Porsche 928, o GT que causou revolução em Stuttgart

Porsche 928 S 1980
Porsche 928 S 1980
 
O 928 S estava mais potente, mas ainda não oferecia câmbio automático de quatro
marchas ou freios antitravamento, que viriam pouco depois na evolução S2

 

A segunda edição do 928 S, ou S2, chegava em 1982 com 10 cv a mais obtidos com injeção eletrônica Bosch LH-Jetronic e taxa de compressão elevada. Outra novidade estava na caixa automática, agora com quatro marchas. Com ela chegava a 250 km/h e com o câmbio manual a 255 km/h, fazendo de 0 a 100 km/h em 6,6 s. O sistema antitravamento de freios (ABS) aparecia como opcional em 1984, pela primeira vez em um Porsche, e se tornava item de série dois anos depois. O mercado norte-americano recebia em 1985 um S2 com cilindrada ampliada para 4,95 litros, quatro válvulas por cilindro e 288 cv, a fim de manter o padrão de desempenho apesar das normas de emissões.

A Popular Mechanics  comparou 10 carros esporte de diferentes preços, do Ford Mustang de US$ 10 mil ao Aston Martin Volante de US$ 115 mil, em 1984 e concluiu que o 928 S (de US$ 45 mil) era o melhor deles, seguido por outro Porsche, o 944. O V8 alemão foi o segundo mais rápido no quarto de milha, freou no menor espaço, foi quinto colocado na velocidade de slalom  e o segundo no tempo de volta no circuito. Os demais competidores eram BMW 633 CSi, Chevrolet Camaro Z-28 e Corvette, Ferrari 308 GTS, Jaguar XJ-S HE, Mercedes-Benz 380 SL e a versão SVO do Mustang.

 

Porsche 928 S4 1987

 

Porsche 928 S4 1987
Porsche 928 S4 1987
 
Frente e traseira vinham mais arredondadas para refrescar o estilo do 928 S4, de
1987; seu interior recebia ajuste elétrico dos bancos e computador de bordo

 

“Ele foi o melhor na parte do teste em estrada, por uma margem considerável, e ficou bem pouco atrás do Corvette na pista. O 928 S é a combinação definitiva de desempenho e utilidade, sendo muito bom em qualquer aspecto. É bastante fácil dirigi-lo rápido. ‘Um grande carro, muito próximo da perfeição’, disse um dos testadores”, definiu a revista.

 

“Com o pé direito embaixo, em qualquer rotação e em qualquer marcha, o grande 928 pula à frente”, descreveu a inglesa Car ao avaliar a versão S4

 

As mudanças foram aprovadas pela Car and Driver,  que escreveu: “Pelo critério de desempenho, o 928 S é um aprimoramento substancial sobre seu antecessor. A velocidade máxima subiu 16 km/h, para 248, e a aceleração de 0 a 96 baixou de 6,2 para 5,7 segundos. São ótimas marcas para um carro com câmbio longo, orientado à economia, e com potência suficiente para deixar os pneus sem tração em baixa velocidade. Este novo motor tem um terço mais de potência que o Chevrolet V8 com injeção de mesma cilindrada e 104 cv a mais que o Mercedes V8 de 5,0 litros”.

 

Rejuvenescido e… mais potente

Uma reformulação mais ampla ocorria em 1987 com a versão 928 S4. As linhas estavam mais fluidas e o Cx era bem mais baixo (0,34), para o que concorria o porta-malas pouco mais longo. As alterações mais evidentes eram a frente e a traseira mais arredondadas, as lanternas maiores e o aerofólio destacado em vez do defletor. O oito-cilindros, agora com 32 válvulas e 4,95 litros também para o mercado europeu, fornecia 320 cv e 43,9 m.kgf. Inovação era o coletor de admissão de geometria variável, com dois estágios, um mais favorável às baixas rotações e outro às altas. Mais tarde ele ganharia monitor de pressão dos pneus.

 

Porsche 928 S4 1987
Porsche 928 S4 1987
 
A cilindrada crescia mais um pouco no S4, para 4,95 litros; coletor de admissão
variável e cabeçotes com 32 válvulas ajudavam a levar a potência a 320 cv

 

Para o ambiente a bordo ficar ainda mais aconchegante, a novidade eram os bancos revestidos em couro com regulagem elétrica de série. Algumas versões traziam revestimento em veludo Pascha, com o desenho imitando uma bandeira quadriculada de fim de grande prêmio de Fórmula 1. O painel recebia muita eletrônica, incluindo computador de bordo. A prioridade ao conforto era percebida no fato de que a versão com câmbio automático já detinha a maioria das vendas.

 

 

A inglesa Motor  destacou em seu teste do S4: “Sob qualquer padrão, é extremamente rápido, chegando a 161 km/h em 16,1 segundos. A direção é uma das melhores que já experimentamos: firme, muito precisa, sem suavizar as variações de peso que refletem a aderência dos pneus. A estabilidade é imensa, com sutil subesterço, a menos que provocado por farto uso de potência ou por tirar o pé do acelerador. O amortecimento é soberbo. E o S4 demonstra que os sistemas ABS estão ficando melhores”. Na comparação com os rivais mais próximos (Aston Martin V8, BMW M 635 CSi, Ferrari Mondial QV, Jaguar XJ-S HE e Mercedes-Benz 500 SEC), o Porsche obteve a mais alta velocidade máxima e uma das acelerações mais rápidas.

No mesmo país a Car  pôs o 928 S4 ao lado do 911 Turbo e do 944 Turbo em um confronto familiar em 1989: “O V8 é o motor mais potente que a Porsche produz. Embora todos eles acelerem de 0 a 161 km/h entre 12 e 14 segundos, os turbos são relativamente lentos até 3.000 rpm e então entram em erupção. O 928 lembra a velha máxima norte-americana: não há substituto para polegadas cúbicas. Com o pé direito embaixo, em qualquer rotação e em qualquer marcha, o grande S4 pula à frente sem esforço. Nas retomadas em quarta marcha, o 911 não supera o 928 antes de atingir 130 km/h”.

 

Porsche 928 S4 Clubsport 1988
Porsche 928 S4 Clubsport 1988
 
Quase 200 kg a menos, suspensão mais firme, motor mais potente: era o 928 S4
Clubsport, edição limitada oferecida em 1988 com ênfase no uso esportivo

 

Nos EUA, a Road & Track  considerava o Ferrari 328 GTS e o Lotus Turbo Esprit os maiores adversários do S4. O Porsche superava ambos em aceleração, espaço de frenagem e velocidade no slalom,  embora fosse o mais pesado dos três. “Velocidade extraordinária, motor suave e sem esforço, interior luxuoso e estilo atualizado” eram seus pontos de destaque para a revista, que criticou o preço muito alto (embora menos que o do Ferrari), o comando de câmbio algo vago e o fato de ser “muito civilizado em uma categoria exótica”.

O S4 teve ainda a edição limitada Clubsport, focada no uso esportivo e vendida apenas no modelo 1988. O peso era reduzido de 1.640 para 1.450 kg pela remoção de acessórios como ajuste elétrico de bancos, travamento central das portas e parte do isolamento acústico, além do uso de rodas de alumínio forjado. Esse 928 ganhava ainda amortecedores e molas mais firmes, escapamento menos restritivo e aumento de potência em 10 cv, para 330 cv, sem alteração do torque máximo.

Próxima parte

 

Nas pistas

Porsche 928 - recordeSempre houve na linha Porsche modelos mais adequados a competições, com menor peso e grande experiência em preparação para esse fim, mas o 928 fez suas aparições nas pistas.

O desempenho da versão S4 foi comprovado nos famosos lagos de sal de Bonneville, nos EUA (ao lado). O piloto Al Holbert Jr. obteve dois recordes de velocidade da Federação Internacional do Automóvel (FIA) com um carro todo original, inclusive com catalisador, em agosto de 1986: registrou 275,3 km/h na milha lançada e 276,6 km/h no quilômetro lançado — medições em que o carro passa pelo trecho de medição já em velocidade, tendo espaço anterior para acelerar.

Mais tarde, também em solo norte-americano, Carl Fausett, da 928 Motorsports, resolveu levar seu 928 à subida de montanha de Pikes Peak (abaixo à esquerda), uma das provas mais tradicionais do automobilismo mundial. O modelo teve o entre-eixos encurtado para ganhar agilidade nas curvas e ganhou motor V8 de 6,5 litros com compressor e potência estimada em 670 cv, pneus traseiros de 335 mm e extensas modificações. Nas provas de 2007 e 2009 ele obteve o terceiro lugar da categoria Open; na segunda foi ainda o carro mais rápido na Open entre os de tração em duas rodas.

Porsche 928 - Pikes PeakPorsche 928 - recorde

A empresa também colocou o grã-turismo superpreparado nos lagos de sal de Bonneville (à direita). O motor de 6,5 litros foi modificado para 900 cv estimados e foram feitas alterações em rodas, pneus, carroceria e suspensão para a nova finalidade, com ênfase na aerodinâmica. Em 2011 ele sagrou-se o 928 mais veloz já registrado no mundo, ao atingir 348,6 km/h.

 

O nacional

PAG Dacon 1984O 928 inspirou a fabricação de um carro “fora de série” brasileiro, como eram conhecidos os muitos modelos construídos por pequenas empresas que tiveram especial importância no período de importações fechadas entre 1976 e 1990. Paulo Goulart, da PAG, construiu um esportivo com linhas semelhantes às do modelo alemão sobre a plataforma do Volkswagen Gol GT, usando seu motor de 1,8 litro com carburador, só que ampliado para 2,1 litros.

Chamado de PAG Dacon (Dacon era uma concessionária VW famosa nos anos 70, responsável por transformações como a do Passat em um três-volumes), o “928 nacional” foi apresentado em 1984 e até lembrava bastante o inspirador, apesar das proporções estranhas impostas pelo menor comprimento e a maior altura. Os quatro faróis vinham do Passat e as lanternas traseiras eram de Kombi, só que montadas na horizontal. O motor preparado, de potência real não informada (a empresa mantinha os 99 cv do 1,8 original), dava-lhe bom desempenho para os padrões brasileiros da época. Não se sabe quantas unidades foram vendidas.

Foto: reprodução da revista Quatro Rodas

Próxima parte