Consultório Técnico



Como trabalhar com a taxa de compressão?


Em várias consultas de preparação é aconselhada a alteração da taxa de compressão. Nas preparações em que são feitas modificações para se aumentar ou diminuir essa taxa, como se faz a medida dos seus novos valores? Há uma forma de se fazer a medida real do novo valor rotineiramente ou existem valores-padrões pré-fixados (ex.: retirar x milímetros do cabeçote de um motor específico resulta em aumento de y pontos na taxa de compressão)? Quais são as modificações usadas para aumentar e para diminuir a taxa de compressão?

Fernando Assis Silva
fassis@dedalus.lcc.ufmg.br
Belo Horizonte, MG


A taxa de compressão pode ser obtida pela seguinte fórmula, Fernando:

taxa =

(volume de admissão + volume da câmara de combustão)
______________________________________________________

volume da câmara de combustão


O volume da câmara de combustão é o volume restante ocupado pela mistura quando o cilindro está em sua posição superior (ponto morto superior ou PMS). E o volume de admissão é o de deslocamento do cilindro do PMS até a posição inferior (PMI), sendo dado pela fórmula:

volume de admissão =

3,1416 x (diâmetro do cilindro)² x curso do pistão
_______________________________________________

4


Considera-se sempre um único cilindro. Para um carro de 2.000 cm3 e 4 cilindros, a cilindrada unitária, ou volume de admissão, será de 500 cm3. Com a fórmula pode-se calcular o volume da câmara de combustão de um carro do qual se conhece a taxa, ou calcular o volume de câmara necessário para atingir determinada taxa. Para se saber como ficará a taxa de compressão depois do rebaixamento do cabeçote, é necessário conhecer o novo volume da câmara de combustão. O ideal é retirar o cabeçote e medir o volume que restou enchendo a câmara com água ou outro líquido, não se esquecendo de considerar eventuais concavidades ou abaulamentos na cabeça do cilindro, ou o volume proporcionado pela junta. Recorre-se aos líquidos porque a câmara tem forma côncava e irregular, o que dificulta o cálculo -- não é como obter a cilindrada, operação em que se utilizam valores fixos de diâmetro dos cilindros e curso dos pistões.

Rebaixar o cabeçote é a maneira mais usual de aumentar a taxa de compressão, recurso comum em preparação de motores


Calcular a redução no volume da câmara de combustão através de fórmula, portanto, só é possível por aproximação. Para grandes rebaixamentos pode-se usar a fórmula do volume de uma calota, e para pequenos rebaixamentos é possível tomá-la como um cilindro e desprezar a concavidade.

O rebaixamento do cabeçote é a forma mais usual de aumentar a taxa de compressão. A redução pode ser obtida por um cabeçote mais alto, usinagem da câmara de combustão ou, até certo ponto, por uma junta de cabeçote mais espessa. Esta última modificação é freqüente nas conversões mais baratas de álcool para gasolina, mas o resultado é limitado. Outra maneira de retrabalhar a taxa, comum na produção de um mesmo motor para uso de diferentes combustíveis, é o emprego de pistões de perfil diverso. Seu topo pode ganhar forma plana, côncava ou mesmo convexa -- os chamados pistões "cabeçudos". Quanto mais "cabeçudos" os pistões, maior será a taxa, considerado um mesmo motor.



Volta ao Consultório Técnico

Volta à página principal


© Copyright 1998/1999 - Best Cars Web Site - Todos os direitos reservados