Latin NCap confirma segurança do Onix e condena L200

 

O novo Chevrolet Onix hatchback confirmou o alto grau de segurança do sedã Onix Plus nos testes de colisão do Latin NCap, órgão independente. O hatch fabricado no Brasil ganhou cinco estrelas em proteção de adultos e ocupantes infantis e um prêmio Latin NCap Advanced Award por sua proteção a pedestres, o mesmo resultado do Onix Plus obtido há dois meses.

 

 

O Onix obteve 28,90 pontos em máximo de 34 para proteção de adultos, 44,33 pontos em máximo de 49 para passageiros infantis, 11,65 pontos em máximo de 16 para impacto frontal e 15,25 pontos (com o mesmo valor máximo) para colisão lateral. O novo hatch oferece controle eletrônico de estabilidade (ESC) e bolsas infláveis laterais dianteiras e de cortina como equipamentos de série, mesmo na versão mais barata.

 

 

De acordo com o Latin NCap, “a proteção à cabeça do motorista foi adequada, sendo a do passageiro boa. O pescoço do motorista e do passageiro recebeu boa proteção. O peito do motorista e do passageiro ganhou boa proteção dos sistemas de retenção. Os joelhos do motorista e do passageiro apresentaram proteção marginal, pois são expostos a estruturas perigosas atrás do painel. As tíbias do motorista receberam proteção marginal e adequada, e as do acompanhante, adequada e boa. A área dos pés foi considerada estável e a proteção dos pés é boa. A estrutura do habitáculo foi considerada estável”.

No impacto lateral, o Onix “proporcionou boa proteção para a cabeça, abdome e pelve e proteção adequada para o tórax”. O impacto lateral de poste apontou “boa proteção para a cabeça, abdome e pelve e proteção fraca para o peito”. O ESC foi testado e seu comportamento atende aos requisitos do Latin NCap.

 

 

O novo Chevrolet oferece sistema de aviso de uso de cinto nos bancos dianteiros e traseiro, “um equipamento muito relevante que ainda não é tão comum na América Latina”, segundo o órgão. Como o Onix hatch tem distância entre eixos diferente da do Onix Plus (sedã), depois de confirmar que ambos os carros são iguais na parte da frente até o pilar B e na plataforma, o Latin NCap avaliou o hatch em impacto lateral e considerou os resultados de proteção contra impactos frontais e de poste do sedã.

 

 

O órgão testou também o modelo reestilizado da picape Mitsubishi L200 fabricada na Tailândia, que equivale à L200 Triton Sport feita no Brasil. O modelo de lá, porém, é vendido em alguns países latino-americanos (caso do Chile) sem nenhuma bolsa inflável ou controle de estabilidade, e assim foi testada. O resultado foi muito ruim: zero estrela para a proteção de ocupantes adultos e duas estrelas para ocupantes infantis.

 

 

O relatório aponta “alta probabilidade de ferimentos com risco de vida em uma batida a apenas 64 km/h. A L200 mostrou uma estrutura instável na área dos pés. O modelo tem uma versão com cintos pélvicos (dois pontos) na posição do banco central traseiro. A proteção do ocupante criança não parece ser uma prioridade para este fabricante”. A Mitsubishi prometeu melhorar o equipamento da L200 em toda a América Latina a partir de fevereiro de 2020. “O modelo é muito popular nas frotas para empresas de mineração na região e é a picape mais vendida no Chile. A ética da Mitsubishi e de seus importadores deve ser seriamente questionada, colocando a vida das pessoas em risco”, aponta o Latin NCap.

 

Texto da equipe – Fotos e vídeos: divulgação