Opel Monza retorna, elétrico e com soluções avançadas

Opel Monza retorna, elétrico e com soluções avançadas

 

Opel Monza retorna, elétrico e com soluções avançadasA Opel revela para o Salão de Frankfurt o conceito Monza, anunciado como “o Opel de amanhã”, o que significa que seu tema de estilo deve inspirar os próximos lançamentos do braço alemão da General Motors. O nome homenageia o hatchback esportivo derivado da plataforma do Senator que foi produzido entre 1978 e 1986, com tração traseira e opção de motor de 3,0 litros e 180 cv. Portanto, um carro diferente do Chevrolet Monza fabricado aqui (Opel Ascona na Europa), mesmo que haja grande semelhança de estilo entre ambos.

 

 

O Monza conceitual é um amplo dois-volumes de 4,69 metros de comprimento com duas grandes portas que se abrem para cima, como asas de gaivota, e dão acesso aos bancos dianteiros e traseiros individuais ao mesmo tempo. O desenho futurista tem proporções esportivas, pois a altura de 1,31 metros está cerca de 15 cm abaixo da média dos carros atuais de sua categoria. O interior traz um painel com 18 projetores de leds que toma praticamente toda a largura, de porta a porta, e cujas informações podem ser escolhidas pelo motorista.

Na área de conectividade, a Opel desenvolveu os modos Me, Us e All (eu, nós e todos). Em Me a conexão ao telefone inteligente prioriza os atos de direção do carro; em Us, a comunicação com amigos e família do motorista; e em All, a ligação a todas as pessoas, o que permite até mesmo tornar pública a rota de sua viagem para facilitar que outros peguem carona no Monza. O conceito usa motor elétrico e uma unidade movida a gás natural (o novo três-cilindros de 1,0 litro que a Opel lança no Adam no mesmo evento), que serve apenas para recarregar a bateria e aumentar sua autonomia, mas a empresa não fornece mais informações da mecânica.

 

Texto: Fabrício Samahá – Fotos: divulgação