Dodge Charger Daytona remete ao clássico da Nascar

 

Nos áureos tempos dos “carros musculosos”, Daytona era a versão do Dodge Charger desenvolvida para competir na Nascar em 1969, com um tratamento aerodinâmico (frente longa, aerofólio traseiro bem alto) que logo foi penalizado pelo regulamento por meio de restrição de cilindrada. Mas o carisma daquele carro de corrida, dotado de motores V8 de 7,0 e 7,2 litros em sua versão de rua, foi tal que a Chrysler não hesitou em voltar a usar seu nome em uma edição do Charger moderno, produzida entre 2006 e 2009.

 

 

No Salão de Los Angeles, a série especial Daytona ressurge para o sedã esportivo fabricado no Canadá. Limitada a 2.500 unidades, ela pode ser aplicada às versões R/T e R/T Road & Track, sempre com motor Hemi V8 com potência de 370 cv e caixa de câmbio automática. O pacote inclui rodas de 20 pol com acabamento polido, grade dianteira e seções do capô em preto, logotipos Daytona nas laterais e nos encostos dos bancos, que são revestidos em tecido no R/T e em couro no Road & Track. Sistema de áudio de 550 watts com a interface  UConnect e alavancas no volante para trocas manuais de marcha são de série no Daytona.

 

Texto: Fabrício Samahá – Fotos: divulgação