Citroën C3 europeu: grade brasileira e novos motores

Citroën C3 europeu: grade brasileira e novos motores

 

O Citroën C3 vendido na Europa passa a ter o mesmo desenho frontal do brasileiro, com uma estreita grade entre os faróis, a partir do lançamento no Salão de Genebra. A alteração rejuvenesce a segunda geração do modelo, lançada por lá há quatro anos, e o deixa coerente com os carros mais recentes da marca do duplo chevron. Apesar de iguais na aparência externa, o nosso e o deles permanecem diferentes em alguns aspectos.

 

 

Por dentro, o europeu mantém o painel diferente (o mesmo do DS3), que abre espaço para a colocação de uma tela do navegador e da câmera traseira de manobras abaixo dos difusores de ar, em vez de no topo. Novidade sob o capô é a linha de motores Pure Tech de três cilindros, com versões de 1,0 e 1,2 litro, que fornecem potência de 68 e 82 cv, na ordem, e consomem cerca de 25% menos que os anteriores: o de 1,0 litro faz 23,2 km/l na média dos ciclos europeus. Estão no catálogo também o VTi 120 de 1,6 litro (o mesmo do Mini Cooper, sem relação com o EC5 usado aqui), com alternativa de câmbio automatizado, e cinco opções a diesel com turbo, de 70 a 115 cv.

 

Texto: Fabrício Samahá – Fotos: divulgação