A dissolução da Autolatina resultava, no mesmo ano, no fim do Versailles e da Royale, que haviam recebido grade oval e novas lanternas dois anos antes. O sedã foi também vendido na Argentina como Ford Galaxy. Em 1997 a nomenclatura do Santana passava a 1.8 Mi, 2000 Mi (básicos), Evidence (considerada esportiva pela VW, com spoiler traseiro e volante do Gol GTI) e Exclusiv (de topo). Em maio de 1998 os pára-choques e lanternas eram modificados, tornando-se um tanto "lisos" para as formas retilíneas e já ultrapassadas do carro.

Aos 13 anos, ainda apelando aos detalhes esportivos: rodas de alumínio usinadas, spoiler e lanternas fumês na versão Exclusiv de 1997

Desapareciam os quebra-ventos e havia imobilizador eletrônico do motor, novo volante de quatro raios, painel iluminado por luz verde, hodômetros digitais e interruptor de faróis rotativo. Em dezembro a versão Evidence desaparecia e em maio de 1999 surgia a oferta de módulos de opcionais, restando a opção entre motor 1,8 e 2,0 e acabamento básico ou Exclusiv. Na linha 2001 eram inseridos os módulos Comfortline e Sportline e desaparecia a trava adicional (e desnecessária) na alavanca para engatar a marcha à ré. Para 2002, apenas novos revestimentos internos. No mesmo ano a Quantum era descontinuada e, em maio de 2006, o Santana enfim despedia-se do mercado.

O primeiro carro de luxo da Volkswagen do Brasil, pioneiro na injeção eletrônica entre os três-volumes e nos freios ABS, chegou ao final de seu ciclo de vida com sucesso entre os taxistas, desde que a GM os abandonou ao deixar de produzir o Omega, em julho de 1998.

Pára-choques e lanternas de estilo "liso" foram as últimas novidades externas, em 1998. Bem-sucedido entre os taxistas, o Santana aguardou até 2006 sua aposentadoria

De requinte ou inovação técnica nada mais restava ao veterano Santana, mas ele passou à história com um currículo respeitável. Certamente deixará saudade, por ter sido o primeiro carro nacional de grande produção a reunir características de cruiser, gran routiére, vocábulos em inglês e em francês que definem um carro como próprio para viagem horas a fio em alta velocidade, com conforto e segurança para motorista e passageiros.

Em escala
Um raro "Santana" em miniatura é a Passat Variant alemã, idêntica a nossa Quantum de 1987 a 1992, da empresa alemã Busch GmbH & Co. KG. Oferecida também em versões policial e do correio alemão.
Ficha técnica
_ CD 1,8 álcool
(1984)
GLS 2,0 álcool
(1988)
GLS 2,0i gas.
(1991)
MOTOR
Posição e cilindros longitudinal, 4 em linha longitudinal, 4 em linha longitudinal, 4 em linha
Comando e válv. por cilindro no cabeçote, 2 no cabeçote, 2 no cabeçote, 2
Diâmetro e curso 81 x 86,4 mm 82,5 x 92,8 mm 82,5 x 92,8 mm
Cilindrada 1.781 cm3 1.984 cm3 1.984 cm3
Taxa de compressão 12:1 12:1 10:1
Potência máxima 92,4 cv a
5.000 rpm
112 cv a
5.200 rpm
114 cv a
5.600 rpm
Torque máximo 14,9 m.kgf a
2.600 rpm
17,3 m.kgf a
3.400 rpm
17,6 m.kgf a
3.200 rpm
Alimentação Carburador de corpo duplo Carburador de corpo duplo Injeção multiponto
CÂMBIO
Marchas e tração 5 (manual) ou 3 (automático), dianteira
FREIOS
Dianteiros e traseiros a disco / a tambor a disco / a tambor a disco ventilado / a tambor
SUSPENSÃO
Dianteira Independente McPherson, estabilizador
Traseira Eixo de torção
DIREÇÃO
Assistência hidráulica hidráulica hidráulica
RODAS
Pneus 185/70 R 13 S 185/70 R 13 S 195/60 R 14 H
DIMENSÕES
Comprimento 4,53 m 4,52 m 4,57 m
Entreeixos 2,55 m 2,55 m 2,55 m
Peso 1.070 kg 1.120 kg 1.150 kg
DESEMPENHO
Velocidade máxima 175 km/h 187 km/h 190 km/h
Aceleração de 0 a 100 km/h 11,9 s 10,5 s 10,5 s

Página principal - Escreva-nos

© Copyright 2001 - Best Cars Web Site - Todos os direitos reservados