Corolla: detalhes do europeu que deverá ser nacional

Corolla: detalhes do europeu que deverá ser nacional

 

Um mês depois de divulgar suas primeiras fotos, o braço europeu da Toyota revela os detalhes de sua versão do novo Corolla, que algumas fontes afirmam ter sido escolhida como base para a reformulação do modelo fabricado no Brasil (a versão para os Estados Unidos teria sido preterida dessa vez, ao contrário das duas gerações anteriores).

Esta décima primeira geração do Corolla mede 4,62 metros de comprimento, 1,77 m de largura e 1,46 m de altura, o que o faz mais longo e largo que o antecessor, só que mais baixo. O entre-eixos cresceu 10 cm, para 2,70 m, em uma medida necessária para o equilíbrio estético em um carro de seu porte e que permitiu levar o banco traseiro 7,5 cm mais para trás. Houve ganho importante em aerodinâmica, com o Cx baixando de 0,29 para 0,27, e a capacidade do porta-malas aumentou para 452 litros.

 

 

Todo redesenhado, o interior não desperta paixões pelas formas retilíneas do painel, mas traz novidades como acesso e partida do motor sem uso da chave, auxílio para estacionar (o motorista controla apenas a velocidade) e duas versões de tela sensível ao toque, uma delas com navegador e ambas com câmera traseira para manobras. Os recursos de segurança incluem controle de estabilidade e sete bolsas infláveis (frontais, laterais dianteiras, cortinas e para os joelhos do motorista).

Na Europa, o novo Corolla oferece os motores a gasolina de 1,35 litro (potência de 99 cv e torque de 13 m.kgf), 1,6 litro (122 cv e 15,7 m.kgf) e 1,8 litro (140 cv e 17,6 m.kgf) e o turbodiesel de 1,4 litro (90 cv e 21 m.kgf).  Todas as unidades a gasolina têm variação de tempo das válvulas de admissão e escapamento (Dual VVT-i), enquanto a 1,6 pode ainda ter o sistema Valvematic, que varia o curso das válvulas e eleva seu rendimento a 132 cv e 16,3 m.kgf. O câmbio manual vem com seis marchas e o motor 1,8 está associado ao Multidrive S, uma caixa de variação contínua (CVT), opcional para o 1,6, que simula sete marchas quando é escolhido o modo sequencial. O 1,4 a diesel traz opção de uma manual automatizada.

 

Texto: Fabrício Samahá – Fotos: divulgação