Novo Range Rover: mais conforto e menos 420 kg

 

A semelhança de formas na seção central da carroceria é tanta que se pode pensar que é apenas uma reestilização de frente e traseira, mas o que a Land Rover (hoje nas mãos do grupo indiano Tata) apresenta é mesmo a quarta geração do Range Rover, sucessora de um longevo modelo em produção desde 2001. Se os faróis e lanternas mais arrojados chamam atenção, pode-se notar também as linhas mais suaves da cabine, com vidros menos verticais e provável melhora em aerodinâmica.

O uso de alumínio em toda sua estrutura responde pela maior parte da grande redução de peso (nada menos que 420 kg), enquanto são novas as suspensões com molas pneumáticas e o sistema Terrain Response 2 Auto. Ao contrário do dispositivo usado hoje, ele detecta as condições do terreno e faz o ajuste automático de vários parâmetros do veículo, como suspensão, operação automática do câmbio, resposta do acelerador e acionamento de redução.

Uma bem-vinda atualização veio também no interior, que traz novidades como a opção de dois bancos traseiros individuais e mais espaço para pernas. A Land Rover anuncia o uso de motores V8 a gasolina e V6 e V8 a diesel, mas não fornece dados técnicos por enquanto. As vendas começam no início do ano que vem. Lançado em 1970, o Range Rover é considerado o primeiro utilitário de luxo.

Confira a avaliação do Range Rover que sai de produção.

 

Texto: Fabrício Samahá – Fotos: divulgação