O que os donos adoram e detestam no Jeep Compass

Estilo, conforto e acabamento do SUV são alvos de elogios; consumo do motor flexível é o grande vilão

Texto: Fabrício Samahá – Fotos: divulgação

 

A versátil plataforma lançada no Jeep Renegade, e depois aproveitada pela Fiat Toro, não se limitou a esses dois modelos do grupo FCA: serviu também ao utilitário esporte médio Compass da Jeep, lançado em 2016 e já com boa presença no mercado de usados. Para você saber o que agrada os donos de Compass, o que pode melhorar e os defeitos mais comuns, o Best Cars preparou um Guia de Compra a partir das opiniões emitidas no Teste do Leitor — espaço no qual aguardamos seu relato sobre o carro que dirige.

O Compass estreou em versões Sport, Longitude, Limited e Trailhawk. As três primeiras usavam um motor flexível de 2,0 litros inédito no Brasil, com potência de 159 cv com gasolina e 166 com álcool, associado a transmissão automática de seis marchas e tração dianteira. A Longitude podia vir com motor turbodiesel de 2,0 litros e 170 cv, nove marchas na caixa automática e tração integral sob demanda — conjunto mecânico de série na versão Trailhawk, dotada de alterações técnicas para melhor comportamento fora de estrada.

 

O Compass oferece bons itens de conveniência mesmo na versão mais acessível, a Sport; por algum tempo ela pôde ser combinada a tração 4×4 (fotos menores)

 

O Compass Limited recebia opção de motor turbodiesel na linha 2018, que também trazia mais equipamentos de série, opções inéditas e central de áudio compatível com Android Auto e Apple Car Play. O Sport podia combinar motor flexível, tração 4×4 e caixa de nove marchas e em seguida aparecia a edição especial Night Eagle, disponível com ambos os motores. O Compass 2019 ganhava a edição S, com muitos equipamentos e o motor turbodiesel, e novos itens de série em diversas versões, processo repetido na linha 2020.

 

 

Bonito e confortável, mas o motor…

Na análise das opiniões de proprietários no Teste do Leitor, o item elogiado com mais frequência no Jeep Compass é o estilo (60% dos relatos), seguido de perto por posição de dirigir/conforto (54%). Na sequência aparecem acabamento com 37%, itens de conveniência com 34%, espaço interno e consumo do motor a diesel (26% cada). Vale notar que versões assim motorizadas eram 31% do universo da pesquisa, ou seja, dentro desse grupo o item foi citado por 84%.

Para Gustavo Spínola Amaral Melo, de Governador Valadares, MG, dono de um Compass Sport flexível 2019, “conforto e suspensões são o forte. Bem estável em curvas, bom acabamento, design imponente. Mimos como chave presencial, partida por botão, ar de duas zonas, sensores de pressão dos pneus, central com Android Auto e freio de estacionamento eletrônico”.

 

No Longitude o motor de 2,0 litros pode ser flexível ou turbodiesel, este vinculado à tração 4×4; como nos outros Compass, mais equipamentos vieram com o tempo

 

Marconi Barbosa Silva, de Redenção, PA, tem um Compass Longitude 4×4 turbodiesel 2019 e acrescenta: “Acabamento raro hoje em dia em carro nacional. Robustez: pego muita estrada pelo Pará e região Centro-Oeste. Cumpre muito bem a função e aguenta muita pancada. Não é SUV de shopping. Suspensão alta e na medida (versão Diesel), passa em qualquer enchente, quebra-molas e desníveis. É fácil fazer 13-14 km/l na estrada andando bem. Motor e câmbio bem casados. Bem silencioso”.

 

Com mais atributos que pontos falhos, o Jeep Compass obteve muita satisfação de 74% dos donos, percentual mediano nas pesquisas com SUVs e sedãs médios

 

Entre os pontos negativos do Compass, um sobressai: o consumo com motor flexível, apontado por 40% dos donos. Aqui também vale um cálculo: entre os carros com essa motorização (69% do total da pesquisa), a menção aparece em 58% dos relatos. Nas mesmas versões há crítica ao defletor do para-choque dianteiro, que raspa facilmente em lombadas e guias ao estacionar, por 23% do total de donos — mesmo percentual da crítica à dotação de bolsas infláveis, sendo apenas as frontais de série em algumas versões. Ainda, 20% reclamam do som elevado de ativação do alarme.

 

O acabamento Limited é o mais luxuoso do Compass, com maior dotação de conforto e segurança; o motor a diesel tornou-se disponível para ele em 2018

 

“A saia sob o para-choque raspa em valetas e faz um barulhão danado de feio nessa hora. Parece que quebrou tudo! Consumo é bem alto. Não adianta em perímetro urbano ter pé leve. A bicha bebe mesmo! Que tal um downsizing com turbo, Jeep?”, questiona Miguel Ângelo Pietrobon de Araújo, de Brasília, DF, dono de Compass Limited flexível 2018. Com versão igual, mas 2017, Joana Galinski (de Curitiba, PR) observa: “Motor fraco que consome muito. Na cidade meu carro faz entre 4,5 e 5 km/l com gasolina. O grande erro da Jeep foi não ter lançado esse carro com motor turbo”.

 

 

O Jeep Compass é um SUV com baixa incidência de defeitos: o mais frequente — ruídos internos — aparece em 14% dos relatos, seguido por problemas diversos na central de áudio (11%). Outros defeitos foram citados por apenas 6% dos donos: disparo indevido do alarme e defeito na tomada USB do áudio.

Marconi Barbosa Silva, citado acima, relata: “O Android Auto ficava desconectando toda hora do nada. Com uma atualização melhorou. A central multimídia não quis ligar num dia e no outro travou na tela. Desligando o carro e esperando um pouco voltou ao normal. Ruídos na coluna B, parecendo caixinha de som estourada, mas não é. Parece um defeito crônico nos alto-falantes do painel, que requer uma manta acústica para isolar o barulho”.

 

Motor a diesel e tração 4×4 vêm de série no Compass Trailhawk, que traz suspensão mais alta e outras alterações voltadas ao uso fora de estrada

 

Com mais atributos que pontos falhos, o Jeep Compass obteve muita satisfação de 74% dos donos, percentual mediano em nossas pesquisas com SUVs. Ficou bem atrás do “irmão menor” Renegade (90%), mas à frente de Ford Ecosport (58%) e o antigo Renault Duster (56%), todos eles de segmento inferior em tamanho e valor. Para melhor análise dentro de sua faixa de preço, entre os sedãs médios houve carro com melhor índice (o Volkswagen Jetta anterior com 83%) e outros com pior marca (antigo Toyota Corolla com 73%, Ford Focus com 69%, Nissan Sentra com 62%).

Nota positiva é a aprovação da rede de concessionárias, que deixou 60% dos participantes muito satisfeitos. Ficou próxima das avaliações de Renegade (63%), Corolla (59%) e Ecosport (58%) e bem superior às de Sentra (48%), Duster (30%), Focus (27%) e Jetta (26%). Vale lembrar que os índices, obtidos na fase anterior do Guia de Compra, podem ser diferentes da situação atual de cada modelo.

Mais Guias de Compra

 

Satisfação com o carro

Muito satisfeitos74%
Parcialmente satisfeitos23%
Insatisfeitos3%
Pesquisa com 35 donos

 

Satisfação com a rede de concessionárias

Muito satisfeitos60%
Parcialmente satisfeitos31%
Insatisfeitos9%
Não usam0
Pesquisa com 35 donos

 

 

Ficha técnica

Compass Longitude FlexCompass Longitude Diesel 4×4
Motor
Posiçãotransversaltransversal
Cilindros4 em linha4 em linha
Comando de válvulasduplo no cabeçoteduplo no cabeçote
Válvulas por cilindro4, variação de tempo4
Diâmetro e curso88 x 82 mm83 x 90,4 mm
Cilindrada1.995 cm³1.956 cm³
Taxa de compressão11,8:116,5:1
Alimentaçãoinjeção multiponto sequencialinjeção direta, turbocompressor e resfriador de ar
Potência máxima159/166 cv a 6.200 rpm*170 cv a 3.750 rpm
Torque máximo19,9/20,5 m.kgf a 4.000 rpm*35,7 m.kgf a 1.750 rpm
Transmissão
Tipo de caixa e marchasautomática, 6automática, 9
Traçãodianteiraintegral
Freios
Dianteirosa disco ventiladoa disco ventilado
Traseirosa discoa disco
Antitravamento (ABS)simsim
Direção
Sistemapinhão e cremalheirapinhão e cremalheira
Assistênciaelétricaelétrica
Suspensão
Dianteiraindependente, McPherson, mola helicoidal
Traseiraindependente, McPherson, mola helicoidal
Rodas
Dimensões7 x 18 pol7 x 18 pol
Pneus225/55 R 18225/55 R 18
Dimensões
Comprimento4,416 m4,416 m
Largura1,819 m1,819 m
Altura1,638 m1,645 m
Entre-eixos2,636 m2,636 m
Capacidades e peso
Tanque de combustível60 l60 l
Compartimento de bagagem410 l410 l
Peso em ordem de marcha1.541 kg1.717 kg
Desempenho e consumo
Velocidade máxima188/192 km/h*194 km/h
Aceleração de 0 a 100 km/h10,9/10,6 s*10,0 s
Consumo em cidade8,1/5,5 km/l*9,8 km/l
Consumo em rodovia10,5/7,2 km/l*11,4 km/l
Dados do fabricante; *gasolina/álcool; consumo conforme padrões do Inmetro