Chevrolet Cruze 2015 muda visual e aprimora câmbio

Chevrolet Cruze hatch 2015 01

 

A Chevrolet lança o Cruze hatch e o sedã para 2015 com alterações visuais e revisões técnicas, como apresentados em outubro no Salão de São Paulo. Os dois modelos ganham frente com novos para-choque e grade, além de luzes diurnas de leds sobre os faróis de neblina, e rodas de 17 pol redesenhadas nas versões LT e LTZ. O desequilíbrio estético entre a grade de cantos arredondados e os faróis retilíneos deixa à mostra o que mudou e o que foi mantido. O interior recebeu itens como levantamento automático de vidros ao travar as portas pelo controle remoto, acionamento do motor por tecla no chaveiro e a opção de revestimento interno em dois tons de couro, preto e marrom, para o LTZ.

 

 

O conteúdo de série não muda. A versão LT vem com controles eletrônicos de tração e estabilidade, bolsas infláveis laterais, sistema Isofix para a fixação de cadeiras infantis, ar-condicionado automático, retrovisor interno fotocrômico, sistema multimídia com Bluetooth e comando por voz e rodas de alumínio de 17 pol. A LTZ adiciona bancos de couro, faróis e limpador de para-brisa automáticos, câmera de auxílio a manobras, navegador, cortinas infláveis e acesso/partida sem uso de chave. Há pacotes LT2 e, só para o sedã, LT3. Os preços são: hatch LT, R$ 70.400; LT2, R$ 77.100; LTZ, R$ 86.400; sedã LT, R$ 73.500; LT2, R$ 77.100; LT3, R$ 79.100; e LTZ, R$ 87.300.

O motor de 1,8 litro e 16 válvulas permanece inalterado em potência e torque, com 140 cv e 17,8 m.kgf com gasolina e 144 cv e 18,9 m.kgf com álcool, mas houve recalibração eletrônica a fim de atender às queixas de consumo elevado. Também é anunciada evolução para o câmbio automático de seis marchas, agora capaz de efetuar as trocas em metade do tempo e de realizar reduções duplas e triplas. A GM anuncia redução de 1,2 segundo na aceleração de 0 a 100 km/h, agora em 10,2 s com álcool (10,9 s com gasolina), o que nos parece um tanto otimista para um carro sem qualquer aumento de potência ou torque e, aparentemente, indica que o câmbio anterior prejudicava muito seu desempenho.

 

Texto: Fabrício Samahá – Fotos: divulgação