Ford, Mercedes e Monteverdi têm antigos em Genebra

Não são muitos, mas há interessantes carros antigos expostos no Salão de Genebra, tanto em estande de grande fábrica quanto em espaços menos destacados. Confira os que localizamos no material fotográfico do evento.

 

Ford

A marca do oval lança o novo Fiesta, incluindo a versão ST de 200 cv, e aproveitou para contar um pouco de sua história em esportivos e carros de corrida. Há um Fiesta XR2 da segunda geração, que usava motor de 1,6 litro e 96 cv; um Escort de corrida da primeira série, que venceu em 1995 o Rali Londres-México (havia sido ganhador da mesma prova em 1970); e um Focus WRC 1999 do Campeonato Mundial de Rali.

Aparece também o Ford GT40 original, que venceu por quatro vezes consecutivas a 24 Horas de Le Mans de 1966 a 1969, desbancando a Ferrari. O clássico é pano de fundo para o novo supercarro GT com motor V6 de 656 cv.

 

 

Mercedes-Benz

A Brabus não é reconhecida apenas por preparações: a empresa alemã tem a divisão de restauração Classic que deixa os antigos Mercedes como novos, senão melhores. Entre os exemplares de Genebra está um 300 SL cupê com portas “asas de gaivota”, que usava motor de seis cilindros, 3,0 litros e 215 cv e podia alcançar 220 km/h. Outro é um conversível 280 SL da série Pagoda, com motor de seis cilindros, 2,8 litros e 170 cv.

 

Monteverdi

Uma das poucas fábricas suíças de automóveis que ganharam relevo na história, a Monteverdi (1967-1984) está representada por três modelos. O conversível 375 C, feito de 1967 a 1970, foi desenhado pelo estúdio Frua e teve carrocerias construídas pela Fissore. O motor era um Chrysler V8 de 7,2 litros e 375 cv, potência bruta que lhe deu o nome. O cupê 375 L, produzido de 1967 (como 375 S) a 1976, tinha 2+2 lugares, linhas mais retas e o mesmo motor, que permitia máxima de 250 km/h.

Depois que a empresa fechou, houve entre 1992 e 1995 uma tentativa de retorno com o Hai 650 F1, com motor Ford V8 de 3,5 litros e 658 cv, uma unidade de Fórmula 1 despotenciada. A previsão era de 0-100 km/h em cerca de 3 segundos. Só saíram dois protótipos.

 

Texto: Fabrício Samahá – Fotos: divulgação