Ford Mondeo: três carrocerias e… motor de 1,0 litro!

Ford Mondeo: três carrocerias e... motor de 1,0 litro!

 

Se o leitor é daqueles que se irritam com o desempenho dos carros pequenos de motor 1,0-litro, o que pensaria da ideia de ter o novo Ford Mondeo (dessa vez praticamente igual ao renovado Fusion que em breve chega ao Brasil) com um propulsor dessa cilindrada e, ainda, com apenas três cilindros? Pois é o que a Ford europeia confirmou para o Mondeo 2013 como parte de sua estratégia de downsizing, a redução de cilindrada sem perda de desempenho.

Claro que o 1,0-litro do grande sedã (4,87 metros de comprimento) não será um motor qualquer. Membro da família EcoBoost, essa pequena joia usa turbocompressor, injeção direta e variação do tempo de abertura das válvulas de admissão e de escapamento, recursos que permitem obter a potência de 125 cv e o torque de 17,3 m.kgf (ou 20,4 m.kgf durante o aumento temporário de pressão do turbo) a meras 1.450 rpm. Com esses predicados, o 1,0-litro substitui com vantagens o 1,6 aspirado de 120 cv, similar ao Sigma de nossos Fiesta e Focus, que equipava o Mondeo até agora.

O novo modelo mantém as três opções de carroceria do anterior: sedã de quatro portas, hatchback de cinco (ambos com o mesmo perfil, mas diferenciados pelo acesso ao porta-malas) e perua, sendo que os dois últimos acabam de ser apresentados. Ao lado do motor 1,0-litro, novidades em termos técnicos são a versão híbrida com motor de 2,0 litros e bateria de íon de lítio, o primeiro Ford desse tipo para a Europa, e a perua com tração integral e motor turbodiesel.

 

Texto: Fabrício Samahá – Fotos: divulgação