Renault fará apenas carros elétricos e utilitários na China

 

O Grupo Renault anunciou hoje sua nova estratégia para o mercado chinês, baseada em dois pilares: veículos elétricos e utilitários. Para os veículos térmicos (ou seja, com motor a combustão) de passeio, o grupo firmou um acordo preliminar com a Dongfeng Motor Corporation, para o qual transfere suas ações. As atividades da marca Renault nesse setor serão encerradas. A Renault e a Dongfeng continuarão sua cooperação com a Nissan em motores, fornecimento de componentes e licença para motores a diesel para a Dongfeng.

 

 

No mercado chinês de utilitários leves, a Renault Brilliance Jinbei Automotive (RBJAC), lançada em dezembro de 2017, é o pilar da atividade do Grupo Renault na China. A associação está modernizando os modelos Jinbei e ampliando sua gama de modelos, prevendo um total de cinco produtos principais até 2023 com planos de exportações.

 

 

Para o mercado chinês de veículos elétricos, que abrangeu 860.000 unidades vendidas em 2019, os planos do Grupo Renault preveem fortalecer a parceria com a Nissan e a Dongfeng na associação EGT New Energy Automotive, para fazer do City K-ZE (versão elétrica do Kwid, nas fotos) um carro global. A versão de produção do conceito Dacia Spring começa a ser vendida na Europa em 2021. Outra parceria dos franceses é a Jiangxi Jiangling Group Electric Vehicle (JMEV), que prevê cobrir 45% do mercado chinês de carros elétricos em 2022 com quatro modelos principais.

Texto da equipe – Fotos: divulgação