Fiat 500 3+1: miniporta traseira para o pequeno elétrico


Em 2004 a Fiat apresentou um conceito chamado Trepiùno (veja-o na página 3 deste artigo), nome derivado de tre più uno ou 3+1 em italiano. A ideia era que o carrinho, de tão pequeno, pudesse levar um adulto atrás do passageiro da frente e uma criança atrás do motorista, assim como se chamam 2+2 os carros aptos a transportar duas crianças no banco traseiro.


Aquele conceito resultou no Fiat 500 de produção em 2007. Agora, a numeração 3+1 reaparece em uma versão do novo 500, mas não se referindo a lugares e sim a portas: além das duas laterais e do hatch traseiro, o 500 3+1 oferece uma miniporta do lado direito, articulada para trás e sem coluna central, como aquela oferecida na Fiat Strada brasileira de cabine dupla da geração anterior.


A maior facilidade de acesso, seja para o ocupante, seja para colocar uma criança em sua cadeirinha ou um volume no banco traseiro, adicionou apenas 30 kg ao Fiat 500. A miniporta só pode ser aberta com a porta da frente já aberta. A novidade inclui a edição de lançamento La Prima, que traz faróis de leds, rodas de 17 polegadas, controlador de distância à frente, assistente de faixa, ar-condicionado automático, central de áudio com tela de 10,25 pol e carregador de celular por indução.


A versão 3+1 está disponível apenas para o Fiat 500 elétrico. A versão mais barata Action usa motor de 70 kW ou 95 cv e acelera de 0 a 100 km/h em 9,5 segundos. A bateria de íons de lítio resulta em autonomia de 180 km no ciclo WLTP ou 240 km em cidade. Nas versões Passion, Icon e La Prima o motor é mais potente (87 kW ou 118 cv), para 0-100 em 9 segundos, e a bateria de maior capacidade permite autonomia de 320 e 460 km, na ordem.

Texto da equipe – Fotos: divulgação