Rolls-Royce Cullinan: 2,7 toneladas de luxo em SUV

 

A Rolls-Royce apresenta o Cullinan, seu primeiro utilitário esporte, que vem competir com o Bentley Bentayga, o Range Rover Autobiography e, quando se concretizar, o SUV da Mercedes-Maybach. Em termos de estilo ele não traz surpresas: foi adaptado ao novo formato o padrão de desenho a que o grupo BMW nos acostumou desde o Phantom de 2003, incluindo as portas traseiras “suicidas”, abertas para trás. Portas não precisam ser batidas: fecham-se por um comando automático.

 

 

O interior oferece banco traseiro inteiriço ou dois individuais, estes com console central que traz geladeira e porta-champanhe. A capacidade de bagagem passa de 560 para 1.930 litros com o rebatimento do banco. Ao abrir a tampa traseira, dois pequenos bancos podem servir a eventual  piquenique. No painel de desenho simétrico, em meio a muita madeira, o quadro de instrumentos é uma tela digital e há projeção de informações no para-brisa. Outra tela, a central, é a primeira sensível ao toque em um Rolls. Os tradicionalistas ainda dispõem do controlador Spirit of Ecstasy no console. O conjunto de assistências passa por quatro câmeras externas e sistema infravermelho para visão noturna.

 

 

O Cullinan baseia-se na plataforma de alumínio do Phantom, pesa 2.660 kg e usa suspensão pneumática e rodas de 22 pol. O conhecido motor V12 de “6 litros e 3/4”, ou 6,75 litros, foi ajustado para potência de 563 cv e torque de 86,5 m.kgf, o bastante para máxima limitada a 250 km/h. Não informada, a aceleração deve ser “suficiente” para bons entendedores. Tração e direção atuam nas quatro rodas. O preço inicial para os EUA é de US$ 325 mil, mas há grande oferta de personalização para levar o valor à estratosfera, ou não seria um Rolls.

 

Texto da equipe – Fotos: divulgação