BMW M prevê fim de dupla-embreagem e manual

 

Transmissões manuais e automatizadas de dupla embreagem (DCTs) estão com os dias contados na divisão M da BMW, revelou o vice-presidente de vendas e marketing da M, Peter Quintus, à revista australiana Drive. De acordo com o executivo, “a DCT tinha duas vantagens: era leve e suas velocidades de mudança de marcha eram maiores. Agora, muito dessa segunda vantagem desapareceu enquanto as caixas automáticas ficam melhores e mais inteligentes”.

 

 

De fato, a concorrente Audi seguiu na mesma direção com o S4, que adotou uma automática tradicional de oito marchas no lugar da DCT S-Tronic. Outra adversária, a Mercedes-AMG, tem permanecido fiel à automática nos modelos maiores, embora use DCT em menores como o A45 e o CLA45.

No caso da transmissão manual, a declaração de Quintus não se refere apenas à questão de emissões de CO2, que pode ser mais bem controlada pelo fabricante com caixas automatizadas e automáticas: o principal fator seria a limitação de resistência das manuais, que não suportaria ir além da faixa de 450 cv e 61,2 m.kgf (600 Nm de torque) sem riscos à durabilidade.

 

M2

 

M3 e M4

Texto da equipe – Fotos: divulgação