Fatos e curiosidades da Eleição dos Melhores Carros

Editorial

 

Pesquisa com leitores revela quais os carros preferidos — e uma série de estatísticas, algumas inesperadas

 

Anunciados os resultados das eleições de 2015, é a hora da posse para os vencedores. Como é? Eleições de 2015? Sim, isso mesmo: a Eleição dos Melhores Carros, promovida todo ano pelo Best Cars por ocasião de seu aniversário, que tem revelados hoje (22) os resultados de sua décima oitava edição.

Resultados que confirmaram reputações e preferências conhecidas dos mais de 22 mil leitores participantes, mas também trouxeram novidades. Das 30 categorias, quatro tiveram vencedores inéditos: Volkswagen Up em Hatch Pequeno – Classe 1, Audi A7 Sportback em Sedã Grande de Luxo, Jeep Renegade em Utilitário Esporte Compacto – Classe 1 e Renault Duster Oroch em Picape Pequena. Em nova geração estão as Citroëns C4 Picasso e Grand C4 Picasso, que ganharam em Minivan Compacta, retomando um título que os modelos anteriores já detiveram.

A Ford saiu-se com o maior número de títulos (oito), contra seis da Porsche, três da Chevrolet e da Volkswagen, dois da Audi e um para BMW, Citroën, Honda, Jeep, Lamborghini, Land Rover, Mercedes-Benz e Renault. Entretanto, apenas a Porsche teve o privilégio de vencer todas as categorias de que participou, incluindo a especial O Carro dos Meus Sonhos (salvo por essa classe, o mesmo pode ser dito da Lamborghini, que só concorre em mais uma categoria com seus dois modelos). Curiosidade a assinalar é que as três vitórias da Chevrolet referem-se a modelos fora de produção, ou seja, é a marca preferida em carros do passado, mas está muito longe de sê-lo no atual mercado.

 

Dos vencedores, apenas três foram lançados nos últimos 12 meses: C4 Picasso/Grand C4 Picasso, Duster Oroch e Renegade

 

Há quem acredite que os novos modelos tenham facilidade em vencer, pois estão mais presentes na mente dos eleitores nos meses que precedem a eleição ou mesmo durante a pesquisa, seja por notícias e avaliações da imprensa, seja pelas campanhas publicitárias. Se de fato isso ocorre, não foi bem o que mostrou a 18ª. Eleição.

Renault OrochDos vencedores, apenas três foram lançados ou mudaram de geração nos 12 meses anteriores — os citados C4 Picasso/Grand C4 Picasso, Duster Oroch e Renegade —, enquanto BMW Série 1 e Ford Focus Fastback passaram por reestilização no mesmo período. Por outro lado, lançamentos como Jaguar XE (Sedã Médio de Luxo), Honda HR-V e Peugeot 2008 (Utilitário Esporte Compacto – Classe 1), Lexus NX (Utilitário Esporte Compacto – Classe 2), BMW X4 e Land Rover Discovery Sport (Utilitário Esporte Médio – Classe 2), Volvo XC90 (Utilitário Esporte Grande – Classe 2), BMW Série 2 Active Tourer (Minivan Compacta) e o novo Audi TT (Carro Esporte – Classe 1) não alcançaram a vitória.

Outro aspecto que chama a atenção é o contraste, em várias categorias, entre os vencedores da Eleição e os carros que mais vendem no mercado. Isso fica à mostra no VW Up entre os hatches mais baratos, assim como o Ford Ka+ entre os sedãs de menor preço, o Ford Focus entre os sedãs médios, a Duster Oroch entre as picapes menores e a Ford Ranger entre as maiores, a dupla da Citroën entre as minivans e, ainda, o Porsche Boxster/Cayman em sua faixa de carros esporte. Não é difícil, porém, compreender essa diferença.

“Melhor carro” pode ser entendido pelos eleitores como o que oferece mais, inovou mais ou obteve qualidade superior, mesmo que isso acarrete preço elevado. Na hora de comprar, outros requisitos assumem grande relevância, como custos de aquisição e manutenção, valor de revenda (ou sua expectativa) e presença de concessionária na região em que se mora ou circula.

Cabe considerar ainda que o público da Eleição não representa uma amostra do mercado de automóveis em geral, mas sim uma seleção de pessoas bem informadas, em geral aficionadas pelo assunto e com um patamar de exigência que acredito ser bem mais alto que o do consumidor brasileiro médio. De resto, sabemos que importante parcela das compras de carros novos é feita por frotistas, empresas, taxistas e locadoras, cujas prioridades em um automóvel divergem daquelas do comprador particular típico.

 

 

Altos e baixos

Para quem gosta de números e estatísticas, aí vão alguns:

• O modelo com maior percentual de votos foi a Duster Oroch, com 51,5%: foi o único a superar a metade este ano. Seguiram-se o Ford Fiesta entre os sedãs pequenos (47,1%), o VW Golf entre os hatches médios (46,8%) e o Ford Fusion entre os sedãs grandes (43,4%).

• No título oposto, coube ao Mercedes-Benz Classe C vencer entre os sedãs médios de luxo com o menor percentual de votos: 16,1%. Atrás dele ficaram o Chevrolet Monza entre os carros fora de linha da década de 1980 (18,3%), o Porsche Panamera entre os sedãs de alto luxo (19,7%) e o BMW Série 1 entre os hatches médios de luxo (20,7%).

 

O maior campeão da história da Eleição é o Porsche 911: 18 títulos de Sonhos e 12 na Classe 2 de carros esporte

 

• Quais os campeões de rejeição, os carros com menos votos? Houve seis modelos com 0,1%, ou seja, entre um e 31 votos (se recebessem 32, o arredondamento já seria feito para 0,2%): Effa M100, Geely GC2 e JAC J3 entre os hatches pequenos, JAC J5 entre os sedãs médios, Lifan X60 na Classe 1 de utilitários compactos e Chevrolet Chevette entre os fora de linha dos anos 90. Como se pode notar, entre os carros ainda em produção, 100% de marcas chinesas com esse recorde negativo (não consideramos aqui a categoria O Carro dos Meus Sonhos, que tem candidatos próximos do infinito).

Ford Fusion• O título obtido com mais folga, ou diferença de participação nos votos, foi o do Ford Fusion: 30,3 pontos a mais que o 2º. colocado, o Chrysler 300C, entre os sedãs grandes. Na sequência vêm a Oroch, 25,4 pontos acima da Fiat Strada, e o Porsche 911 entre os carros esporte da Classe 2, com 24,9 pontos à frente do Maserati Granturismo.

• A vitória mais apertada, por sua vez, foi a do Classe C em relação ao BMW Série 3 entre os médios de luxo: apenas 0,8 ponto percentual a mais de votos. Curioso é que a marca de Munique está envolvida nas outras disputas que se seguem: seu Série 1 venceu o Mercedes Classe A por 1,4 ponto, mas o Série 5 perdeu para o Audi A7 por 1,9 ponto entre os sedãs de alto luxo.

• O maior campeão da história da Eleição é, como muitos já perceberam, o Porsche 911: garantiu os 18 títulos de O Carro dos Meus Sonhos e mais 12 na Classe 2 de carros esporte, em total de 30 vitórias. O 2º. lugar fica para o Chevrolet Opala, que venceu nas 18 vezes a classe de carros fora de linha mais antigos (entre todas as décadas, até a Eleição de 2006, e das décadas de 1950 e 1960, nas pesquisas de 2007 para cá). Foi ainda o mais votado por cinco vezes nos modelos da década de 1970, uma entre os da década de 1980 e uma quando essas décadas formavam uma só classe, em total de 25 vitórias.

• Na contabilização por marca, outro prêmio para a Porsche: 60 títulos nesses 18 anos de eleições, incluindo a categoria dos sonhos, ante 43 da Ford, 27 da Volkswagen, 25 da Audi e um empate com 21 títulos entre BMW e Chevrolet. Isso se deixarmos fora dessa competição as categorias Fora de Linha, que formam resultado próprio: 47 vitórias da Chevrolet contra quatro da Ford e quatro da Honda. Tudo somado, a GM é a grande campeã com 68 títulos, ante os mesmos 60 da Porsche e 47 da Ford.

Editorial anterior