Hyundai HB20: bom o bastante para vencer o VW Polo?

Motores similares em concepção, com maior torque e operação mais suave no Polo, mas o leve HB20 foi mais rápido para acelerar e consumiu um pouco menos

 

Motor e desempenho
As duas marcas buscaram a mesma fórmula para os motores: três cilindros, 1,0 litro, turbocompressor e injeção direta — esta uma novidade no HB20. O Polo ficou mais potente que o rival com álcool (128 cv ante 120), mas menos com gasolina (116 cv); já o torque de 20,4 m.kgf supera o de 17,5 m.kgf do oponente por boa margem.

 

 

O menor peso favorece o Hyundai em acelerações, como ao fazer de 0 a 100 km/h em 9,3 segundos (ótima marca, só 1,1 s atrás de um Honda Civic Si de 208 cv!) contra 10,4 s do adversário, ambos com gasolina. Nas retomadas houve maior equilíbrio graças ao torque superior do Volkswagen. Os motores pouco demonstram a oscilação típica dos três-cilindros, mais notada no HB20 em marcha-lenta e acima de 5.000 rpm. O Polo pareceu mais silencioso de modo geral.

As transmissões estão bem calibradas e permitem mudanças manuais pela alavanca ou comandos no volante. No Hyundai, em modo manual, a caixa não faz reduções ao acelerar até o fim e pode pegar o motorista de surpresa em emergência. Apenas a do Polo oferece programa esportivo, boa opção para deixar o motor “acordado” (o modo normal insiste em rotações baixas) e para obter freio-motor ao desacelerar, mas exagera na força de tração em marcha-lenta — desconforto atenuado pela passagem automática a ponto-morto nas paradas.

 

Boas transmissões automáticas de seis marchas com comandos junto ao volante; faróis elipsoidais no Hyundai, mas a ambos faltam luzes diurnas de leds

 

Consumo
Até que enfim, um HB20 automático e econômico! O motor turbo fez milagres pelo Hyundai, que consumiu pouco menos que o Polo nos três trajetos de medição e chegou a ótimos 16 km/l de gasolina no trecho urbano leve — o modelo anterior de 1,6 litro fizera apenas 12,1 km/l. Agora os dois carros estão muito bem nesse aspecto.

 

O menor peso favorece o HB20 em acelerações, como ao fazer de 0 a 100 km/h em 9,3 segundos (só 1,1 s atrás de um Honda Civic Si de 208 cv) contra 10,4 s do Polo

 

Comportamento dinâmico
Ambos mostram boa estabilidade, com tendência a sair de frente no limite, mas o HB20 pode ser provocado para soltar a traseira, em uma atitude que diverte o motorista mais experiente — o controle eletrônico de estabilidade, de série em ambos, não atrapalha por só atuar quando realmente necessário. Conforto, porém, não é o forte dessas suspensões: transmitem mais os impactos do que deveriam e a frente cede muito nas lombadas. Pior no HB20, em que os amortecedores traseiros ficaram um tanto duros (curioso, pois anos atrás eram macios em excesso), pequenos defeitos do piso fazem o carro todo tremer e a frente dá pancada seca ao passar rápido por lombadas baixas.

A adoção de assistência elétrica deixou a direção do Hyundai tão agradável quanto a do Volkswagen, leve em manobras e precisa em velocidade. Os freios estão bem dimensionados em ambos, com vantagem ao Polo pelos discos na traseira; no HB20 o pedal poderia ser mais leve. O Polo traz sistema de frenagem automática pós-colisão, que retém o carro após um acidente para evitar novo impacto.

 

São carros de boa estabilidade, com restrições ao conforto de rodagem, sobretudo no HB20; bolsas infláveis laterais dianteiras e fixações Isofix são de série

 

Segurança passiva
Nas versões avaliadas o conteúdo de proteção dos ocupantes equivale-se: bolsas infláveis frontais e laterais dianteiras, fixações Isofix para cadeira infantil, cintos de três pontos e encostos de cabeça para cinco pessoas — itens inéditos no HB20.

 

 

Custo-benefício
O Polo leva grande vantagem em preço básico (R$ 6,4 mil), por não se tratar da versão de topo, mas precisa receber opcionais para ficar próximo ao HB20 em equipamentos. O avaliado tinha o pacote Tech II e rodas de 16 pol, com os quais ficava apenas R$ 1,9 mil mais barato que o adversário (este não oferece opções). Vale lembrar que a Hyundai oferece versões desde R$ 67.190 com esse conjunto motor-transmissão, enquanto a gama da Volkswagen parte mesmo dos R$ 71.560 do Comfortline.

O conteúdo dos carros avaliados é semelhante: o HB20 traz itens a mais como alertas de distância frontal e de saída de faixa e tela maior na central de áudio, e o Polo, conveniências como limpador e ar-condicionado automáticos, enquanto os recursos de segurança se equivalem. Contudo, o Volkswagen recebeu notas melhores em três quesitos (o Hyundai, em apenas um) e ainda custa menos, o que lhe rende melhor nota também em custo-benefício. Conclusão: o HB20 melhorou na nova geração, sobretudo com o eficiente motor turbo e os itens de conveniência, mas ainda não alcançou o conjunto equilibrado e cheio de qualidades do concorrente.

Mais Avaliações

 

Nossas notas

HB20 Polo
Estilo 3 4
Acabamento e conveniência 4 4
Posto do motorista 3 4
Espaço interno 3 3
Porta-malas 3 3
Motor e desempenho 5 4
Consumo 4 4
Comportamento dinâmico 3 4
Segurança passiva 4 4
Custo-benefício 3 4
Média 3,5 3,8
Posição 2°. 1°.
As notas vão de 1 a 5, sendo 5 a melhor; conheça nossa metodologia

 

Desempenho e consumo

HB20 Polo
Aceleração
0 a 100 km/h 9,3 s 10,4 s
0 a 120 km/h 12,9 s 14,6 s
0 a 400 m 16,6 s 17,3 s
Retomada*
60 a 100 km/h 6,1 s 6,0 s
60 a 120 km/h 9,9 s 10,3 s
80 a 120 km/h 7,1 s 7,5 s
Consumo
Trajeto leve em cidade 16,0 km/l 15,6 km/l
Trajeto exigente em cidade 8,5 km/l 8,1 km/l
Trajeto em rodovia 14,9 km/l 14,7 km/l
Testes com gasolina; *reduções automáticas; melhores resultados em negrito; conheça nossos métodos de medição

 

Ficha técnica

HB20 Polo
Motor
Posição transversal transversal
Cilindros 3 em linha 3 em linha
Comando de válvulas duplo no cabeçote duplo no cabeçote
Válvulas por cilindro 4, variação de tempo 4, variação de tempo
Diâmetro e curso 71 x 84 mm 74,5 x 76,4 mm
Cilindrada 998 cm³ 999 cm³
Taxa de compressão 10,5:1 11,5:1
Alimentação injeção direta, turbo, resfriador de ar
Potência máxima (gas./álc.) 120 cv a 6.000 rpm 116/128 cv a 5.500 rpm
Torque máximo (gas./álc.) 17,5 m.kgf a 1.500 rpm 20,4 m.kgf de 2.000 a 3.500 rpm
Transmissão
Tipo de caixa e marchas automática, 6 automática, 6
Tração dianteira dianteira
Freios
Dianteiros a disco ventilado a disco ventilado
Traseiros a tambor a disco
Antitravamento (ABS) sim sim
Direção
Sistema pinhão e cremalheira pinhão e cremalheira
Assistência elétrica elétrica
Suspensão
Dianteira independente, McPherson, mola helicoidal
Traseira eixo de torção, mola helicoidal
Rodas
Dimensões 5,5 x 15 pol 6 x 16 pol
Pneus 185/60 R 15 195/55 R 16
Dimensões
Comprimento 3,94 m 4,057 m
Largura 1,72 m 1,751 m
Altura 1,47 m 1,468 m
Entre-eixos 2,53 m 2,565 m
Capacidades e peso
Tanque de combustível 50 l 52 l
Compartimento de bagagem 300 l 300 l
Peso em ordem de marcha 1.091 kg 1.147 kg
Desempenho e consumo (gas./álc.)
Velocidade máxima 190 km/h 187/192 km/h
Aceleração de 0 a 100 km/h 10,7 s 10,1/9,6 s
Consumo em cidade 12,2/8,6 km/l 11,6/8,0 km/l
Consumo em rodovia 13,9/10,3 km/l 14,1/9,8 km/l
Dados dos fabricantes; consumo conforme padrões do Inmetro