dois meses mais tarde, no Salão de Genebra, o Classe C aparecia — pela primeira vez em suas três gerações — em uma charmosa versão de duas portas. O Coupé assumia o espaço do extinto CLK como cupê de porte médio da marca da estrela e vinha competir com o Audi A5 e o BMW Série 3 cupê. Como nos concorrentes, pouco da carroceria do sedã era aproveitado: o novo carro vinha 41 mm mais baixo e com perfil mais suave e esportivo.

No interior de quatro lugares do Coupé, detalhes como o raio vertical cromado do volante remetiam ao CLS e a outros Mercedes superiores. O sistema de navegação integrava-se à conexão de internet para obter informações de trajetos do Google Maps e dados sobre tempo. Cinco motores moviam o cupê na fase de lançamento, todos com injeção direta: o C180 e o C250 tinham um quatro-cilindros turbo a gasolina, o C350 um V6, e os C220 CDI e C250 CDI usavam unidades turbodiesel.

 

Mercedes-Benz Classe C: portal de acesso às estrelas

 

Mercedes-Benz Classe C: portal de acesso às estrelas
Mercedes-Benz Classe C: portal de acesso às estrelas
Mercedes-Benz Classe C: portal de acesso às estrelas

 
Bitolas mais largas, rodas forjadas e motor de 517 cv: ingredientes do apetitoso C63
Black Series, versão que colocava o Classe C Coupé na “tropa de elite” da AMG

 

Se o Coupé chegava com a intenção de suceder ao CLK, seria natural que ele ganhasse uma versão AMG, como o cupê anterior teve por mais de 10 anos. Essa opção aparecia com o C63 AMG Coupé, que mantinha o conjunto mecânico do quatro-portas. Com 457 cv, acelerava de 0 a 100 km/h em 4,5 segundos ou, com o pacote Performance, em 0,1 s a menos. Já o Performance Studio da AMG oferecia personalizações como rodas de 19 pol e elementos internos com fibra de carbono, e a linha Designo de acabamento permitia escolher entre quatro tons e três combinações de dois tons para o revestimento em couro.

 

No C63 AMG Black Series o V8 de 6,2 litros passava a render 517 cv e 63,2 m.kgf, com os quais ele acelerava de 0 a 100 em 4,2 segundos

 

E o cupê não pararia por ali. Em julho seguinte aparecia o C63 AMG Black Series, membro da “tropa de elite” da divisão AMG. O V8 de 6,2 litros passava a render 517 cv e 63,2 m.kgf, com os quais o modelo de duas portas — único oferecido — acelerava de 0 a 100 em 4,2 segundos, mantendo a caixa automática AMG Speedshift MCT-7 de sete marchas. Além do motor, o Black Series trazia bitolas alargadas, suspensão com amplas regulagens e rodas de 19 pol de alumínio forjado, com peso (do jogo) 11 kg menor que as do C63 AMG convencional, calçadas por pneus 255/35 à frente e 285/30 atrás. Havia ainda freios mais potentes, novos para-choques e para-lamas mais largos.

O furioso Black Series mostrou seus atributos na Car and Driver: “O som do motor parece o de um carro de DTM que comeu algumas centenas de Chevrolets V8 de bloco pequeno no café da manhã. Se você não o adorar, peça à enfermeira para acordá-lo do coma. As sensações da direção são melhores que as de qualquer Mercedes na memória recente, com a quantidade exata de respostas. O motor empurra com torque em todas as faixas e um som de trovão saindo pelos escapamentos. O chassi é equilibrado, mas requer paciência — o peso do Mercedes está sempre evidente”.

 

Mercedes-Benz Classe C: portal de acesso às estrelas

 

Mercedes-Benz Classe C: portal de acesso às estrelas
Mercedes-Benz Classe C: portal de acesso às estrelas
Mercedes-Benz Classe C: portal de acesso às estrelas

 
Oferecido como cupê, sedã e perua, o C63 AMG Edition 507 trazia mais potência,
freios de compósito e velocidade limitada a 280 km/h ou 30 acima dos demais C63

 

O C63 AMG serviu de base também para uma série limitada, a Edition 507, apresentada em 2013. O número indicava a potência do revitalizado V8, com torque elevado para 62,2 m.kgf. O 507 acelerava de 0 a 100 km/h em 4,2 segundos, nas opções sedã e cupê, e 4,3 s no caso da Estate. Como a nova edição trazia o pacote AMG Driver’s, sua velocidade máxima estava limitada a 280 km/h (em vez dos habituais 250) e o comprador ganhava acesso a uma sessão de direção esportiva na AMG Driving Academy.

 

 

A série 507 trazia capô com saídas de ar, defletor traseiro (exceto na perua) e rodas exclusivas de 19 pol com pneus 235/35 à frente e 255/30 atrás. Dentro das dianteiras viam-se os grandes freios a disco de compósito, mais leves e resistentes à perda de eficiência por superaquecimento. O interior trazia três opções de revestimento e havia opcionais como suspensão ainda mais esportiva, apliques internos de fibra de carbono e soleiras com iluminação por leds. Se desejasse, o cliente podia retirar o exclusivo C63 no AMG Customer Center em Affalterbach, Alemanha.

Embora não mais represente o modelo de acesso à Mercedes-Benz — hoje existem duas linhas abaixo dele, os Classes A e B —, o Classe C permanece o portal de entrada à gama de sedãs da marca, a seus modelos tradicionais, com tração traseira e os valores que fizeram a estrela brilhar mundo afora, década após década.

Mais Carros do Passado

 

Ficha técnica

C36 AMG (1995)

C43 AMG (1998)

C55 AMG (2004)

C63 AMG Black Series (2012)

MOTOR
Posição e cilindroslongitudinal, 6 em linhalongitudinal, 8 em V
Comando e válvulas por cilindroduplo no cabeçote, 4nos cabeçotes, 3duplo nos cabeçotes, 4
Diâmetro e curso91 x 92,4 mm89,9 x 84 mm97 x 92 mm102,2 x 94,6 mm
Cilindrada3.606 cm³4.266 cm³5.439 cm³6.208 cm³
Taxa de compressão10,5:110:111:111,3:1
Potência máxima280 cv a 5.750 rpm306 cv a 5.850 rpm367 cv a 5.750 rpm517 cv a 6.800 rpm
Torque máximo39,2 m.kgf a 4.000 rpm41,8 m.kgf a 3.250 rpm52 m.kgf a 4.000 rpm63,2 m.kgf a 5.200 rpm
Alimentaçãoinjeção multiponto
TRANSMISSÃO
Tipo de câmbio e marchasautomático, 5automático, 7
Traçãotraseira
FREIOS
Dianteirosa disco ventilado
Traseirosa disco ventilado
Antitravamento (ABS)sim
SUSPENSÃO
Dianteiraindep., braços sobrepostosindependente, McPherson
Traseiraindependente, multibraço
RODAS
Pneus dianteiros225/45 R 17225/45 R 17225/40 R 18255/35 R 19
Pneus dianteiros245/40 R 17245/40 R 17245/35 R 18285/30 R 19
DIMENSÕES
Comprimento4,49 m4,49 m4,61 m4,76 m
Entre-eixos2,69 m2,69 m2,71 m2,77 m
Peso1.560 kg1.570 kg1.635 kg1.710 kg
DESEMPENHO
Velocidade máxima250 km/h250 km/h250 km/h250 km/h
Acel. 0 a 100 km/h6,7 s6,5 s5,2 s4,2 s