Volvo XC60 híbrido promete o melhor de vários mundos

Amplo espaço para bagagem (um pouco menor no T8) com tampa elétrica, seletor de modos de condução e a câmera frontal que permite direção semiautônoma

 

Desempenho
O motor a gasolina, por si só, já teria boa presença no XC60: um 2,0-litros que combina compressor e turbo para obter 320 cv. O T8, porém, soma uma unidade elétrica junto ao eixo traseiro para 407 cv e torque de 65,3 m.kgf (combinados). É mais do que o Audi SQ5 obtém de um V6 turbo de 3,0 litros (354 cv e 51 m.kgf). Na pista, apesar do peso de 2,2 toneladas, seu desempenho impressionou: 5,4 segundos de 0 a 100 km/h e retomadas enérgicas fazem dele o SUV mais rápido que o Best Cars já testou (veja os melhores nos testes).

 

 

Embora com tração integral, os 320 cv ficam restritos ao eixo dianteiro, o que leva à atuação do controle de tração nas saídas mais fortes. Ele provavelmente aceleraria ainda melhor se parte deles fossem para a traseira, onde só o motor elétrico atua. O conjunto opera com suavidade irrepreensível e ruído muito baixo — de certo modo, falta a esportividade que se espera de 407 cv. Pode-se ainda rodar em modo elétrico com aceleração moderada por até 45 km em média.

Há cinco programas de condução: Pure (mais econômico), Hybrid (intermediário), Power (para desempenho, com o motor a gasolina sempre ativo), Constant AWD (tração integral permanente, também com os dois motores ligados) e Offroad (para uso fora de estrada). A transmissão automática de oito marchas está muito bem calibrada e tem comandos de mudanças no volante. A posição B — que aumenta a regeneração de energia — é válida para declives acentuados e trechos com reduções frequentes, pois diminui bastante o uso do pedal de freio. 1 ponto

 

Apesar das 2,2 toneladas, o XC60 T8 acelera muito rápido; consumo é similar ao de SUVs menos potentes; transmissão de oito marchas usa cristal na alavanca

 

Consumo
Testamos o rendimento do XC60 como se fosse um híbrido sem recarga externa, de modo a não colocar na conta o custo de energia elétrica. Com a carga das baterias no ponto mínimo do começo ao fim, ele fez os mesmos 10,6 km/l de gasolina em dois dos trajetos — marca interessante para seu porte e o desempenho disponível, melhor que as do Chevrolet Equinox e pior que as do Peugeot 3008. Com a recarga em tomada, é claro, ele poderia cumprir ao menos os trajetos urbanos com consumo bem melhor ou até sem usar gasolina.

 

O T8 soma uma unidade elétrica ao 2,0-litros para obter 407 cv: 5,4 segundos de 0 a 100 km/h e retomadas enérgicas fazem dele o SUV mais rápido que o Best Cars já testou

 

Para recarregar as baterias é preciso conexão aterrada de 230 volts e alta corrente. O tempo de recarga varia conforme a corrente disponível: 2,5 horas com 16 amperes, 4 horas com 10 A e 8 horas com 6 A. Na falta de conexão apropriada, pode-se obter parte da recarga com o próprio motor a combustão (modo Charge) e então preservá-la para o momento desejado. 0,5 ponto

Comportamento dinâmico
O alto desempenho do T8 não se repete na suspensão. Calibrados com foco no conforto, os amortecedores macios deixam a carroceria se movimentar mais do que se espera, tanto em curvas quanto em lombadas — a frente “despenca” e se precisa passar devagar. Além disso, a atitude subesterçante ao andar forte é típica de carros de tração dianteira (afinal, é ali que recai a maior parte da potência), os pneus 255/40 R 21 chegam ao limite antes do esperado e logo atua o controle eletrônico de estabilidade. Por outro lado, os freios são excelentes e a direção está bem acertada. O vão livre do solo declarado, 216 mm, é mais que suficiente para uso leve fora de estrada, com ressalva aos pneus de perfil bem baixo. 0,5 ponto

 

Suspensão é confortável, mas não ajuda na condução esportiva; faróis de múltiplos leds desenham o facho ideal para não ofuscar; versão T8 tem bom conjunto pelo preço

 

Segurança passiva
Os Volvos já não sobressaem em um mercado em que todo fabricante investe em segurança, mas o XC60 está bem servido: bolsas infláveis laterais dianteiras, de cortinas e de joelhos do motorista; encostos de cabeça e cintos de três pontos para todos os ocupantes, fixações Isofix e assentos infantis integrados ao banco traseiro. 1 ponto

 

 

Custo-benefício
O XC60 R-Design T8 tem preço sugerido de R$ 299.950 (não há opcionais), atraente por sua combinação de conteúdo, eficiência e desempenho. Para quem faz questão de SUV híbrido, as alternativas se limitam ao Lexus NX 300H, bem menos potente (197 cv), que chega a R$ 250 mil na versão F-Sport, e ao Porsche Cayenne S E-Hybrid de 416 cv, muito mais caro (R$ 420 mil).

O Volvo revela boa relação custo-benefício também se comparado a modelos a gasolina de potência próxima. O Audi SQ5 de 354 cv custa R$ 406 mil, o Jaguar F-Pace S de 380 cv é mais caro (R$ 442.400) e o Range Rover Velar de mesma potência tem preço ainda maior, R$ 487.270 na versão HSE. Assim, mesmo que possa evoluir em alguns aspectos, o XC60 T8 deixou ótima impressão e, provavelmente, reúne o melhor conjunto de atributos que se pode ter a seu preço em um SUV. 1 ponto

 

8 pontos

 

Mais Avaliações

 

Desempenho e consumo

Aceleração
0 a 100 km/h 5,4 s
0 a 120 km/h 7,2 s
0 a 400 m 13,6 s
Retomada
60 a 100 km/h 3,4 s
60 a 120 km/h 5,2 s
80 a 120 km/h 4,1 s
Consumo
Trajeto leve em cidade 10,6 km/l
Trajeto exigente em cidade 5,6 km/l
Trajeto em rodovia 10,6 km/l
Testes com gasolina; desempenho com carga total de bateria e consumo com carga mínima; conheça nossos métodos de medição

 

Ficha técnica

Motor a combustão
Posição transversal
Cilindros 4 em linha
Comando de válvulas duplo no cabeçote
Válvulas por cilindro 4, variação de tempo
Diâmetro e curso 82 x 93,2 mm
Cilindrada 1.969 cm³
Taxa de compressão 10,3:1
Alimentação injeção direta, compressor, turbocompressor, resfriador de ar
Potência máxima 320 cv a 5.700 rpm
Torque máximo 40,8 m.kgf de 2.200 a 5.400 rpm
Motor elétrico
Potência máxima 87 cv a 7.000 rpm
Torque máximo 24,5 m.kgf a 3.000 rpm
Bateria e capacidade íon de lítio, 10,4 kWh
Potência máxima combinada 407 cv a 5.700 rpm
Torque máximo combinado 65,3 m.kgf de 2.200 a 5.400 rpm
Transmissão
Tipo de caixa e marchas automática, 8
Tração integral
Freios
Dianteiros a disco ventilado
Traseiros a disco ventilado
Antitravamento (ABS) sim
Direção
Sistema pinhão e cremalheira
Assistência elétrica
Suspensão
Dianteira independente, braços sobrepostos, mola helicoidal
Traseira independente, multibraço, mola helicoidal
Rodas
Dimensões 21 pol
Pneus 255/40 R 21 V
Dimensões
Comprimento 4,688 m
Largura 1,902 m
Altura 1,658 m
Entre-eixos 2,865 m
Capacidades e peso
Tanque de combustível 70 l
Compartimento de bagagem 468 l
Peso em ordem de marcha 2.174 kg
Desempenho e consumo
Velocidade máxima 230 km/h
Aceleração de 0 a 100 km/h 5,3 s
Dados do fabricante