Salão: Peugeot 2008 em três sabores e 208 especiais

Peugeot 2008 04

 

Salão de São Paulo 2014Quando o Peugeot 2008 foi anunciado na França, em janeiro do ano passado, já se sabia que o Brasil seria — assim como a China — outro de seus países produtores. Agora ele é mostrado no Salão de São Paulo mais perto do lançamento, previsto para o primeiro trimestre do próximo ano. Trata-se de um utilitário esporte compacto derivado da plataforma do 208, para competir no segmento de Ford EcoSport e Renault Duster, com 4,14 metros de comprimento e 1,74 m de largura. Na Europa a linha de motores inclui um três-cilindros de 1,2 litro com turbo e injeção direta, de 110 cv, mas para o modelo nacional o 1,6-litro aspirado de 115/122 cv é o mais cotado para as versões de grande volume. Em um carro exposto, porém, nota-se o logotipo THP Flex em alusão ao motor 1,6 turbo de 166/173 cv (gasolina e álcool, na ordem) que estreia na Citroën.

 

 

 

 

O 2008 está no evento também na versão Hybrid Air, recortada para exibição do peculiar sistema híbrido que combina motor a gasolina e sistema hidráulico acionado por ar comprimido. O carro opera em três modos: Air, ativo até 70 km/h (apenas a energia contida no ar comprimido faz o veículo avançar), Gasolina (usando só o motor de três cilindros e 1,2 litro) e Combinado, quando o mecanismo com ar comprimido contribui para acelerações e retomadas do motor.

 

 

Embora também chamado de 2008, o protótipo DKR guarda pouco em comum ao modelo de série. Foi desenvolvido para disputar o Rali Dakar, ao qual a Peugeot volta após 25 anos de ausência. Com tração traseira, tem motor V6 biturbo a diesel com 340 cv e 81,5 m.kgf de torque, pneus de 37 polegadas de diâmetro e suspensão de curso longo.

 

 

O 208 nacional aparece em versões específicas do evento. Acima está o 208 Natural, que segue o tema da sustentabilidade. De acordo com a marca, reúne os quatro elementos da natureza:  a terra, na pintura texturizada e nas lâminas de mármore aplicadas à carroceria; a água, de onde vieram os peixes que revestem parte do couro aplicado nos bancos e em outros detalhes do interior; o ar, que combinado com o álcool se transforma em fogo e impulsiona o funcionamento do motor.

 

 

O Urb, derivado do Griffe de produção com motor 1,6 e câmbio automático, tem rodas de 17 pol, painel em marrom, detalhes dos bancos em vinho e pedais esportivos. Está exposto com uma bicicleta elétrica EA21, que sugere a integração entre esses meios de transporte urbanos.Há ainda o 208 Quiksilver (em branco, acima) e um 308 de mesma designação, ambos com decoração mais esportiva, que devem ser produzidos em série limitada.

 

Texto: Fabrício Samahá – Fotos: autor e José Geraldo Fonseca