Mercedes SLS AMG Roadster: o diário de um sonho

 
Bastam 4,7 segundos para acelerar de 0 a 100 km/h e em 14,3 s já se chega aos 200: o SLS
supera por pequena margem a Audi RS6 como o carro mais rápido que já avaliamos

 

RS é Race Start, o assistente de aceleração rápida, que faz o grande conversível se lançar como um raio com mínima patinação das rodas traseiras — e faz o motorista parecer um piloto, apesar de lhe caber nada mais que liberar o pedal de freio, apertar o pé direito e segurar o volante. Outro comando, intitulado AMG, aciona a configuração predileta do motorista, definida antes pelo uso dos menus controlados por um botão central no console.

A manhã de sol se confirma quando chego à estrada. Bom presságio. Na rodovia batizada com o nome de um velho conhecido nosso, finalmente acelero até o limite permitido pela lei, 120 km/h — ou um pouco mais, vá lá —, só para ver o elegante aerofólio situado na traseira obedecendo à eletrônica embarcada aos montes nesse carro, que faz com que a asinha se eleve a 120 km/h e desça a 80 km/h. Os adeptos do livre arbítrio estão contemplados por outro botão no console que faz a asa subir mesmo com o carro parado.

 

Na saída do pedágio, a progressão é tão rápida que a sequência de leds em branco, amarelo e vermelho no topo do quadro de instrumentos se preenche com velocidade, indicando que o limite de rotações — 7.200 rpm — está próximo

 

Promessa cumprida: o V8 de 571 cv e 66,3 m.kgf de torque me cola no banco mesmo se, ainda meio letárgico, nada faço a não ser atolar o pé no fundo. Na saída do pedágio, a progressão de zero a muitos km/h é, como previsto pela relação peso-potência de 2,9 kg/cv, rapidíssima. Tão rápida que a sequência de leds em branco, amarelo e vermelho no topo do quadro de instrumentos se preenche com velocidade, indicando que o limite de rotações — 7.200 rpm — está próximo. A Mercedes-Benz declara para seu SLS AMG Roadster um 0-100 de 3,8 segundos, tempo que em nossa simulação (veja abaixo) foi mais longo, 4,7 s — ainda assim, é o carro mais rápido que já passou pelas avaliações completas do Best Cars.

Ayrton Senna, lá do céu, bem que aprovaria ver o SLS cravar 300 e passa km/h na rodovia a ele intitulada, mas a lei — ora a lei — não. Melhor conter a fúria do motor montado pelo Markus Jaudes,

 

 
Ao lado da alavanca de câmbio, o seletor dos quatro modos de uso; à direita, os
comandos da capota, do aerofólio e das configurações prediletas (botão AMG)

 

A vida a bordo do SLS? Ótima. A cada pedágio, a chance de sentir a saúde do motor e a precisão do câmbio mandando ao solo a potência exuberante. Também ajudam, claro, os largos pneus traseiros de medida 295/30 R 20, italianíssimos Pirellis PZero criados para ele. Dirigir um carro de tração traseira, por mais moderno e “eletrônico” que seja, ainda é — acredite — uma experiência e tanto. Mesmo sabendo que o controle de tração está sempre ativo em qualquer dos modos do controle de estabilidade, a sensação oferecida pelo roadster alemão é de estar em um meio de transporte no qual o empenho da técnica não anestesiou a emoção.

 

 

A cada movimento do volante (rápido, com relação de direção de apenas 13,6:1), a cada mudança de marcha manual pelas borboletas no volante (e só por elas, pois nem existe tal comando na alavanca do console), transpira-se a excelência da esportividade AMG — de uma forma paradoxal, porém. Em um esportivo capaz de deixar 300 km/h para trás, materiais nobres e dispendiosos como alumínio forjado (os braços de suspensão são feitos dele) ou fibra de carbono (o cardã!) são usados sem parcimônia e convivem ao lado de bancos com múltiplos ajustes elétricos e um sistema de áudio com subwoofer (não existe subwoofer leve…). Não é um paradoxo?

Esse pensamento me ocorre quando as indesfrutáveis boas retas acabam e as curvas da serra estão ali, à vista. E começará a diversão…

Próxima parte

 

Simulação de desempenho

O SLS AMG Roadster assume o posto de mais rápido e veloz automóvel de produção a passar pela simulação de desempenho do Best Cars, elaborada pelo consultor Iran Cartaxo. Não se esperava menos de seu exuberante motor V8 (veja ao lado as curvas de potência e torque), associado a um eficiente câmbio e um peso que pode ser considerado moderado para suas características, mas a Audi RS6 Avant avaliada há dois anos lhe deu trabalho.

A velocidade máxima simulada ficou próxima da informada pelo fabricante, condição em que o motor ficaria apenas 400 rpm abaixo do pico de potência em sétima marcha. Portanto, ao contrário do Audi S5, o Mercedes usa todas elas pelo desempenho, sem opção por uma sobremarcha. A sexta, bem mais curta, não passaria de 302 km/h. Essa escolha do fabricante deixa a rotação a 120 km/h mais alta que o esperado em um grande motor V8, mas coerente com a proposta esportiva.

Se não chega perto dos 3,8 segundos anunciados pela empresa, a aceleração de 0 a 100 em 4,7 s sem dúvida impressiona, mas ficou apenas 0,1 s à frente da obtida pela RS6, um carro que pode levar toda a família e sua bagagem. Mas o SLS pode alcançar 200 km/h em 14,3 s, precisando para tanto de pouco mais de 400 metros. E o que dizer da retomada de 80 a 200 km/h em 10,8 s?

E pensar que esses números seriam ainda melhores se o coeficiente aerodinâmico (Cx) fosse mais atual que 0,36, número prejudicado pelos pneus largos e tomadas de ar da carroceria. Fatores que se refletem na eficiência apenas razoável, com consumo de 32 cv a 120 km/h.

É claro que o comprador de um SLS não se importa com consumo, ainda que a Mercedes anuncie obter marcas favoráveis para um carro de seu segmento. A sede no posto vai ao ritmo de 7 km/l em ciclo rodoviário, valor que pode cair muito à medida em que o pé direito for mais pesado… Está justificado o tanque de 85 litros, que assegura autonomia dentro dos padrões.

 

Velocidade máxima 312,7 km/h
Regime à velocidade máxima / marcha 6.400 rpm / 7ª.
Regime a 120 km/h (7ª.) 2.850 rpm
Potência consumida a 120 km/h 32 cv
Aceleração de 0 a 100 km/h 4,7 s
Aceleração de 0 a 150 km/h 8,2 s
Aceleração de 0 a 200 km/h 14,3 s
Aceleração de 0 a 250 km/h 23,6 s
Aceleração de 0 a 400 m 12,6 s
Aceleração de 0 a 1.000 m 22,4 s
Retomada de 60 a 100 km/h em drive 2,5 s
Retomada de 80 a 120 km/h em drive 2,8 s
Retomada de 80 a 160 km/h em drive 6,1 s
Retomada de 80 a 200 km/h em drive 10,8 s
Consumo em ciclo urbano 5,6 km/l
Consumo em ciclo rodoviário 7,1 km/l
Autonomia em ciclo urbano 328 km
Autonomia em ciclo rodoviário 441 km
Conheça o simulador e os ciclos de consumo

 

Dados do fabricante

Velocidade máxima 317 km/h
Aceleração de 0 a 100 km/h 3,8 s
Consumo em ciclo urbano 5,0 km/l
Consumo em ciclo rodoviário 10,8 km/l