Conceitos: o tortuoso caminho até chegar ao mercado

Pontiac Trans Sport 1986
Pontiac Trans Sport 1989

 

Pontiac Trans Sport

A divisão da GM teve ideias ousadas para responder às minivans da Chrysler com um produto avançado. A Trans Sport conceitual, mostrada no Salão de Detroit de 1986, combinava formas futuristas, uma porta lateral direita aberta para cima e interior inspirado em aeronaves. Quando a versão de série apareceu, três anos depois, não havia mais que certa semelhança visual, mas a minivan estava bem menos esportiva. Ganhou o apelido de dustbuster,  nome de um aspirador de pó portátil.

 

Pontiac Aztek 1999
Pontiac Aztek 2001

 

Pontiac Aztek

A mescla entre minivan e utilitário esporte parecia uma boa ideia quando o Aztek surgiu como estudo, no Salão de Detroit de 1999, com seu desenho original. O problema é que até o lançamento, dali a dois anos, a Pontiac o remodelou adotando grade e faróis maiores, cabine mais retilínea e um excesso de elementos em plástico preto-fosco. O resultado foi um estilo pesado, que não agradou a ninguém e fez do modelo um dos mais famosos fracassos da indústria norte-americana.

 

 

Pontiac Solstice 2002
Pontiac Solstice 2005

 

Pontiac Solstice

O belo conversível e sua versão cupê podem ser considerados uma compensação da Pontiac pelo erro cometido com o Aztek. Revelados no Salão de Detroit de 2002, os Solstices chegaram praticamente intocados às ruas em 2005 e 2009, na ordem.

 

Porsche Gruppe B 1983
Porsche 959 1987

 

Porsche Gruppe B e 959

O nome do conceito do Salão de Frankfurt de 1983 justifica-se pela intenção da marca alemã de colocá-lo para competir do Grupo B de rali, com uma versão de rua para fins de homologação. Como a categoria de supercarros foi encerrada após graves acidentes, o esportivo ficou restrito às estradas. Do Gruppe B para o 959 de série, de 1986, foram acrescentadas apenas algumas entradas e saídas de ar, mantendo-se as formas baseadas nas do 911, a tração integral e o motor de 2,85 litros.

 

Porsche Boxster 1993
Porsche Boxster 1986

 

Porsche Boxster

Um pequeno roadster  com motor central-traseiro, como o clássico 550 Spyder, só poderia ser bem-recebido pelos apreciadores da Porsche. Revelado no Salão de Detroit de 1993, o Boxster (nome que combina motor boxer  e roadster)  foi aprovado para produção em série, o que resultaria no modelo de 1996 com modificações sutis de aparência, caso das tomadas de ar laterais.

 

Porsche Carrera GT 2000
Porsche Carrera GT 2004

 

Porsche Carrera GT

No Salão de Paris de 2000 a Porsche brilhava com um supercarro de conceito com soluções das pistas, como estrutura com fibra de carbono, freios a disco de cerâmica e motor na raríssima configuração V10, com 5,5 litros e 558 cv. A versão de produção, três anos mais tarde, passou a 5,7 litros e 612 cv, mas recebeu poucas alterações visuais.

 

Renault Scenic 1991
Renault Scenic 1996

 

Renault Scénic

Embora pouco se pareçam em desenho, as Scénics de conceito (do Salão de Frankfurt de 1991) e de produção (lançada em 1996) seguem a mesma proposta de minivan compacta, na qual foram pioneiras na era moderna. Só que o estudo foi bem mais longe em soluções como as três portas laterais corrediças (as duas dianteiras para frente, a traseira direita para trás), tração integral e câmbio comandado por teclas.

 

Renault Vel Satis 1998
Renault Vel Satis 2001

 

Renault Vel Satis

Ousadia é o que não faltava ao Vel Satis do Salão de Paris de 1998, um amplo dois-volumes de duas portas com para-brisa que se estendia pelo teto. O modelo de série de 2001 mostra certa inspiração em elementos de estilo, mas é mais convencional.

 

Renault Captur 2011
Renault Captur 2013

 

Renault Captur

Rodas enormes, vidros de perfil baixíssimo, duas grandes portas abertas para cima e para frente e retrovisores diminutos com câmeras faziam do Captur do Salão de Genebra de 2011 um típico carro-conceito. Essas características foram descartadas no modelo de produção, lançado após dois anos com cinco portas e linhas mais comuns, que não deixam de ser atraentes.

 

Rolls-Royce 100EX Centenary 2004
Rolls-Royce Phantom Drophead Coupe 2008

 

Rolls-Royce 100 EX Centenary e Phantom Drophead Coupe

Para celebrar seu centenário, em 2004, a Rolls-Royce preparou um conceito de conversível com portas abertas para trás, capô e estrutura do para-brisa em alumínio sem pintura e um imenso motor de 16 cilindros e 9,0 litros. O V16 ficou para trás, preterido pelo V12 de 6,75 litros do sedã Phantom, mas o carro chegou ao mercado em 2007 como Drophead Coupe.

 

Subaru WRX 2013
Subaru WRX 2014

 

Subaru WRX

Nos últimos anos a Subaru tem apresentado conceitos com linhas radicais, mas que acabam perdendo a ousadia quando o modelo entra em produção. Aconteceu com o Impreza, entre o estudo de 2010 e a produção em 2012, e repetiu-se com o sedã esportivo WRX (hoje modelo independente do Impreza), que mudou bastante do conceito de 2013 para o carro de produção, lançado para 2014.

 

Suzuki Concept S 2002
Suzuki Swift 2004

 

Suzuki Concept S e Swift

Antes que o Swift de nova geração fosse apresentado como modelo 2004, a fábrica japonesa previu parte de suas formas com o Concept S do Salão de Paris de 2002. Embora a esportividade do estudo seja inegável, o modelo de produção nos parece mais harmonioso e proporcional.

 

Toyota Publica Sports 1962
Toyota Sports 800 1965

 

Toyota Publica Sports e Sports 800

Já nos anos 60 o fabricante japonês usava conceitos para antecipar modelos de linha. O Publica Sports apareceu no Salão de Tóquio de 1962 com um inusitado teto que deslizava para trás, lembrando um avião de caça, o que dava acesso ao interior e dispensava portas. A plataforma vinha do sedã Publica de produção. Em 1965 chegava ao mercado o Sports 800, com teto targa e portas convencionais, preservando as linhas do conceito.

Próxima parte