BMW Série 4 mostra grande estilo, não fosse a grade

 

A BMW bem que nos avisou: em setembro revelou o novo Série 4 como conceito com um desenho controverso (politicamente correto para “nós detestamos”) da dupla grade dianteira, um tanto alongada na vertical. Parece que alguém em Munique adorou a ideia, pois ela foi transposta sem mudanças ao modelo de produção.

 

 

 

Não fosse pela grade, que fica menos pior com a placa de licença sobre ela, o estilo do novo cupê seria irrepreensível, com linhas suaves e para-lamas “musculosos” na medida certa para sugerir um corpo atlético. Os para-choques usam desenhos diferentes entre as versões normais e as com pacote M Sport (fotos). Com base na plataforma CLAR, o carro está maior em todas as medidas que o antecessor. Comparado ao Série 3 sedã de hoje, ele tem mais 25 mm de largura e 56 mm de comprimento, mas 56 mm a menos em altura e o mesmo entre-eixos. Como antes, as janelas das portas não têm moldura.

 

 

 

A linha europeia inclui as versões 420i com motor turbo a gasolina de 184 cv, 430i com 258 cv e 420D com um turbodiesel de 190 cv, que pode vir com tração integral. Mais tarde haverá dois mais potentes a diesel: 430D de 286 cv e M440D de 340 cv, ambos com seis cilindros. O topo de linha é o M440i X-Drive com um seis-em-linha turbo de 3,0 litros e 374 cv e tração integral, que acelera de 0 a 100 km/h em 4,7 segundos com velocidade máxima limitada a 250 km/h. Transmissão automática de oito marchas é padrão na linha. Um sistema híbrido de 48 volts acrescenta 11 cv de auxílio elétrico, mesmo em motores a diesel.

 

 

Ainda este ano a BMW deve apresentar o novo Série 4 conversível, com capota de tecido em vez do teto rígido atual, em busca de menor complexidade e maior espaço para bagagem. A estrela da linha, claro, será o novo M4. Espera-se o mesmo motor de 3,0 litros do X3 M e do X4 M com escolha entre 480 e 510 cv, esta a potência da versão Competition. Pela primeira vez o cupê esportivo (assim como o M3 de quatro portas) terá tração integral, como no atual M5. É provável que uma caixa automática de oito marchas substitua a de dupla embreagem do modelo atual, mantendo a opção da manual de seis marchas.

Texto da equipe – Fotos: divulgação