Saiba como anunciar
Clique para ampliar a imagem Clique para ampliar a imagem

Clique para ampliar a imagem

Clique para ampliar a imagem

Por dentro mudam as formas e o material do painel de instrumentos, que ganha aspecto mais refinado e mostradores em três módulos

Clique para ampliar a imagem

Evoluções como o câmbio, agora com comando a cabo, convivem com antigos inconvenientes como a posição de controles elétricos de vidros

No mais, todos os comandos estão no lugar de sempre e os de ar-condicionado continuam um pouco baixos, dificultando a visão. E a Peugeot perdeu a chance de corrigir um aspecto que incomoda: os botões dos vidros elétricos dianteiros no console central, junto à alavanca do freio de estacionamento, e os traseiros na parte final do console, posição infeliz. O carro ganharia muito se adotasse comandos semelhantes aos do 307, nas portas.

A parte mecânica sofreu alterações na suspensão, no sistema de ar-condicionado, no comando de câmbio e na central eletrônica dos motores, mas estes continuam com o mesmo desempenho. A versão de 1,4 litro e duas válvulas por cilindro rende 80/82 cv com gasolina e álcool, na ordem, e torque máximo de 12,8 m.kgf nos dois casos. Já o motor 1,6 de quatro válvulas por cilindro fornece 110/113 cv e 14,2/15,5 m.kgf, na mesma ordem.

Os amortecedores possuem nova tecnologia e foram recalibrados a fim de deixar o rodar mais confortável. Foram revistas buchas e batentes de ambos os eixos, mas a suspensão traseira recebeu mais atenção dos engenheiros. Sua geometria foi alterada e agora as rodas estão mais convergentes (próximas na parte dianteira) e com a cambagem mais negativa (mais distantes na base dos pneus que no topo), em busca de deixar a traseira do carro mais estável. O intuito foi anular a tendência de escapar com esse eixo em situações extremas — quando o motorista alivia o pé do acelerador em curvas de raio longo em alta velocidade, por exemplo — que o 206 sempre teve. Tal comportamento, que requer habilidade especial do motorista, ainda pode ser notado na nova versão, mas está mais brando e parece ocorrer em limite mais alto.

Os pneus possuem novas medidas, 185/60 com rodas de 15 pol e 185/65 com as de 14 pol. Esta última, que vinha nas versões 1,6, está agora nos carros de 1,4 litro. No geral, pode-se dizer que o 206 ganhou com as mudanças na suspensão, tornando-se mais confortável sem prejuízo da estabilidade. Esse conforto é complementado pelo isolamento acústico digno de elogios. Mal se escuta ruído do motor ou da transmissão, havendo somente invasão de ruídos de rodagem dos pneus. Mesmo em rotações mais altas, o barulho que invade a cabine é menor que em concorrentes como Polo e Punto.

O ar-condicionado passou a ser mais potente e outra evolução — talvez a principal e mais perceptível — foi a troca dos varões de acionamento do câmbio por cabos. Com o novo sistema o 207 encaixa-se no perfil de carros com engates fáceis e precisos, distanciando-se muito do 206, e os engates já não são ruidosos como antes. Ficaram bem perto das referências do segmento nesse aspecto, o Fox e o Polo. O câmbio automático, avaliado na SW, tem espaço para melhora em tempo de resposta ao comando do acelerador, pois continua um intervalo excessivo entre o pedido de redução e a resposta do câmbio.

As versões   A denominação da linha mudou por causa do Passion: se antes usavam nomes, haveria combinações extensas no caso do sedã, tendo então sido adotadas siglas. XR corresponde à mais simples, com motor 1,4, e XS se refere aos carros mais equipados e com propulsor 1,6. Há ainda a XR Sport (esportiva só na aparência, que fique claro), com mais equipamentos e motor 1,4. Como o antigo 206 permanece disponível em versão 1,4 básica, a Peugeot definiu um pacote com bom equipamento de série para o 207.

O XR já vem com ar-condicionado, direção assistida hidráulica e controle elétrico dos vidros dianteiros e das travas. A XR Sport acrescenta rodas de alumínio de 14 pol e faróis de neblina. A XS tem ainda faróis, limpador de pára-brisa e ar-condicionado automáticos; rodas de 15 pol, computador de bordo, bancos mais envolventes, freios traseiros a disco, alarme, itens internos (como pedais) em alumínio e banco traseiro bipartido. A XS pode contar com um pacote que abrange câmbio automático de quatro marchas com opção de trocas manuais e freios com sistema antitravamento (ABS). Esta configuração pode ser associada a outro pacote, com bolsas infláveis frontais e laterais (inéditas no modelo) e revestimento dos bancos em couro. Outra opção é de rádio/CD com MP3. No caso da 207 SW, a XS vem apenas com câmbio automático e ABS. Continua

Clique para ampliar a imagem Clique para ampliar a imagem
Do catálogo da SW desaparecem duas opções: a Escapade, de estilo aventureiro e suspensão alta, e a versão de 1,6 litro com câmbio manual

Avaliações - Página principal - Escreva-nos

© Copyright - Best Cars Web Site - Todos os direitos reservados