Ford Mustang vem global com EcoBoost e até 425 cv

Ford Mustang GT 03

 

Depois de sucessivos vazamentos de imagens e ilustrações, essas são as fotos oficiais da nova geração do Ford Mustang para 2015, anunciada a tempo para a comemoração de 50 anos de história de um dos carros esporte mais famosos do mundo, em abril, nos quais foram vendidas nove milhões de unidades. O novo “pônei” chega com uma missão global, de alcançar mercados em quatro continentes, deixando para trás a oferta quase restrita aos Estados Unidos dos modelos anteriores.

O estilo europeu da parte dianteira, que remete ao de outros Fords como o Fusion, pode causar controvérsia entre os fãs, mas o conjunto é típico do Mustang, sobretudo as lanternas traseiras, que usam luzes de direção sequenciais. O perfil retoma o formato fastback e o teto está mais baixo. O conversível evoluiu no isolamento termoacústico da capota e no tempo de acionamento.

 

 

O interior modernizou-se sem perder a ligação com o passado. Novas conveniências são acesso e partida (por botão) sem uso de chave, sistema de entretenimento Sync, chave programável MyKey, sistema de áudio Shaker Pro e controlador da distância até o tráfego à frente. Um seletor de programas de condução permite alterar a resposta do acelerador, a assistência de direção, a operação do câmbio automático e a do controle de estabilidade.

 

Ford Mustang GT 10

 

Os novos tempos exigem eficiência, que a Ford obteve com a primeira aplicação de um motor EcoBoost ao modelo: uma versão específica de 2,3 litros com turbo, injeção direta e variação de tempo de válvulas, que fornece potência acima de 309 cv e torque de 41,5 m.kgf. Adeptos das motorizações tradicionais podem escolher entre o V6 de 3,7 litros, com 304 cv e 37,3 m.kgf (não disponível na Europa), e o V8 de 5,0 litros (ambos aspirados), que ganhou aprimoramentos para chegar a 425 cv e 54 m.kgf. O câmbio automático opcional traz comandos de mudanças manuais no volante.

O Mustang anterior havia resistido ao passar do tempo com o arcaico eixo rígido traseiro, abandonado apenas na versão SVT Cobra da década passada. O novo adota novas suspensões, com a traseira também independente, e oferece três pacotes de freios. Um assistente para arrancada rápida facilita despejar ao solo os mais de 300 cv.

 

Texto: Fabrício Samahá – Fotos: divulgação