Curiosidades: os animais dão nome a muitos automóveis

Felinos, bovinos, cavalos, aves e até peixes foram a inspiração para a indústria denominar seus carros

Texto: Fabrício Samahá – Fotos: divulgação

 

De onde vem o nome do seu carro? Explicamos a origem de vários deles há três anos em um vídeo de sucesso, mas esse interessante tema merece ser revisitado. Começamos aqui uma série que separa os nomes em categorias, iniciada pelos animais. A cada quinzena teremos um novo tema. Acompanhe!

 

Tigre no idioma indonésio é a origem do nome Macan (em cima); a DeTomaso escolheu Pantera (à esquerda) e o Bagheera da Matra inspirou-se no felino de Mogli

 

Felinos talvez sejam a categoria mais numerosa. Macan, do SUV da Porsche, vem da palavra indonésia para tigre. Panther, pantera em inglês, foi usado por uma marca inglesa de esportivos. Pantera, no caso em italiano, denominou um carro esporte da De Tomaso por mais de 20 anos. A francesa Matra fez o esportivo Bagheera — nome da pantera da história de Mogli, o menino criado por lobos. Leon, leão em espanhol, foi aplicado pela Seat em um hatch médio e a inglesa Sunbeam fez o Tiger (tigre). E não se pode esquecer o Jaguar, embora seja marca e não modelo.

 

 

O cupê Cougar (foto maior) e o compacto Puma (à esquerda) foram Fords com nomes de felinos, assim como o esportivo Puma brasileiro (à direita)

 

Cougar é o nome em inglês do puma, usado desde os anos 60 pela Mercury, divisão da Ford norte-americana; outros da marca eram o Bobcat, o Lynx (nomes em inglês para o lince) e o Sable (zibelina, um tipo de marta). Na Europa os cupês Puma, menor, e Cougar, maior, foram vendidos em paralelo pela Ford nos anos 90 e o primeiro nome foi retomado há pouco em um compacto. Também existiu o Puma brasileiro, esportivo com uma série de motor Volkswagen arrefecido a ar e outra com o do Chevrolet Opala. A Nissan teve o modelo Leopard (leopardo) e, no Brasil, Onça era um cupê com mecânica do FNM 2000 JK nos anos 60. O esportivo da Opel com base no Corsa era Tigra, derivação de tigre, e nos EUA o construtor Bill Thomas fez o Cheetah (guepardo).

 

Tanto o Viper da Dodge (em cima) quanto o Cobra de Shelby (à esquerda) basearam-se em espécies de cobras; já o nome do Porsche Cayman vem de um jacaré

 

Outro segmento frequente é o de répteis. Cobra, do esportivo criado por Shelby, não significa em inglês o mesmo que em português: é a espécie naja. Afinal, cobra de modo geral é snake naquele idioma. O nome inglês da víbora, Viper, é bem adequado ao feroz esportivo da Dodge. Cayman, da Porsche, vem do caimão, um tipo de jacaré. Já no Tiguan, da Volkswagen, houve uma fusão de tigre e iguana.

 

 

Além de avião, Mustang era um cavalo selvagem norte-americano; outras raças deram nome ao Pinto (à esquerda) e ao brasileiro Corcel (à direita) da mesma Ford

 

A Ford usou vários nomes de cavalos. Apesar de inspirado em um avião, Mustang é também um cavalo selvagem dos Estados Unidos. Outro naquele país foi o Pinto, compacto dos anos 70. Há um cavalo que vimos em quantidade em nossas ruas desde 1968: Corcel, uma raça veloz. Por essa tradição, supomos que o nome da picape Pampa veio de um cavalo malhado, não da região de planícies da América do Sul. O Mustang é conhecido como carro-pônei, mas quem usou o nome do pequeno equídeo foi a Hyundai: Pony foi um de seus primeiros modelos nos anos 70. Taycan, do novo Porsche elétrico, deriva da palavra turca para o espírito de um cavalo jovem. Já a Mitsubishi teve o modelo Colt, um cavalo novo e macho.

Próxima parte