Suas rodas esportivas de alumínio tinham um desenho bonito e aro de 14 pol, com pneus 185/60 HR 14. A estabilidade era impecável. Tinha vidros verdes e pára-brisa com faixa degradê, encostos de cabeça para quatro passageiros e descanso de braço no banco traseiro. Os bancos dianteiros eram ótimos Recaro, com regulagem de altura e contorno envolvente, e havia teto solar opcional.

O novo Pointer agradou em cheio: bancos Recaro, teto solar opcional e um motor forte
em qualquer regime. Era um legítimo sucessor para o lendário TS dos anos 70

O volante já era o famoso "quatro-bolas", em alusão aos botões de buzina, surgido na Alemanha com o Golf -- um excelente quatro-raios de 36 cm de diâmetro, procurado pelos que personalizavam seus Volkswagens por anos a fio. O carro era realmente muito interessante e atrativo. Fazia vista pela suave agressividade, justificada pelo desempenho do motor 1,8. Em novembro de 1984 vinha a série limitada Plus, com o motor do Pointer.

Em meados de 1985, novos retoques na aparência: pára-choques envolventes em plástico injetado (que só chegariam aos demais VW "a água" na linha 87), lanternas traseiras frisadas e painel totalmente novo e muito mais elegante, inspirado no do Santana, incluindo termômetro de óleo no console do Pointer. Outro ganho era o câmbio de cinco marchas. A padronização da linha eliminava a carroceria de quatro portas, tendo a de três sido descontinuada há algum tempo. Na verdade, o crescimento da família BX (do Gol) estava gerando conflito com o Passat.

A última atualização do Passat, em 1985, incluiu pára-choques envolventes em plástico, lanternas frisadas e painel inspirado no Santana, além do aguardado câmbio de cinco marchas
O Pointer ganhava nesse ano um novo concorrente, o Monza Hatch S/R, com um 1,8-litro apimentado de 106 cv e relações de marcha mais próximas e curtas. Havia também o Escort XR3, com um 1,6 de 86 cv, e o irmão menor Gol GT, de 99 cv. Para 1986, porém, o Passat reagia com os novos motores AP-600 (1,6 litro) e AP-800S (1,8), de bielas mais longas, aplicadas um ano antes no Gol GT e no Santana.

Para o Pointer, a mudança representou a padronização com o Gol em termos de comando de válvulas e carburação, levando a potência a 99 cv (diz-se que um pouco mais, pois já havia a incoerente tributação mais elevada acima desse valor -- saiba mais). Andava muito bem, possuindo um conjunto mecânico ótimo: de 0 a 100 km/h em 11 segundos e velocidade final de 175 km/h.
Havia enfim um conta-giros amplo e um termômetro de óleo no Pointer, além do excelente volante "quatro-bolas" de 36 cm. Mas o Passat sairia de linha três anos depois, para deixar saudades 
As vendas do Passat, muito boas até o principio da década de 80, começaram a sofrer os efeitos da concorrência com Corcel, Del Rey e principalmente Monza, que começaram a embaçar os olhos de seu fã-clube. A própria Volkswagen estava dando mais espaço e atenção para a linha Gol e o Santana, deixando o Passat defasado em equipamentos e tímido em divulgação. O último Pointer, de 1988, ainda não oferecia controles elétricos de vidros e seu estilo estava envelhecido diante do reestilizado Gol GTS.

Em 2 de dezembro daquele ano, os mais de 600.000 donos e os muitos admiradores ficavam desiludidos com a Volkswagen, que descontinuava o Passat. O primeiro VW "a água" continuava evoluindo na Alemanha (a quarta e a quinta geração seriam importadas a partir de 1994, convivendo até hoje com o arcaico Santana), mas no Brasil passava à história aquele que muitos afirmam, com convicção, ter sido o melhor carro médio de seu tempo fabricado no País.
Ficha técnica
Passat GL Village 1,6 álcool - 1986
MOTOR - longitudinal; 4 cilindros em linha; comando no cabeçote, 2 válvulas por cilindro. Cilindrada: 1.596 cm3. Taxa de compressão: 12:1. Carburador de corpo duplo. Potência máxima líquida: 85 cv a 5.600 rpm. Torque máximo líquido: 12,65 m.kgf a 3.000 rpm.
CÂMBIO - manual, 5 marchas; tração dianteira.
SUSPENSÃO - dianteira, independente McPherson, com estabilizador; traseira, eixo de torção, com estabilizador.
FREIOS - dianteiros a disco, traseiros a tambor.
RODAS - 5 x 13 pol; pneus, 175/70 R 13 S.
DIMENSÕES - comprimento, 4,26 m; largura, 1,6 m; altura, 1,35 m; entreeixos, 2,47 m; peso, 950 kg.
DESEMPENHO - velocidade máxima, 165 km/h; aceleração de 0 a 100 km/h, 13 s.
Passat GTS Pointer 1,8 álcool - 1986
Idem ao GL Village, exceto:
MOTOR - Cilindrada: 1.781 cm3. Potência máxima líquida: 99 cv a 5.600 rpm. Torque máximo líquido: 14,9 m.kgf a 3.600 rpm.
RODAS - 6 x 14 pol; pneus, 185/60 R 14 H.
DESEMPENHO - velocidade máxima, 175 km/h; aceleração de 0 a 100 km/h, 11 s.
Passat LS 1,6 gasolina - 1983
Idem ao GL Village, exceto:
MOTOR - Cilindrada: 1.588 cm3. Taxa de compressão: 8,3:1. Potência máxima bruta: 88 cv a 5.800 rpm. Torque máximo bruto: 13,3 m.kgf a 3.000 rpm.
CÂMBIO - 4 marchas.
DIMENSÕES - peso, 910 kg.
DESEMPENHO - velocidade máxima, 155 km/h; aceleração de 0 a 100 km/h, 15 s.
Passat TS 1,6 álcool - 1982
Idem ao GL Village, exceto:
MOTOR - Cilindrada: 1.588 cm3. Taxa de compressão: 10,8:1. Potência máxima bruta: 98 cv a 5.800 rpm. Torque máximo bruto: 13,3 m.kgf a 4.600 rpm.
CÂMBIO - 4 marchas.
DIMENSÕES - peso, 920 kg.
DESEMPENHO - velocidade máxima, 160 km/h; aceleração de 0 a 100 km/h, 14 s.
Passat LS 1,5 gasolina - até 1982
Idem ao GL Village, exceto:
MOTOR - Cilindrada: 1.471 cm3. Taxa de compressão: 7,4:1. Carburador de corpo simples. Potência máxima bruta: 78 cv a 6.100 rpm (líquida: 65 cv). Torque máximo bruto: 11,5 m.kgf a 3.600 rpm.
CÂMBIO - 4 marchas.
RODAS - 4,5 x 13 pol; pneus, 155/80 R 13 S.
DESEMPENHO - velocidade máxima, 150 km/h; aceleração de 0 a 100 km/h, 17 s.

Página principal - e-mail

© Copyright 2000 - Best Cars Web Site - Todos os direitos reservados