VW Golf faz 40 anos: relembre história em 40 fotos

VW Golf - geracoes

 

Há 40 anos, em março de 1974, saía da fábrica da Volkswagen em Wolfsburg, Alemanha, o primeiro Golf. Embora sua história tenha sido contada no Best Cars em 2001 e um novo artigo esteja em preparo para celebrar o marco (será publicado em junho, mês em que ele chegou ao mercado), trazemos aqui um breve retrospecto desse que é um dos carros mais relevantes da história da VW.

 

 

Primeira geração (1974)

Como o Passat lançado no ano anterior, o Golf adotava novos padrões técnicos para a marca, com motor dianteiro (dessa vez transversal) arrefecido a líquido, tração também à frente e suspensão traseira por eixo de torção. O desenho elaborado por Giorgetto Giugiaro era simples, funcional e duradouro. O esportivo GTI, lançado em 1976 com motor 1,6-litro com injeção e 110 cv, inaugurou uma categoria. Versões a diesel e conversível também foram oferecidas. Na África do Sul o modelo foi produzido entre 1984 e 2009.

 

 

Segunda geração (1982)

Com mais 17 cm em comprimento e 7,5 cm entre eixos, começava a escalada de tamanho do Golf. Foi a primeira geração com freios antitravamento ABS, direção assistida e tração integral. Outra novidade era o esportivo GTI G60, de 1989, com compressor e 160 cv. Versões elétrica e híbrida foram mostradas como estudos em 1989, mas a geração não incluiu um conversível, mantendo-se o antigo em produção.

 

 

Terceira geração (1991)

Enquanto os amantes do desempenho dispunham pela primeira vez de um Golf de seis cilindros (o VR6, de 2,8 litros e 174 cv), a atenção à segurança resultava na adoção de bolsas infláveis frontais e, mais tarde, laterais. Outras novidades eram motor a diesel com injeção direta e freios ABS de série em 1996. O conversível era, enfim, reformulado. Foi a primeira geração a vir ao Brasil, em 1994, importada do México e da Alemanha.

 

 

 

Quarta geração (1997)

Controle de estabilidade, assistência adicional em frenagens de emergência e cortinas infláveis eram avanços em segurança, mas o Golf 4 oferecia também tração integral com sistema Haldex de embreagem multidisco, câmbio manual de seis marchas e motor a gasolina com injeção direta. O R32, esportivo de seis cilindros, 3,2 litros e 240 cv, aparecia em 2002. Essa geração veio ao Brasil como importada, ganhou produção local e permanece aqui até hoje.

 

 

Quinta geração (2003)

Muitas novidades técnicas: suspensão traseira independente multibraço, câmbio de dupla embreagem DSG com até sete marchas, motor turbo com injeção direta e 200 cv no GTI, turbo e compressor associados no Twincharger. Aparecia o Golf Plus, de teto elevado, e o R32 chegava a 250 cv.

 

 

Sexta geração (2008)

Na verdade uma ampla reestilização da quinta, com redesenho quase completo, esse Golf vinha com novos recursos como bolsa inflável para os joelhos do motorista, assistente de estacionamento e controle eletrônico de amortecedores. O esportivo R, sucessor do R32, adotava motor turbo de 2,0 litros com 256 cv.

 

 

Sétima geração (2012)

Redesenhado desde a plataforma (agora a MQB, mais leve e modular para aproveitamento em vários modelos), o Golf trazia novo motor 1,4-litro turbo e sistemas como os freios multicolisão, que visam a evitar novo impacto após um acidente. O topo de linha R chegava a 300 cv no motor 2,0 turbo, enquanto o GTI oferecia até 230 cv. Versões elétrica e híbrida também compõem a linha. Essa fase marca o retorno ao Brasil do Golf importado, mas com futura nacionalização.

 

Texto: Fabrício Samahá – Fotos: divulgação