Uma tarde de Honda Civic Si, talvez o último de uma espécie

Diversão na pista demonstra o ponto forte do esportivo de duas portas e transmissão manual: é um devorador de curvas

Texto: Kleber Nogueira – Fotos: divulgação

 

O convite era irrecusável: numa tarde ensolarada de inverno, fomos desafiados a extrair o máximo de diversão de um Honda Civic Si — esportivo do tipo raiz, com duas portas e transmissão manual, como quase não se vê mais por aqui. Você pode imaginar quão carente estávamos após meses de isolamento, em que o uso do carro se reduziu ao mínimo e os eventos de lançamento rarearam.

Em uma tabela estavam dispostos os números alcançados pelos motoristas anteriores, em três diferentes etapas: a aceleração de 0 a 100 km/h, o slalom — prova do ziguezague onde o mais rápido é o vencedor — e, por último, um pequeno circuito com curvas fechadas e chicanas.

 

Novas rodas em preto, faróis de neblina de leds: poucas mudanças visuais no Civic Si, uma das raras opções de cupês esportivos do mercado nacional

 

O Civic Si da décima geração mudou pouco desde sua estreia por aqui, em abril de 2018. O modelo 2020 traz detalhes que realçam a esportividade, como novas rodas em preto fosco e molduras dos faróis de neblina, o acabamento interno com mais vermelho e a adição de limpador de para-brisa automático e carregador de celular sem fio por indução. Tais faróis agora são de leds como os principais — embora o tom mais amarelado das lâmpadas comuns seja funcional no nevoeiro, esteticamente não fica bem quando estão todos acesos.

 

 

O sistema de áudio agora amplifica o som do motor na cabine, usando os alto-falantes, quando o modo esportivo é acionado. O motorista consegue, ao toque de um botão, alternar entre o isolamento acústico e o som das rotações em elevação. Há quem não goste do artificialismo, mas não é fácil o compromisso entre atender aos limites de ruído externo, promover um ambiente silencioso quando se deseja e oferecer emoção quando se prefere. A nosso ver a Honda fez bem a lição de casa, com um som discreto e que soa realista.

Parados na linha de partida, acionamos a tecla Sport — que deixa mais arisco o acelerador e altera a calibração da suspensão com controle eletrônico de amortecimento e da direção. Desativado o controle de tração para ter o motor livre e sem limitações, a primeira é aplicada na transmissão de engates curtos, secos e precisos. Com o OK da equipe, pé ao máximo. Chegamos a 100 km/h na casa dos 7 segundos e poucos décimos. Nada mal. A marca alegou que reduziu a relação do diferencial do modelo 2020 em 6% em busca de mais desempenho, sobretudo na fase em que a turbina do motor de 1,5 litro ainda não está em plena atividade.

 

Interior ganhou vermelho nos bancos esportivos, limpador automático e carregador de celular por indução; sistema de áudio mantém a tela de 7 polegadas

 

Agora, onde o Si diverte mais: curvas. No slalom é que as melhores qualidades desse esportivo se sobressaem e o motorista sente-se mais recompensado. Cada movimento de apontar e virar o volante faz a dianteira do carro devorar o ziguezague, praticamente sem subesterço. O corpo é pressionado contra os apoios laterais do banco e, mesmo com a traseira apontando a tangente, o Si persegue curvas como se estivesse sobre trilhos. No painel, a tela multifuncional estava configurada para exibir a aceleração lateral, que alternava entre os limites a cada apontada da dianteira. A vontade é de repetir o exercício mais e mais, pois o carro não se dá por vencido.

 

Apontar e virar o volante faz a dianteira do Si devorar o ziguezague e, com diferencial autobloqueante, a aceleração em curvas se faz previsível

 

No circuito fechado, a diversão é mista. A adrenalina das curvas mistura-se à aceleração bem disposta com o motor cheio e a frenagens seguras, estáveis, intensas. A direção com relação variável — mais lenta no centro e direta próximo às extremidades — torna o esterçar atiçado. Com diferencial autobloqueante, a aceleração em curvas se faz previsível e o carro segue obediente, mesmo com o acelerador ao máximo.

 

Caixa manual permite explorar o motor de 208 cv ao prazer do motorista; instrumentos indicam pressão de turbo e momento ideal da troca de marcha

 

O Si poderia ser mais rápido? Poderia. Nosso teste do modelo 2019, antes do encurtamento do diferencial, apontou um Civic que acelera até 100 km/h em 8,2 segundos, tempo equivalente ao do “irmão” comportado Touring — com 35 cv a menos, mas favorecido pela transmissão CVT. Ficamos imaginando como ele seria com um motor de 2,0 litros como o de seu concorrente não mais disponível no Brasil, o Volkswagen Golf GTI, ou o competidor mais próximo hoje, o Jetta GLI, ambos com 230 cv e torque bem superior.

A seu favor, o Civic Si continua a oferecer exclusividade, um elegante teto que decai com a elegância típica dos cupês, as duas portas e, claro, a transmissão manual. Isso o torna um oásis aos que podem dispor de R$ 180 mil e estão em busca de recompensa após meses de isolamento. Todo adulto que gosta de dirigir deveria ter direito a essa terapia.

Mais Avaliações

 

Preço e equipamentos

• Civic Si (R$ 179.900) – Ar-condicionado automático de duas zonas, bolsas infláveis laterais e de cortina, câmera sob o retrovisor direito, câmera traseira de manobras, computador de bordo, controle eletrônico de estabilidade e tração, faróis de leds, fixação Isofix para cadeiras infantis, freio de estacionamento com comando elétrico, limpador de para-brisa automático, rodas de alumínio de 18 polegadas, sistema de áudio com tela de 7 pol compatível com Android Auto e Apple Car Play,  teto solar com controle elétrico.

• Garantia – 3 anos.

 

Ficha técnica

Motor
Posição transversal
Cilindros 4 em linha
Comando de válvulas duplo no cabeçote
Válvulas por cilindro 4, variação de tempo
Diâmetro e curso 73 x 89,5 mm
Cilindrada 1.498 cm³
Taxa de compressão 10,3:1
Alimentação injeção direta, turbocompressor, resfriador de ar
Potência máxima 208 cv a 5.700 rpm
Torque máximo 26,5 m.kgf de 2.100 a 5.000 rpm
Transmissão
Tipo de caixa e marchas manual, 6
Tração dianteira
Freios
Dianteiros a disco ventilado
Traseiros a disco
Antitravamento (ABS) sim
Direção
Sistema pinhão e cremalheira
Assistência elétrica
Suspensão
Dianteira independente, McPherson, mola helicoidal
Traseira independente, multibraço, mola helicoidal
Rodas
Dimensões 8 x 18 pol
Pneus 235/40 R 18
Dimensões
Comprimento 4,522 m
Largura 1,799 m
Altura 1,421 m
Entre-eixos 2,70 m
Capacidades e peso
Tanque de combustível 47 l
Compartimento de bagagem 334 l
Peso em ordem de marcha 1.321 kg
Desempenho e consumo
Não disponíveis
Dados do fabricante