Civic Touring vs. Corolla Hybrid: fórmulas de eficiência

Combinação de motor 1,8 a dois elétricos deixa o Toyota muito econômico em cidade, mas em desempenho e prazer ao dirigir a vantagem do Honda é evidente

 

Motor e desempenho
Nesse item há um grande contraste entre eles. O motor de 1,5 litro do Civic usa turbo e injeção direta para obter grande vantagem em potência: 173 cv contra estimados 130 — a Toyota omite esse valor, que não é a simples soma dos índices dos motores. No Corolla, a unidade aspirada de 1,8 litro opera em ciclo Atkinson para maior eficiência e está combinada a dois motores elétricos, em sistema que decide por si só quais motores acionar em cada condição.

Em desempenho ou prazer de dirigir, não resta dúvida: leve o Civic. Primeiro porque ele acelera e retoma velocidade muito mais rápido, como de 0 a 100 km/h em 7,6 segundos contra 11,2 s e de 80 a 120 km/h em 5,7 s ante 8,8 s. Segundo porque seu motor tem operação muito suave e respostas prontas, com mínimo retardo de ação do turbo, sendo um dos melhores entre os sedãs médios. O do Corolla mostra-se um tanto áspero e seu desempenho só convence em baixa velocidade. A seu favor está o período em que apenas os motores elétricos movem o carro, com boas respostas e baixíssimo nível de ruído.

 

Transmissões CVT nos dois, com simulação de marchas e comandos no volante apenas no Civic; ele oferece também 50 litros a mais de espaço para bagagem

 

Ambos usam transmissões de variação contínua (CVT), mas a do Honda simula sete marchas sempre que se acelera a fundo — mais agradável aos ouvidos, embora menos eficiente —, além de oferecer programa esportivo e comandos no volante para seleção manual. A do Toyota opera apenas como típica CVT, mantendo a rotação enquanto a velocidade sobe. Para obter maior retenção em descidas (freio-motor), oferece a posição B em que aumenta a regeneração de energia.

 

 

Consumo
Chegamos à grande questão: qual roda mais com um litro de gasolina em cada condição? Nos trajetos urbanos a vantagem do Corolla é inegável, pois nessa condição o motor a combustão passa boa parte do tempo desligado e existe maior regeneração de energia: 22,2 km/l no trajeto leve é a melhor marca de nossa história de testes. O Civic, porém, chamou atenção com os 15,7 km/l, compatíveis com carros pequenos da faixa de 1,4 litro. Em rodovia, os motores elétricos do Toyota não ajudam tanto e sua marca (13,3 km/l) acabou atrás da do Honda por leve margem (13,5 km/l).

 

Faróis de leds equipam essas versões; o Corolla melhorou em estabilidade, agora similar à do Civic, mas este agrada mais em absorção de impactos e asperezas

 

Comportamento dinâmico
Por tradição o Civic sempre teve maior ênfase na estabilidade, e o Corolla, no conforto. Nas atuais gerações, porém, o quadro está diferente. Primeiro porque o Honda evoluiu muito em absorção de irregularidades e asperezas, hoje melhor que no rival. O Toyota agora filtra melhor as oscilações do piso (que o antigo transmitia em excesso), mas os pneus são um tanto ásperos em asfalto imperfeito e os amortecedores traseiros poderiam ser mais suaves em lombadas.

 

No consumo urbano a vantagem do Corolla é inegável, pois o motor a combustão passa boa parte do tempo desligado, mas em rodovia ele acabou atrás do Civic

 

Segundo, porque o novo Corolla ganhou uma atitude esportiva: ao lado do Civic, talvez seja o sedã atual mais fácil de provocar a traseira para fechar o raio da curva, antes que o controle eletrônico de estabilidade intervenha, algo inesperado por seu perfil mais tradicional. Nos dois, o melhor a fazer ao entrar muito rápido em curva é manter alguma aceleração, pois cortá-la faz a traseira sair decidida. Os dois usam suspensão traseira multibraço e estão em alto nível de estabilidade, embora a aderência dos pneus pudesse ser maior no Toyota.

Ambos oferecem calibração ideal da assistência de direção e freios potentes e bem moduláveis. O sistema duplo do Hybrid (apenas a regeneração atua em uso leve; as pastilhas, só em aplicação mais intensa) em nada afeta a suavidade de frenagem, resultado da grande experiência da marca em modelos híbridos.

 

A opção pelo híbrido justifica-se no uso urbano, mas em rodovia o Civic consome o mesmo, oferece desempenho bem melhor e não tem a aspereza do motor do Corolla

 

Segurança passiva
Ambos estão bem servidos em proteção aos ocupantes, com bolsas infláveis laterais dianteiras e de cortina, cintos de três pontos e encostos de cabeça para cinco pessoas e fixação Isofix para cadeira infantil. O Corolla traz ainda bolsa para os joelhos do motorista.

 

 

Custo-benefício
O Corolla Hybrid básico custa R$ 7,7 mil a menos que o Civic Touring, mas a adição do pacote opcional no carro avaliado equilibrava bastante as coisas, reduzindo sua vantagem a R$ 1,7 mil. Ele oferece de série mais assistências que são úteis à segurança, enquanto o Honda vence em itens de conveniência, mesmo diante do rival com opcionais. O que realmente os diferencia é a mecânica.

Quem busca o máximo de eficiência — tema do comparativo, lembre-se — terá no Hybrid um carro muito econômico em cidade, onde justifica a sofisticação técnica do sistema que ele introduz na produção nacional. Contudo, abrirá mão de grande parte do desempenho e do prazer de dirigir que o Touring oferece. E, se o uso predominante for em rodovia, o motorista do Civic ainda pode obter consumo equivalente, acelerar o delicioso motor turbo e deixar para trás o condutor do Corolla com a pergunta: “Híbrido para quê?”.

Mais Avaliações

 

Nossas notas

Civic Corolla
Estilo 4 4
Acabamento e conveniência 4 4
Posto do motorista 4 4
Espaço interno 4 4
Porta-malas 5 4
Motor e desempenho 5 3
Consumo 4 5
Comportamento dinâmico 5 4
Segurança passiva 5 5
Custo-benefício 4 4
Média 4,4 4,1
Posição 1º. 2º.
As notas vão de 1 a 5, sendo 5 a melhor; conheça nossa metodologia

 

Desempenho e consumo

Civic Corolla
Aceleração
0 a 100 km/h 7,6 s 11,2 s
0 a 120 km/h 10,6 s 16,1 s
0 a 400 m 15,5 s 17,8 s
Retomada
60 a 100 km/h 4,6 s 7,1 s
60 a 120 km/h 7,5 s 12,7 s
80 a 120 km/h 5,7 s 8,8 s
Consumo
Trajeto leve em cidade 15,7 km/l 22,2 km/l
Trajeto exigente em cidade 8,0 km/l 12,9 km/l
Trajeto em rodovia 13,5 km/l 13,3 km/l
Testes com gasolina; retomadas com reduções automáticas; conheça nossos métodos de medição

 

Ficha técnica

Civic Corolla
Motor
Posição transversal transversal
Cilindros 4 em linha 4 em linha
Comando de válvulas duplo no cabeçote duplo no cabeçote
Válvulas por cilindro 4, variação de tempo 4, variação de tempo
Diâmetro e curso 73 x 89,5 mm 80,5 x 88,3 mm
Cilindrada 1.498 cm³ 1.798 cm³
Taxa de compressão 10,6:1 13:1
Alimentação injeção direta, turbocompressor, resfriador de ar injeção multiponto sequencial
Potência máxima 173 cv a 5.500 rpm 98/101 cv a 5.200 rpm*
Torque máximo 22,4 m.kgf de 1.700 a 5.500 rpm 14,5 m.kgf a 3.600 rpm
Potência dos motores elétricos 72 cv
Torque dos motores elétricos 16,6 m.kgf
Transmissão
Tipo de caixa e marchas automática de variação contínua, simulação de 7 marchas automática de variação contínua
Tração dianteira dianteira
Freios
Dianteiros a disco ventilado a disco ventilado
Traseiros a disco a disco
Antitravamento (ABS) sim sim
Direção
Sistema pinhão e cremalheira pinhão e cremalheira
Assistência elétrica elétrica
Suspensão
Dianteira independente, McPherson, mola helicoidal
Traseira independente, multibraço, mola helicoidal
Rodas
Dimensões 7 x 17 pol 17 pol
Pneus 215/50 R 17 225/45 R 17
Dimensões
Comprimento 4,637 m 4,63 m
Largura 1,798 m 1,78 m
Altura 1,433 m 1,455 m
Entre-eixos 2,70 m 2,70 m
Capacidades e peso
Tanque de combustível 56 l 43 l
Compartimento de bagagem 519 l 470 l
Peso em ordem de marcha 1.326 kg 1.440 kg
Desempenho e consumo
Velocidade máxima ND ND
Aceleração de 0 a 100 km/h ND ND
Consumo em cidade 12,0 km/l 16,3/10,9 km/l*
Consumo em rodovia 14,6 km/l 14,5/9,9 km/l*
Dados dos fabricantes; *gasolina/álcool; consumo conforme padrões do Inmetro; ND = não disponível