Conheça o novo Toyota Corolla para Europa, China e EUA

 

A Toyota apresenta no Salão de Guangzhou, na China, a décima segunda geração do Corolla sedã para aquele mercado (acima), igual à destinada à Europa, e revela fotos e informações da versão para os Estados Unidos (com desenho próprio, como já ocorria). O modelo europeu deverá ser seguido pelo brasileiro, que tem lançamento previsto para 2020. O Corolla para a China e a Europa mostra um desenho atualizado, mas sem revolucionar: é fácil se lembrar do carro atual ao olhar para ele, apesar dos traços mais fortes e da grade dianteira bem maior. A frente diferencia-se claramente do hatch e da perua da linha, apresentados antes.

 

 

 

Grande evolução aparece no interior: sai o painel retilíneo com jeito de anos 80 e entra um ambiente moderno, com formas suaves e a tela central de 8 pol destacada. Na versão híbrida ela mostra informações do fluxo de energia pelo sistema. Outras novidades são quadro digital de 7 pol nos instrumentos, projeção elevada de informações e carregador de telefone por indução. Os auxílios à condução incluem controlador de distância à frente, monitor frontal com frenagem automática e detector de pedestre ou ciclista, assistentes de faixa (com intervenção à direção) e de faróis e leitor de placas da via.

O modelo para os EUA (abaixo) mantém a seção central de carroceria e até os para-lamas, mas recebe faróis (com leds autodirecionais), capô, lanternas e para-choques diferentes em busca de um ar mais esportivo: é coerente com a proposta do Corolla em cada mercado, pois é um carro mais simples e acessível para os norte-americanos. Seus faróis e tampa traseira têm formas semelhantes às dos usados pelo Levin, um Corolla mais esportivo no mercado chinês; contudo, só nos EUA o emblema dianteiro da marca é aplicado ao capô.

 

 

O novo Corolla usa a plataforma TNGA GA-C, variação daquela usada pelo Prius, com vantagens sobre a anterior em rigidez estrutural (cresceu 60%), suspensão traseira (multibraço em todas as versões no lugar de eixo de torção) e centro de gravidade mais baixo. O entre-eixos permanece de 2,70 metros, mas ele agora tem 4,64 m de comprimento (mais 2 cm que antes), 1,78 m de largura (mantida) e 1,44 m de altura (menos 3 cm), além de bitolas mais largas e capô mais baixo. Rodas de 18 pol são inéditas.

 

 

O modelo europeu terá uma versão híbrida pela primeira vez, com motor de 1,8 litro a gasolina e um elétrico para 122 cv combinados, como já conhecido nos Corollas hatch e perua. Naquele continente foi mantido o 1,6 de 130 cv, com caixa manual ou automática CVT, enquanto os EUA continuam com o 1,8 de 139 cv. Mercados como o norte-americano recebem o 2,0-litros da nova série Dynamic Force com injeção direta, 169 cv e torque de 21,4 m.kgf. A CVT usa uma primeira marcha física, antes de começar o deslizamento das polias, para evitar a sensação elástica comum dessa transmissão nas saídas e simula 10 marchas.

 

Corolla (China e Europa)

 

Corolla (EUA)

 

Levin (China)

Texto da equipe – Fotos: divulgação