Salão: Renault Captur, Twizy e Fluence elétrico

 

Um carro-conceito de proposta “aventureira” e modelos de apelo ambiental estão entre os destaques da Renault no Salão de São Paulo. O Captur, que apareceu no Salão de Genebra no ano passado, tem linhas cheias de curvas e teto retrátil com estrutura em carbono, além de rodas de 22 pol. O motor a diesel de 1,6 litro tem dois turbos e 160 cv,

O Twizy é um dois-lugares a meio caminho entre carro e moto, que pesa 473 kg e pode ter a bateria recarregada em 3h30 em tomada de 220 V. A autonomia é de 100 quilômetros. Ele tem câmbio automático, painel digital e máxima de 80 km/h. Também elétrico é o Fluence Z.E., já vendido na Europa, com traseira 13 cm mais longa para permitir a instalação das baterias atrás do banco traseiro. O motor elétrico, com rotor bobinado, atinge potência de 70 kW (equivalente a 95 cv) e torque máximo de 23,1 m.kgf; usa bateria de íon de lítio.

 

 

Atração do estande para quem gosta de carros antigos é o Willys Interlagos, fabricado de 1961 em diante pela Willys Overland sob licença da Renault, com base no Renault Alpine. Pela Equipe Willys, pilotos como Bird Clemente brilharam nas pistas com o modelo. O carro exposto é uma réplica feita pelo colecionador Denisio Casarini para competir em 2013 no campeonato paulista Super Classic.

 

Texto e fotos: Fabrício Samahá