Porsche 928, o GT que causou revolução em Stuttgart

Porsche 928 GT 1989

 

Porsche 928 GT 1989
Porsche 928 GT 1989
 
Quer a potência e a suspensão do Clubsport sem abrir mão do conforto? Então seu
928 ideal é o GT, que vinha em 1989 com um diferencial emprestado pelo 959

 

O motor mais potente e a suspensão mais firme do Clubsport foram aplicados também ao 928 GT, apresentado em 1989, que preservava os confortos das versões tradicionais e trazia um inédito diferencial autobloqueante com controle eletrônico, que variava sua operação entre zero e 100% — tecnologia baseada no supercarro 959. Disponível apenas com câmbio manual, o GT chegava a 275 km/h e a marca dos 100 km/h era cronometrada em 5,8 s. Tornou-se o carro mais caro da linha Porsche e o mais veloz, à exceção de uma série limitada do 911 Turbo, mas sua hegemonia não durou muito — logo seria suplantado por mais uma evolução do mesmo V8.

 

Comparado a BMW 850i e Jaguar XJR-S, o GTS — última evolução da linha — foi o mais rápido e considerado o que mais recompensa o motorista

 

A Car  comparou o GT ao Corvette ZR-1: “Os dois são muito rápidos, mas o Corvette acelera mais até 160 km/h. Ao contrário dele, porém, o Porsche age como uma unidade sólida, homogênea. Não tem um comportamento tão à prova de erros quanto o ZR-1, mas é muito mais divertido no limite. Após uma longa fase neutra, as rodas traseiras saem, convidando você a um interessante powerslide  [derrapagem pela aplicação de potência]”. Ao fim o 928 foi considerado o melhor, mesmo custando mais.

Outra britânica, a Autocar,  definiu-o como “mais rápido e estável que o S4, com comportamento e aderência soberbos, mas um V8 de alto consumo. Cabine muito confortável e espaçosa para dois, excelente posição de dirigir, mas conforto de rodagem e refinamento precisam melhorar em vista de suas aspirações de grã-turismo”. Diante dos competidores já habituais M635 CSi, Mondial, XJR-S e 560 SEC, além do Aston Martin Virage de preço muito mais alto, o 928 GT era o segundo mais potente (atrás do Aston), o mais rápido de 0 a 96 km/h e o mais veloz.

 

Porsche 928 GTS 1992

 

Porsche 928 GTS 1992
Porsche 928 GTS 1992
 
Com o GTS, o projeto do 928 chegava ao auge em potência e sofisticação técnica:
350 cv obtidos de 5,4 litros, máxima de 275 km/h, rodas mais largas de 17 pol

 

“Encolhe em torno de você”

A última versão do 928, a GTS de 1991, era a mais potente de todas: a cilindrada aumentava para 5,4 litros — o projeto original do bloco previa a possibilidade de 5,5 litros —, a potência para 350 cv e o torque para 51 m.kgf, com 80% disponíveis já a 2.000 rpm. O proprietário podia controlar a pressão dos pneus por um botão do painel e os bancos vinham com ajuste elétrico, até para apoio lombar, e três memórias de posição. Outras comodidades eram controlador de velocidade, ar-condicionado automático com sistema adicional na traseira e rádio/toca-fitas com controle de toca-CDs no porta-malas.

Por fora, os para-lamas eram mais largos para abrigar as rodas de 17 pol, com pneus 225/45 à frente e 255/40 atrás, e os retrovisores lembravam os do 959. Os amortecedores vinham mais macios, para reduzir o desconforto da versão anterior, e o nível de ruído e vibração estava mais baixo. Com tudo isso, ele chegava a 275 km/h e cumpria o 0-100 em 5,7 segundos — ou 0,2 s a mais no caso do automático, também oferecido, ao contrário do GT.

Para a Road & Track  o GTS era “um impressionante carro de luxo cujos níveis de desempenho se aproximam aos de muitos modelos exóticos. É não apenas o mais veloz Porsche, mas também um dos mais rápidos GTs de produção no mundo, com um pacote completo de amenidades, desempenho impressionante e comportamento dinâmico preciso, apesar de ser um carro grande e pesado”.

 

Porsche 928 GTS 1992
Porsche 928 GTS 1992
 
O interior ganhava requintes como memória dos bancos e ar-condicionado
auxiliar na traseira, onde o alto console separava os dois passageiros

 

A Car  comparou em 1992 o 928 GTS ao BMW 850i e ao Jaguar XJR-S, ambos com motor V12. “Coloque a terceira no Porsche, deixe o torque carregá-lo e o 928 fará o que nenhum dos rivais consegue: ele encolhe em torno de você, parece se reduzir às dimensões de um Mazda MX-5. O 928 é também o mais rápido, o mais divertido de dirigir, o que mais recompensa o motorista. Os parâmetros da Porsche para seus engenheiros devem ter sido algo como: façam um carro envolvente; façam os consumidores se apaixonarem por ele; façam-no tremendamente rápido”.

 

 

Essa variação foi fabricada até 1995, quando a produção do modelo se encerrava após um total de 60.904 unidades (das quais 25.106 seguiram para os EUA), sem deixar sucessor direto. Embora tenha durado 18 anos — cerca de três vezes o ciclo de produção médio de cada geração de automóvel hoje —, o 928 não foi muito bem sucedido na tentativa de quebrar tabus: puristas e amantes irredutíveis do 911 sempre torceram o nariz para o belo e moderno grã-turismo. Além de romper as tradições técnicas da marca, foi rejeitado por peso e preço elevados, não justificados pela vantagem de desempenho sobre o velho modelo de motor traseiro.

Mesmo com tais ressalvas, o 928 cumpriu muito bem seu papel de mais luxuoso, confortável e elegante Porsche do século passado. Hoje, um grã-turismo sofisticado e potente, de motor V8 dianteiro refrigerado a água — só que com cinco portas em vez de três —, ocupa o topo da linha da empresa sob o nome de Panamera.

Mais Carros do Passado

 

Histórias

Porsches são renomados como carros esporte robustos, que suportam muitos milhares de quilômetros sem grandes intervenções mecânicas. A própria empresa contou, em um material de divulgação do 928 GTS 1992, ter recebido a proposta de um representante de vendas que havia rodado 490 mil km com seu 928 em apenas três anos sem grandes problemas. O cliente acreditava Porsche 928ter em mãos algo especial para vender ao Museu da Porsche, mas ouviu uma resposta negativa: “Esse tipo de durabilidade e confiabilidade é normal para um 928. Mantenha seu carro e desfrute-o!”.

Um 928 GTS verde-limão, com revestimento em couro nos mínimos detalhes internos, foi a última unidade vendida pela Porsche (foto). Conta-se que um norte-americano encomendou seu 928 à época com a exigência de que fosse o último a ser produzido e que, ao saber da política da Porsche de guardar para o acervo de seu museu o último exemplar de cada modelo, cancelou o pedido. A empresa de Stuttgart decidiu a questão: fez um segundo exemplar do carro verde-limão e convenceu o americano a levá-lo, sob a alegação de que aquele penúltimo 928 era na verdade o último oferecido à venda ao público.

 

Para ler

Porsche 928, 924, 944 and 968 Porsche 924, 928, 944, 968 - Crowood Autoclassics Road & Track Porsche 928 Portfolio Porsche 928 Takes On the Competition

Porsche 928, 924, 944, and 968: The Front-Engined Sports Car – por Marc Cranswick, editora McFarland. A série de modelos de quatro cilindros e o 928 têm sua história contada no livro de 284 páginas, publicado em 2008.

Porsche 924, 928, 944, 968 – por David Vivian, editora Crowood Autoclassics. Outra obra com os Porsches de motor dianteiro produzidos entre os anos 70 e 90, que tentaram mudar os padrões da marca. Traz informações dos projetos, impressões ao dirigir e a trajetória em competições em 128 páginas. Publicado em 1994.

Road & Track Porsche 928 Portfolio, 1977-1994 – compilação por R.M. Clarke, editora Brooklands Books. O livro de 2003 reúne artigos da revista norte-americana com testes, apresentações, comparativos e análises técnicas. Modelos como Audi Quattro, Chevrolet Corvette, Ferrari 308 GTBi e Porsche 911 Turbo são confrontados ao 928 em suas 128 páginas.

Porsche 928 Takes on the Competition – compilação por R.M. Clarke, Brooklands Books. Mais antigo (1999), segue a fórmula do livro acima, mas traz matérias de diferentes revistas. Os concorrentes que o enfrentam incluem Mercedes-Benz 450 SLC e 500 SEC, Jaguar XJ-S HE e XJR-S, Audi Quattro, Porsche 911, Lotus Esprit Turbo, Lamborghini Countach e BMW M635 CSi e 850i. São 140 páginas.

 

Ficha técnica

928 S (1983)

928 GT (1989)

928 GTS (1992)

MOTOR
Posição e cilindros longitudinal, 8 em V
Comando e válvulas por cilindro nos cabeçotes, 2 duplo nos cabeçotes, 4
Diâmetro e curso 97 x 78,9 mm 100 x 78,9 mm 100 x 85,9 mm
Cilindrada 4.664 cm³ 4.957 cm³ 5.397 cm³
Taxa de compressão 10:1 10,4:1
Potência máxima 300 cv a 5.900 rpm 330 cv a 6.000 rpm 350 cv a 5.700 rpm
Torque máximo 39,2 m.kgf a 4.500 rpm 43,9 m.kgf a 3.000 rpm 51 m.kgf a 4.250 rpm
Alimentação injeção multiponto
TRANSMISSÃO
Tipo de câmbio e marchas manual, 5, ou automático, 3 manual, 5 manual, 5, ou automático, 4
Tração traseira
FREIOS
Dianteiros a disco ventilado
Traseiros a disco ventilado
Antitravamento (ABS) não sim
SUSPENSÃO
Dianteira independente, braços sobrepostos
Traseira independente, braço semiarrastado
RODAS
Pneus dianteiros e traseiros 225/50 R 16 225/50 R 16 e 245/45 R 16 225/45 R 17 e 255/40 R 17
DIMENSÕES
Comprimento 4,45 m 4,52 m
Entre-eixos 2,50 m
Peso 1.450 kg 1.600 kg 1.620 kg
DESEMPENHO
Velocidade máxima 250 km/h 275 km/h 275 km/h
Aceleração de 0 a 96 km/h ND 5,8 s 5,7 s
ND = não disponível
Mais Carros do Passado