Salão: BMW traz M4 em duas versões, M 235i, i3 e i8

Salão: BMW traz M4 em duas versões, M 235i, i3 e i8

 

Salão de São Paulo 2014O grande lançamento da BMW no Salão de São Paulo para os aficionados é o M4, esportivo em versões cupê e conversível que substitui o M3 de duas portas (agora só o quatro-portas usa tal denominação). Com estilo que sugere desempenho sem excesso nos adereços, o carro traz rodas de 19 pol, teto de fibra de carbono, bancos envolventes com o emblema da divisão esportiva M e volante de três raios.

 

 

O M4 segue a tendência de usar menos cilindros e menor cilindrada, compensados pela superalimentação. Em vez do V8 de 4,0 litros do M3 anterior, que produzia 420 cv e 40,8 m.kgf, adota um seis-cilindros em linha de 3,0 litros com dois turbos, injeção direta e o sistema Valvetronic (que controla a admissão de mistura ar-combustível pela variação de curso das válvulas). A potência de 431 cv está disponível de 5.500 a 7.300 rpm, e o torque de 56,1 m.kgf, entre 1.850 e 5.500 rpm.

 

 

Com câmbio automatizado de sete marchas e dupla embreagem e tração traseira, o M4 acelera de 0 a 100 km/h em 4,1 segundos e tem máxima limitada a 280 km/h com pacote M Driver’s. Suspensão com controle eletrônico, cardã em plástico reforçado com fibra de carbono (40% mais leve que no anterior) e rodas de alumínio forjado foram previstos.

 

 

Outro novo esportivo é o M 235i, o cupê Série 2 com o mesmo pacote de alto desempenho que originou o hatch M 135i (leia avaliação). O motor seis-cilindros em linha de 3,0 litros com turbo, sistema Valvetronic, 326 cv e 45,9 m.kgf leva-o de 0 a 100 km/h em 4,8 s com a caixa automática de oito marchas e há um assistente de arrancada rápida.

 

 

O Salão é, para a maioria, a primeira — e talvez única — oportunidade de ver os carros da submarca “i” da BMW, o compacto de propulsão elétrica i3 e o cupê esportivo com propulsão híbrida i8. O i3 combina bateria de íons de lítio, motor a gasolina de dois cilindros e 650 cm³ (34 cv) e motor elétrico de 170 cv com 25,5 m.kgf de torque imediato. Com isso, acelera de 0 a 100 km/h em 7,9 s. A autonomia em modo elétrico fica entre 130 e 200 km, mas o motor a combustão estende-a a até 300 km ao recarregar a bateria durante o uso do carro. O modelo tem célula de passageiros de plástico e fibra de carbono, faróis de leds e portas laterais traseiras com abertura inversa à das dianteiras, sem coluna central.

 

 

O esportivo i8, por sua vez, combina um motor elétrico de 131 cv e 25,5 m.kgf, capaz de máxima de 120 km/h, a um motor a gasolina de três cilindros com turbo, 231 cv e 32,6 m.kgf. Os resultados são 362 cv com os motores associados, 0-100 em 4,4 s e autonomia de 500 km com ambos os motores — ou 35 km em modo elétrico.O conteúdo abrange faróis de leds com opcional de laser (em 2015), projeção de informações no para-brisa e painel central em cerâmica. Pesa 1.490 kg. Os dois modelos admitem recarga da bateria pelo BMW i-Wallbox em cerca de três horas; já em tomadas convencionais a recarga completa leva 8 horas em 220 volts e 16 horas em 110 volts.

 

Texto e fotos: Fabrício Samahá