Onix Plus e HB20S enfrentam Yaris, Cronos e Virtus

Onix Plus: central com tela de 7 pol, carregador por indução e a pressão de cada pneu

 

Cronos: tela de 7 pol e mostradores de temperatura da transmissão e tensão da bateria

 

Cronos e Virtus vêm com monitor indireto de pressão dos pneus (no Onix é direto, mais completo). Esses e o Yaris têm limpador de para-brisa automático e retrovisor interno fotocrômico. HB20S, Virtus e Yaris iluminam os espelhos dos para-sóis. Onix e HB20S trazem limitador de velocidade. Rebatimento elétrico de retrovisores equipa Cronos e HB20S.

Alguns pontos merecem correção. O Chevrolet não tem ajuste de altura da ancoragem superior do cinto do passageiro, que pode ficar inadequada; os difusores de ar centrais impedem direcionar o ar frio para cima, como deve ser (falha que o Virtus evita, embora com difusores na mesma posição); o ar continua gelado mesmo quando se pedem 23°C em dia frio e o mostrador de portas mal fechadas não indica qual delas. No Fiat o espaço para objetos é escasso, os cromados no painel causam reflexos em algumas situações e o acelerador impõe posição incômoda do pé no fim de curso.

 

HB20S: tela de 8 pol, frenagem autônoma e alerta para saída de faixa; seu ar-condicionado deixou de ser automático

 

Yaris: tela de 7 pol, o único teto solar e (como no Onix) ajuste elétrico dos faróis

 

Virtus: tela de 8 pol, três medições para o computador (como no Yaris) e sensores também na frente (o Onix tem em 360 graus se equipado com assistente para estacionar)

 

Ao Hyundai faltam ar-condicionado automático (abolido para 2020) e mostrador de temperatura externa; o Volkswagen é o único sem alças de teto. O Toyota vem sem comando a distância para abrir e fechar vidros, luz na parte traseira da cabine e sensores de estacionamento, além de o bloqueio dos controles traseiros de vidros inibir também o comando do passageiro ao lado.

 

 

Posto do motorista
O Virtus oferece a melhor posição ao condutor, pois os demais têm restrições: pouco apoio às coxas no Cronos e no Onix, este com assento estreito; apoio lombar insuficiente no HB20S e no Yaris, apesar do bom banco, volante sem ajuste em distância e algo distante — nesses dois ele é enviesado, impondo braço esquerdo mais esticado.

Entre os instrumentos, o Virtus sobressai com o quadro digital e configurável (opcional) em grande tela colorida e de alta resolução. Pena que a ampla exibição de mapa não inclua o de aplicativos com o Waze. O digital do HB20S, bem mais simples e sem ajustes, satisfaz. Todos têm velocímetro digital, mais prático de usar, mesmo como repetidor. O Cronos tem mais funções (voltímetro, horas do motor, temperatura do fluido da transmissão) e o Onix indica o percentual que resta da vida útil do óleo do motor. Os computadores de bordo indicam consumo em três medições (Virtus e Yaris), uma (HB20S) ou duas (outros). Incômodo no Hyundai é selecionar funções pelo pino de zerar hodômetro.

 

Onix Plus
Cronos
HB20S
Yaris
Virtus

Mais espaço para pernas no Volkswagen, que ao lado do Chevrolet oferece maior largura para os passageiros de trás; o primeiro e o Fiat são mais amplos para bagagem

 

Os faróis usam o eficiente refletor elipsoidal no HB20S (baixo e alto), Onix e Yaris (só baixo). Apenas o Onix não oferece faróis de neblina, embora tenha a luz traseira e ajuste elétrico de altura dos faróis, itens também presentes no Yaris. Luzes diurnas com leds estão só no Chevrolet e no Volkswagen — os leds de Fiat e Hyundai limitam-se a luzes de posição, ou seja, devem-se acender os faróis baixos em rodovia. No Virtus o farol de neblina de cada lado acende-se para ajudar em curvas, por seu facho mais largo. Todos oferecem visibilidade apropriada, com pouco prejuízo pelas colunas dianteiras (algo pior no HB20S), e usam retrovisores externos convexos de bom tamanho.

 

A vantagem do Virtus em espaço para pernas é clara, ele é mais amplo em largura como o Onix Plus e, ao lado do Cronos, tem porta-malas maior que os dos outros

 

Espaço interno
Alguns fabricantes entenderam melhor a demanda por espaço nesse segmento que outros. Assim, enquanto a acomodação nos bancos dianteiros satisfaz em todos eles, na parte traseira a vantagem do Virtus em espaço para pernas é clara, seguido por Onix e Yaris e, com o menor conforto, Cronos e HB20S. O Chevrolet e o Volkswagen são também mais amplos em largura — nenhum, porém, consegue ser adequado a três adultos atrás ou oferece conforto ao passageiro central. Com espaço vertical limitado pelo perfil do teto, todos estão aptos a pessoas de estatura média.

Porta-malas
Dois deles sobressaem em capacidade de bagagem: Cronos com 525 litros e Virtus com 521. Os demais ficam atrás: 475 litros no HB20S, 473 no Yaris e 469 no Onix — o espaço do Chevrolet perdeu 31 litros do antigo Prisma, enquanto o Hyundai ganhou 25 na nova geração. Todos têm banco traseiro rebatível bipartido e tampa com braços convencionais, que consomem espaço e podem amassar as malas ao fechar. Onix e HB20S usam estepe temporário, bem fino. Nos demais, o pneu de medida diferente dos outros limita-se do mesmo modo ao uso emergencial. O Hyundai tem o menor vão de acesso, pela escolha de desenho. Lamentável o Toyota o acabamento do assoalho.

 

Onix
Cronos
HB20S

 

Já são três os motores turbo de três cilindros no grupo, dois deles com injeção direta; embora mais potente, o Fiat perde em torque para o Volkswagen

Yaris
Virtus

 

Motor e desempenho
Há dois anos o Virtus era exceção na categoria com seu motor turbo de três cilindros e 1,0 litro. Hoje temos três carros no comparativo com a mesma solução, sendo mais um com injeção direta (HB20S) e outro sem (Onix). Os demais usam o tradicional quatro-cilindros aspirado, de 1,75 litro no Cronos e 1,5 no Yaris, sempre com quatro válvulas por cilindro. O Fiat é o mais potente, seguido por Volkswagen, Hyundai, Chevrolet e Toyota. Já o Virtus oferece o maior torque, vindo depois Cronos, HB20S, Onix e Yaris (veja dados na ficha técnica).

 

 

Seja nas medições de desempenho (quadro abaixo), seja no uso cotidiano, a opção pelo turbo mostra-se vantajosa. Os três motores respondem rápido, com algum retardo de ação do sistema no Onix, e sua vivacidade nas rotações de uso mais frequente supera por larga margem a dos modelos aspirados — mesmo a do Cronos, que anula sua vantagem em potência por ser o carro mais pesado do grupo.

Próxima parte

 

Desempenho e consumo

Onix Cronos HB20S Yaris Virtus
Aceleração
0 a 100 km/h 10,2 s 11,4 s 9,3 s 11,5 s 10,7 s
0 a 120 km/h 14,3 s 15,6 s 12,9 s 16,2 s 14,8 s
0 a 400 m 17,3 s 18,0 s 16,6 s 18,2 s 17,4 s
Retomada*
60 a 100 km/h 5,5 s 6,2 s 6,1 s 7,1 s 6,1 s
60 a 120 km/h 9,9 s 10,3 s 9,9 s 11,6 s 10,2 s
80 a 120 km/h 7,2 s 7,7 s 7,1 s 8,6 s 7,3 s
Consumo
Tr. leve cidade 15,5 km/l 12,1 km/l 15,3 km/l 14,5 km/l 15,1 km/l
Tr. exigente cidade 8,2 km/l 5,9 km/l 7,9 km/l 7,5 km/l 7,8 km/l
Trajeto em rodovia 13,4 km/l 12,8 km/l 15,1 km/l 13,0 km/l 15,4 km/l
Testes com gasolina; *reduções automáticas; melhores resultados em negrito; conheça nossos métodos de medição
Próxima parte