Audi A8 autônomo de nível 3 pode não sair do papel

 

O sistema de condução em nível 3 de autonomia, que deveria ser um dos destaques do Audi A8, pode não chegar ao mercado ainda na atual geração. O chefe de desenvolvimento técnico da Audi, Hans-Joachim Rothenpieler, declarou à Autonews Europe que a empresa não terá tempo suficiente para garantir a confiabilidade do sistema autônomo Traffic Jam Pilot (piloto de congestionamento, em tradução livre) para implantação no A8, que está em produção desde 2018. O nível 3 de autonomia indica que a tecnologia permite ao motorista desviar os olhos da estrada.

 

 

 

“Atualmente, não existe uma estrutura legal para a condução autônoma de nível 3 e não é possível homologar essas funções, em qualquer lugar do mundo, em um carro de produção em série”, explicou Rothenpieler. Segundo fontes ligadas à Audi, os advogados da empresa alertaram os executivos de que oferecer o nível 3 pode ter consequências jurídicas, no caso de os motoristas não assumirem o comando quando o carro requisitar, pois o fabricante pode ser responsabilizado em caso de acidente.

 

 

As tradicionais concorrentes BMW e Mercedes-Benz também desenvolvem sistemas autônomos de nível 3, previstos para estrear nos modelos iNext e Classe S, na ordem, mas a Volvo já declarou que falta segurança para adotar esse patamar de tecnologia por enquanto. Para a Audi, o caminho mais provável é manter a evolução dos sistemas de assistência de nível 2, que requerem atenção permanente do motorista e não implicam responsabilidade do fabricante em caso de acidente.

Texto da equipe – Fotos: divulgação