Novo BMW Série 7 inova em conforto e tecnologia

BMW Serie 7 01

 

A nova geração do BMW Série 7 faz sua estreia no Salão de Frankfurt, em setembro, com uma série de inovações técnicas e de conveniência na categoria de carros de alto luxo, que inclui Audi A8, Jaguar XJ, Maserati Quattroporte, Mercedes-Benz Classe S e Porsche Panamera. O estilo elegante e sem surpresas confirma que a fábrica de Munique não quer mais se arriscar com seu sedã mais luxuoso, como aconteceu com o controverso modelo de 2001. Os faróis básicos são de leds, com opção pelos de laser (como no i8), que alcançam até 600 metros adiante. O comprimento é de 5,098 m e o entre-eixos de 3,07 m; na versão mais longa (L), passam a 5,238 m e 3,21 m, na ordem. O Cx é excelente, 0,24 ou 0,25 conforme a versão.

No interior, a tela do sistema IDrive (até então controlado apenas por um comando no console, que permanece) passa a ser sensível ao toque e capaz de reconhecer gestos diante dela, como para ajustar o volume de áudio e aceitar ou recusar uma ligação telefônica. O celular pode ser recarregado no console por indução, sem uso de fios. Há também um sistema de estacionamento automático via controle remoto, teto com ampla área envidraçada (que recebe iluminação de leds para a sensação de um céu estrelado), luzes de cortesia na área externa junto às portas, que compõem um “tapete de boas-vindas”, e sistema de áudio Bowers & Wilkins.

 

 

Os bancos traseiros, quando pedido o pacote Executive Lounge, vêm com massagem, ventilação e regulagens elétricas; o conjunto inclui telas de entretenimento e ar-condicionado de quatro zonas. O passageiro da direita (ou da esquerda no caso de volante à inglesa) dispõe ainda de apoio para os pés e 9 cm adicionais de espaço para as pernas, o que permite reclinar seu banco até perto da horizontal.

Dentro da atual tendência de reduzir peso, a BMW deixou o Série 7 mais leve em 130 kg mediante uso de plástico reforçado com fibra de carbono em parte da estrutura, combinado a aço e alumínio. As versões de motores são:

 

BMW Serie 7 12

 

• 740i e 740Li, com motor a gasolina de seis cilindros em linha, 3,0 litros, um turbo, potência de 326 cv e torque de 45,9 m.kgf, para acelerar de 0 a 100 km/h em 5,5 e 5,6 s (na ordem) e atingir máxima de 250 km/h;

• 750i e 750Li, com um V8 a gasolina de 4,4 litros, dois turbos, 450 cv e 66,1 m.kgf, para 0-100 em 4,4/4,5 s e a mesma máxima, vindo de série com tração integral XDrive;

• 730d e 730Ld, com motor a diesel de seis cilindros em linha, 3,0 litros, um turbo, 265 cv e 63,2 m.kgf, para 0-100 em 6,1/6,2 s e a mesma máxima; com a tração integral opcional, acelera em 5,8/5,9 s.

• 740e e 740Le, um híbrido recarregável em fonte externa (plug-in), que combina um motor de quatro cilindros e 2,0 litros a gasolina com turbo, 258 cv e 40,8 m.kgf e um elétrico para potência combinada de 326 cv. Acelera de 0 a 100 em 5,6/5,7 s, alcança 240 km/h e faz 47,6 km/l pelo método europeu de cálculo para esse tipo de propulsão; pode rodar até 40 km ou chegar a 120 km/h em modo elétrico.

Em todos os casos o câmbio é automático de oito marchas. Na suspensão, todo Série 7 vem com molas pneumáticas e nivelamento automático de altura em ambos os eixos. O sistema Executive Drive Pro traz estabilizadores ativos (que atuam apenas quando necessário) e usa dados do navegador e de uma câmera estéreo para considerar irregulares na via e se antecipar nas intervenções à suspensão.

 

Texto: Fabrício Samahá – Fotos: divulgação