Best Cars Web Site
Guia de Compra

Mais dois para o time

Médio-pequenos da década de 1990, Logus e Pointer, da
Volkswagen, são opções para orçamentos limitados

Texto: Alberto Polo Jr. - Fotos: Renato Araújo

Ela é do mesmo "time" de Fiat Tipo, Chevrolet Kadett e o Ford Escort de 1993 a 1996: médio-pequenos da década passada, já descontinuados há bastante tempo, com bom espaço, relativa potência, motor confiável e preço atraente. A linha Logus/Pointer, último fruto da Autolatina — associação entre Ford e Volkswagen —, tem preço partindo de R$ 8.350.

O Logus foi o primeiro a chegar, em março de 1993. Construído sobre a plataforma da segunda geração do Escort nacional, lançada um pouco antes, contava com carroceria três-volumes e duas portas, o que lhe dava uma certa esportividade. A estratégia também evitava a competição "dentro de casa" com o próprio Escort, de três portas, e o novo Verona, sua versão sedã de quatro portas, ainda por ser lançada.

Era vendido em três versões. A CL trazia poucos equipamentos de série, como vidros verdes, e podia vir com motores carburados de 1,6 litro (de origem Ford, com 74 cv de potência) e de 1,8 (com "assinatura" VW e 86 cv). A intermediária GL, vendida só com o 1,8, adicionava aquecimento e desembaçador do vidro traseiro. A topo de linha era a GLS 1,8, que contava com vidros, travas e retrovisores com controle elétrico, rodas de alumínio de 13 pol, faróis de neblina, rádio/toca-fitas e volante regulável em altura, entre outros. Tanto ar-condicionado quanto direção assistida eram opcionais neste último.

Em agosto de 1994 chegava o Pointer, versão hatch de cinco portas do Logus, também em configuração que evitava coincidir com as dos "primos" da Ford. O acabamento CL vinha com motor 1,8 a injeção, de 88 cv, e tinha o mesmo modesto pacote de equipamentos do Logus. O GL adicionava rádio e, além do 1,8, podia vir com motor de 2,0 litros a injeção, com 116 cv. Este também equipava o esportivo GTi, que trazia bancos esportivos Recaro com ajustes de altura e lombar, vidros, travas e retrovisores elétricos, faróis auxiliares e rodas de alumínio de 14 pol, além de câmbio com relações mais curtas (em excesso, aliás) e suspensão bem firme. No mesmo ano o Logus 1,6 ganhava motor VW de 80 cv e o GLS passava a vir com o 2,0 carburado e pára-choques pintados.

Todos os Logus passaram a ser equipados com injeção em 1995, mesmo ano em que estreava a série especial Wolfsburg 2,0, com ar-condicionado, direção assistida, "trio" elétrico, os faróis do Pointer (com unidades de longo alcance junto à grade) e rodas de alumínio de 14 pol. O sucesso foi tanto que acabou substituindo o GLS e tornando-se opção de linha. Em 1996 uma versão única foi lançada para Logus (1,6 e 1,8) e Pointer (1,8), com pára-choques na cor da carroceria e poucos itens de conforto. Wolfsburg e GTi permaneciam. Continua

O Logus GL de 1993: desenho harmonioso, interior moderno e desempenho adequado com motor 1,8-litro

Lançado no ano seguinte, o Pointer (aqui na versão CLi) chegou com injeção e tinha a vantagem das cinco portas

Avaliações - Página principal - Escreva-nos - Envie por e-mail

Data de publicação: 19/11/05

© Copyright - Best Cars Web Site - Todos os direitos reservados