Audi A3 sedã vem elegante e com versão S3 de 300 cv

 

A Audi escolheu o Salão de Nova York, nos Estados Unidos (país que prefere sedãs a hatches, como exemplifica o fato de o VW Jetta vender mais por lá que o Golf), para apresentar a primeira versão de três volumes do A3. Embora o sedã tenha sido o primeiro A3 da terceira geração a surgir como conceito, ainda em 2011, seu lançamento ficou para a fase final, depois dos hatches de três e cinco portas e do esportivo S3.

 

 

Com 4,46 metros de comprimento e 2,64 m entre eixos, o A3 sedã fica distante o suficiente do A4 em preço. O novo concorrente do Mercedes-Benz CLA conseguiu um estilo harmonioso e é o primeiro modelo na categoria a oferecer a opção de faróis baseados em leds. No interior, um destaque é o sistema de entretenimento MMI com tela de 7 pol, toca-DVDs, comando de voz, disco SSD de 64 GB para armazenar conteúdos, acesso a funções da internet e uma tela de comando no console similar ao mouse dos computadores portáteis. Um sistema de áudio Bang & Olufsen com 705 watts e 14 alto-falantes também está disponível. O porta-malas tem capacidade algo modesta, 425 litros.

 

 

Na Europa, os motores iniciais do A3 sedã são de todos de quatro cilindros com turbo e injeção direta: de 1,4 litro com potência de 140 cv e torque de 25,5 m.kgf, de 1,8 litro com 180 cv e o mesmo torque, e turbodiesel de 2,0 litros com 150 cv e 32,6 m.kgf. A tração é sempre dianteira e há opção entre caixa manual e a automatizada S-Tronic de dupla embreagem. Os recursos de segurança abrangem controle de distância do tráfego adiante, reconhecimento de placas de trânsito e prevenção de colisão frontal que aciona os freios e prepara o carro para maior proteção.

Pouco depois será lançado o esportivo S3 sedã, com motor turbo a gasolina de 2,0 litros, 300 cv e 38,8 m.kgf, associado a tração integral. A Audi anuncia 0-100 em 4,9 segundos com câmbio S-Tronic ou 5,3 s com o manual, ambos limitados a 250 km/h de máxima. Suspensão 25 mm mais baixa, rodas de 18 pol, suspensão com ajuste de amortecimento e visual mais ousado compõem o conjunto.

 

Texto: Fabrício Samahá – Fotos: divulgação