Volkswagen 2015: o que muda nos Estados Unidos

Golf GTI

 

A linha 2015 da Volkswagen para os Estados Unidos traz novos modelos e alterações de conteúdo aos já existentes. O Jetta, carro mais vendido da marca por lá, já foi mostrado com retoques de estilo, novos auxílios ao motorista e ganhos em eficiência. O Golf 7, que também acaba de estrear entre os norte-americanos, vem nas versões TSI turbo de 1,8 litro a gasolina, TDI turbodiesel de 2,0 litros, GTI turbo de 2,0 litros a gasolina e o elétrico E-Golf. O GTI tem 214 cv na versão normal e 224 com o pacote Performance, 6 cv a menos que na Europa em cada caso, e dá opção entre o câmbio manual e o DSG de dupla embreagem. Mais tarde em 2015 chega o Golf R, com 298 cv no motor turbo de 2,0 litros e tração integral. Os preços da linha começam em apenas US$ 18 mil.

 

 

Também ficaram para o próximo ano as estreias do novo Touareg e da Golf Sportwagen, perua derivada do Golf 7, que substitui a Jetta Sportwagen (Jetta Variant no Brasil) e adota a plataforma MQB, mais leve. Terá opção entre o 1,8 turbo a gasolina e o 2,0 turbodiesel. O mesmo motor é oferecido nos Beetles (aqui Fusca) hatch e conversível e no Passat, que nos EUA tem produção local e linhas diferentes das que vemos aqui ou na Europa. Com 150 cv (mais 10 que no anterior) e torque de 32,6 m.kgf, ele emite menos poluentes que o antigo diesel.

A gama Beetle completa-se com a edição limitada Classic, oferecida para ambas as carrocerias, com rodas de 17 pol em branco ou preto, acabamento interno exclusivo e câmbio automático. O CC muda apenas nas rodas e o conversível Eos tem seu fim de produção anunciado: a Final Edition traz o acabamento Sport com rodas de 18 pol e bancos de couro combinando preto e bege. O Tiguan recebe mais itens de série e a minivan Routan, que resultava de parceria com a Chrysler, saiu de produção.