Salão: Citroën DS6, C4 Picasso e motor THP flexível

Citroen DS6 05

 

Salão de São Paulo 2014A Citroën vai ao Salão de São Paulo escassa em lançamentos, mas com boas atrações para ver no estande e, quem sabe, algumas delas nas ruas a médio prazo. Lançado este ano no Salão de Pequim, na China, o DS6 é o primeiro utilitário esporte da linha de luxo DS, agora marca independente. Com ligação com o conceito Wild Rubis, ele mede 4,55 metros de comprimento com 2,73 m de entre-eixos. O motor THP 1,6 turbo está disponível com 160 e 200 cv e usa caixa automática de seis marchas. Embora com tração apenas dianteira, o DS 6WR usa o dispositivo Grip Control (controle de aderência) para melhorar a tração em pisos menos aderentes.

 

 

 

 

A segunda geração da minivan C4 Picasso adota linhas ousadas, nova plataforma com redução de peso em até 140 kg e duas telas no painel (uma sensível ao toque de 7 polegadas, outra panorâmica de 12 pol). Seus recursos abrangem assistente de estacionamento, imagens de 360° ao redor do carro, controlador da distância ao veículo que vai à frente, acesso/partida sem uso de chave, tampa traseira com levantamento elétrico e comutação automática de faróis (passa de alto para baixo ao detectar veículo adiante ou no sentido oposto). O volante deixa de ter o cubo central fixo. Embora ofereça na Europa eficientes motores turbodiesel de 90 a 150 cv, caso seja importada a C4 Picasso virá com o 1,6 turbo a gasolina de 165 cv e caixa automática de seis marchas. Por enquanto, diz a marca, está sendo feito um estudo de viabilidade.

 

 

Para já, a novidade é o motor THP turbo de 1,6 litro flexível em combustível, que estreia em novembro no C4 Lounge e deve chegar a outros modelos do grupo PSA Peugeot Citroën nos meses seguintes. A potência passa de 165 para 166 cv com gasolina e chega a 173 cv com álcool. Além da versão normal de produção, está exposta uma modificada com rodas de 18 pol, defletor traseiro e outros itens esportivos (à direita).

 

 

A marca também preparou versões de exposição dos modelos à venda no Brasil. A mais chamativa é o Aircross Lunar, uma brincadeira de como seria um Citroën para uma expedição na Lua. A carroceria é toda pintada em uma cor que lembra a da superfície lunar, contrastando com o azul. As rodas de 15 pol usam pneus lameiros e o carro conta com detalhes como barras de teto, galão de combustível na traseira e protetores laterais. Uma escada permite acesso aos baús aerodinâmicos instalados no teto. As inscrições dos pneus, baús e carroceria são brilhantes no escuro. No interior os bancos são revestidos em tecido de roupa de mergulho, sendo que os encostos dos dianteiros possuem monitores.

O C3 Parisian Vintage foi inspirado no mundo da moda – não foi a primeira imersão da marca nesse ramo, já que em 2003 apareceu a série limitada Ocimar Versolato. A criação tenta combinar o rock dos anos 1970 com a estamparia pied-de-poule, aplicada nas rodas de 17 pol, capas dos retrovisores, maçanetas, teto, volante, capa do painel e tapetes. Um elemento embaixo do retrovisor feito de pingentes e uma caveira facetada em cristal preto trazem o lado rock do carro. Os bancos cinza têm padronagem inspirada nos ternos masculinos, e uma bolsa dos mesmos materiais do interior acompanha o conceito. Outro C3 exposto é o Hybrid Air, que atinge cerca de 34 km/l graças à associação de um motor a gasolina a um sistema de ar comprimido.

 

 

Na linha DS, o hatch esportivo DS3 está no estande em versão Cabrio Racing, que associa alto desempenho ao teto retrátil. Além dessa janela para o céu, entre as diferenças para o carro vendido aqui estão rodas de 18 pol com pneus 215/40, defletores em fibra de carbono e revestimento dos bancos com dois tipos de couro e camurça sintética. O motor 1,6 turbo vem mais potente, com 207 cv e 28 m.kgf, o que leva o Cabrio a acelerar de 0 a 100 em 6,5 segundos.

 

 

Há ainda o grande hatchback DS5 na série especial Faubourg Addict, com detalhes refinados de acabamento, que na Europa está disponível para toda a linha DS. Ela vem em um tom escuro de púrpura com o logotipo DS no padrão no teto e rodas especiais. O motor é o 1,6 turbo de 165 cv com câmbio automático de seis marchas.

 

Texto e fotos: Fabrício Samahá e José Geraldo Fonseca