Ford F-150: picape renovada vem híbrida e semiautônoma

 

A Ford F-150 ganha uma ampla reestilização, versão híbrida e evoluções técnicas no modelo 2021, a primeira grande alteração desde que o modelo atual foi lançado em 2014. A picape mais vendida dos Estados Unidos há 43 anos (incluindo na conta as séries mais pesadas, da F-250 em diante) recebeu nova aparência em todos os painéis da carroceria de alumínio, caso dos para-lamas com um abaulamento mais suave ao redor das rodas. Os faróis perdem o formato de “C” e há 11 opções de grade, dotadas de persianas ativas (abrem-se apenas quando a admissão de ar é necessária).

 

 

 

O interior redesenhado mostra a nova central de áudio Sync 4 com tela de 12 polegadas, conexão sem fio para Apple Car Play e Android Auto e várias funções simultâneas. Outra tela de 12 pol serve aos instrumentos. Um apoio retrátil permite trabalhar em um computador de 15 pol ou desfrutar de uma refeição quando estacionado, dobrando-se no console quando não desejado. Outras novidades são bancos reclináveis a quase 180 graus, com o assento subindo para encontrar o encosto, e orientação para acoplar reboque (como na linha Super Duty) com câmeras de alta resolução e gráficos na tela.

 

 

Chamada de Powerboost, a mecânica da F-150 híbrida combina o motor V6 turbo de 3,5 litros a gasolina a um motor elétrico de 47 cv integrado à transmissão automática de 10 marchas. Embora a Ford ainda não tenha divulgado a potência combinada, anuncia capacidade de rebocar 5,5 toneladas e autonomia de mais de 1.100 km por tanque. A frenagem regenerativa ajuda a recarregar a bateria de íons de lítio de 1,5 kWh, que pode gerar energia para trabalho, acampamento ou recarga de ferramentas com saída de até 7,2 kW e tomada de 240 volts e 30 amperes.

 

 

 

Conveniências da nova F-150 abrangem sistema de áudio Bang & Olufsen com até 18 alto-falantes (alguns no teto e nos encostos de cabeça dianteiros), frenagem autônoma de emergência com detecção de pedestres, câmera integrada ao retrovisor e assistentes de faróis e de estacionamento. Ela pode vir habilitada para condução semiautônoma sem as mãos no volante em mais de 160 mil km de rodovias nos EUA e Canadá. Uma câmera voltada para o motorista rastreia seu olhar para permitir a condução sem as mãos, mas prestando atenção à estrada. O uso da função deve ser liberado só no terceiro trimestre de 2021.

Texto da equipe – Fotos: divulgação