Mercedes Classe A: semiautônomo e mais eficiente

 

A Mercedes-Benz anuncia a quarta geração do Classe A, que segue a proposta do anterior em termos de formato, mas evolui em eficiência, segurança e assistências ao motorista. O hatch cresceu 3 cm entre os eixos e ganhou bitolas mais largas. Os faróis podem ter a tecnologia Multibeam Led, com 18 leds de atuação individual por lado. O Cx melhorou para 0,25, tendo contribuído a grade frontal que só se abre quando o arrefecimento é necessário.

No interior, o painel pode ter duas telas de 10,25 pol cada uma para o quadro de instrumentos e a parte central (duas telas de 7 pol na versão mais simples). Bancos com massagem e ventilação são oferecidos. O porta-malas aumentou de 341 para 370 litros. O sistema MBUX – Mercedes-Benz User Experience usa comandos de voz com inteligência artificial, para melhor compreensão do que é dito pelo usuário.

 

 

Pela primeira vez o A oferece condução semiautônoma: segue o tráfego adiante, controlando aceleração, frenagem e direção, e auxilia o motorista a evitar uma mudança de direção arriscada. O Pre-Safe Plus aciona os freios com o carro parado na iminência de uma colisão por trás.

A linha inicial compreende três motores: o A200 agora usa um 1,35-litro turbo a gasolina desenvolvido com a Renault (163 cv e torque de 25,5 m.kgf); o A250 teve aprimorado seu 2,0-litros turbo a gasolina (224 cv e 35,7 m.kgf) e o A180 D vem com o 1,5-litro turbodiesel (116 cv e 26,5 m.kgf). O A200 traz nova caixa automatizada de dupla embreagem e sete marchas e desligamento automático de cilindros. Continuam disponíveis a tração integral 4Matic, que foi aprimorada, e controle eletrônico de amortecedores.

O novo Classe A será feito em cinco fábricas: Rastatt (Alemanha), Kecskemét (Hungria),  Uusikaupunki (Finlândia), Aguascalientes (México) e Pequim (China).

 

 

Texto da equipe – Fotos: divulgação