Ford Bronco, Mustang Mach 1 e Ranger Black vêm em 2021


A Ford anuncia três lançamentos no Brasil para 2021: o jipe Bronco, o esportivo Mustang Mach 1 e a edição Ranger Black. Os planos da marca para a América do Sul incluem um investimento de US$ 580 milhões para fabricar a nova geração da Ranger na Argentina, com lançamento programado para 2023.


A Ford não detalhou se o mercado brasileiro receberá apenas o jipe Bronco (que compete com o Jeep Wrangler), só o utilitário esporte Bronco Sport ou ambos os modelos. O Bronco (acima) tem inspiração de estilo no jipe de 1965, mas é moderno por dentro, com central de áudio Sync 4 com tela de 12 pol, câmeras de 360 graus e seletor de modos de terreno com sete programas.


As portas podem ter uma seção transparente e são facilmente removidas. O modelo de duas portas tem capota rígida de três seções, também de fácil remoção, e o de quatro portas vem com teto de lona de quatro seções removíveis ou teto rígido.


O Bronco usa chassi separado da carroceria, suspensão dianteira independente e traseira de eixo rígido. Ele oferece dois motores Ecoboost a gasolina com turbo: de quatro cilindros e 2,3 litros, com 270 cv e torque de 42,8 m.kgf, e V6 de 2,7 litros com 310 cv e 55,3 m.kgf. A transmissão pode ser manual de sete marchas, apenas para o 2,3, ou automática de 10 marchas. Ambos os sistemas 4×4 incluem reduzida.


O Bronco Sport (acima e abaixo), por sua vez, é um SUV de quatro portas mais curto que o Bronco da mesma configuração, com estrutura monobloco. Oferece recursos como teto solar, assistências de faixa e de faróis e controlador de distância.


Os motores do Bronco Sport são menores, também Ecoboost com turbo: de três cilindros e 1,5 litro, com 184 cv e 26,2 m.kgf, e de quatro cilindros e 2,0 litros com 248 cv e 38 m.kgf, ambos com transmissão automática de oito marchas.


Na linha Mustang, o Mach 1 se posiciona entre o GT e o Shelby GT 350. O motor V8 aspirado de 5,0 litros fica mais potente que o do GT (480 cv ante 466 cv) e com mais torque (58 m.kgf contra 56,7 m.kgf) com o uso de componentes Ford Performance, caso do coletor de admissão. Os índices são os mesmos da versão Bullitt.


O Mach 1 vem com a transmissão manual de seis marchas do GT 350, com opção pela automática de 10 marchas, e suspensão Magne Ride com controle eletrônico recalibrado. A frente traz nova grade com falsos alojamentos de faróis auxiliares (no mesmo ponto onde havia faróis no modelo de 50 anos atrás) e defletor que produz força descendente.


Há mais itens em preto, como retrovisores e aerofólio, e novas rodas de alumínio de 19 polegadas em dois modelos com tala mais larga na traseira que na frente. O carro vem com faixas em preto e oferece uma cor cinza exclusiva. O interior recebe aplique de alumínio no painel, novas soleiras de porta e emblema com o número da unidade na série.


Por sua vez, a Ranger Black é uma versão da picape voltada ao uso urbano, com estilo sofisticado. Se seguir a proposta do conceito do Salão de São Paulo de 2018 (acima), terá nova grade dianteira e rodas escuras. Outra Ranger conceitual daquele evento, a Storm, tornou-se versão de produção este ano.

Texto da equipe – Fotos: divulgação