VW E-Bulli, a charmosa Kombi 1966 que virou elétrica

 

Gostaria de associar o charme da Volkswagen Kombi T1, a popular “corujinha”, à eficiência sem emissões de um motor elétrico? Essa é a proposta da E-Bulli, uma Samba Bus (versão da Kombi alemã com janelas nas laterais do teto) de 1966 que foi convertida para eletricidade. Embora a unidade tenha sido feita como carro-conceito para o Techno Classica 2020 (evento que foi adiado), a E-Classics, parceira da VW Commercial Vehicles, planeja oferecer essa conversão e vender carros já modificados.

 

 

 

No lugar do clássico motor boxer a gasolina de quatro cilindros e apenas 43 cv, a Samba Bus recebeu um motor elétrico de 61 kW (83 cv) com o alto torque de 21,6 m.kgf, mais que o dobro dos 10,6 m.kgf originais. É de se esperar uma aceleração tão rápida quanto a Kombi nunca sonhou (a VW não informou tempos), mas a velocidade máxima é limitada a 130 km/h por segurança e para proteger a bateria. O motor elétrico e a transmissão ficam na traseira da E-Bulli, enquanto a bateria de 45 kWh de íons de lítio, em posição central, permite autonomia de 200 km. A transmissão tem marcha única, mas a alavanca oferece uma posição B, que acentua a regeneração de energia e a desaceleração.

 

 

A “corujinha” ganhou suspensões atualizadas, amortecedores ajustáveis, direção de pinhão e cremalheira, pneus largos e quatro freios a disco ventilados. A E-Bulli tem ainda faróis de leds, pintura “saia e blusa”, interior com couro nos mesmos tons da carroceria, piso de madeira, tablet com GPS integrado ao console do teto e rádio moderno, mas de estilo nostálgico. A conversão não sai barata: € 64.900 (R$ 353 mil) sobre o valor, nada modesto hoje, da Kombi a gasolina cedida à E-Classics.

Texto da equipe – Fotos: divulgação