Dodge Dakota

 

Participe: opine sobre seu carro

 

[Nome] Benjamin Nevel
[Cidade] Curitiba
[Estado] PR

[Versão] Dodge Dakota Sport
[Motor] V-6 3.9
[Ano-modelo] 2000
[Quilometragem atual] 50.000 km
[Combustível] Gasolina
[Tempo há que possui] De 3 a 5 anos

[Grau de satisfação com o carro] Muito satisfeito(a)
[Grau de satisfação com a rede de concessionárias] Insatisfeito(a)

[Estilo] 5
[Acabamento] 4
[Posição de dirigir] 4
[Instrumentos] 5
[Itens de conveniência] 5
[Espaço interno] 4
[Capacidade de bagagem] 5
[Motor] 4
[Desempenho] 4
[Consumo] 2
[Câmbio] 4
[Freios] 4
[Suspensão] 4
[Estabilidade] 5
[Segurança passiva] 4
[Custo-benefício] 5

[Principais aspectos positivos] Suspensão muito boa e equilibrada, única ressalva negativa dela e que não chega a ser um defeito – é não permitir ajuste de cambagem independente da altura em que a suspensão esteja. Bancos confortáveis e bem revestidos, descansa-braço com ótimo compartimento, computador de bordo com bússola e excelente isolação acústica na cabine também. Motor trabalha quase dormindo mas mesmo assim pulsa forte se precisar. Ar condicionado eficiente.

[Principais aspectos negativos] Qualidade baixa dos faróis inclusive na iluminação insuficiente. Coluna de direção com qualidade baixa, tem baixa vida útil, gerando folgas no sistema. Sistema de escape com silencioso que restringe em demasia o fluxo de gases para a atmosfera. Como consequência vem a limitação em performance e aumento no consumo de combustível. Pivôs de roda (principalmente o superior) subdimensionados para a proposta do veículo, o resto do carro até é forte mas este componente é o elo fraco da corrente.

[Defeitos apresentados] Não apresentou qualquer problema até o momento, estou com o carro há três anos. Fiz uma revisão pesada para deixar em dia como quando era nova, e desde então só manutenção básica. Esse veículo se estiver em ordem, dificilmente dá problema. As vezes a partida demora pra pegar e a causa é uma válvula (um diafragma na verdade) que fica dentro do tanque e mantém a linha de combustível pressurizada. Nesse caso ela perde a capacidade de manter a linha de combustível pressurizada por isso demora pra pegar.

[Concessionárias] Minha concessionária é o Mercado Livre, lá tem absolutamente tudo e se não achar no OLX tem. E tudo sem ser preço abusivo, valores correspondem ao de um carro popular muitas vezes. Aprendi por conta própria a mexer nela ou pelo menos saber do que se trata pra poder fazer o reparo, isso torna-se um grande prazer!

[Comentários adicionais] Se estiver tudo em ordem, ou seja, sensores novos, TBI bem limpinha (tem que desmontar e lavar com pincel e descarbonizante!) velas Iridium valem muito a pena também, cabos de vela, um aditivo no óleo tipo Tufoil ou Molycote ou até um Militec também acrescenta bastante. A tampa do distribuidor e rotor devem ser novos, filtro de ar novo, cabo de velas novos, sistema de arrefecimento deve ser drenado/ lavado e adicionar água desmineralizada com proporção correta de coolant no radiador. Os bicos de injeção devem estar em pleno funcionamento também! A lubrificação com óleo de motor no cabo do acelerador é algo simples e que deixa a caminhonete com pedal bem macio e liso de acionar, vale a pena! Lembro que quando comprei essa caminhonete foram várias semanas consecutivas de alegria intensa algo que só havia sentido quando eu comprei um Dodge Charger R/T automático 1976 (Marrom Iguaçu a cor com detalhes dourados) em 1995 quando tinha 20 anos de idade. É um carro que dá um prazer imenso ao dono com certeza, mesmo tendo o consumo que tem.

[Best Cars] Excelente iniciativa deste renomado site em possibilitar aos leitores acesso para expor suas experiências com seus amados carros!!!

[Data de publicação] 17/6/16

 

 

[Nome] Felipe Ramos Pereira Bruel
[Cidade] Brasília
[Estado] DF

[Versão] 5.2 R/T CS
[Ano-modelo] 2000
[Combustível] Gasolina
[Quilometragem atual] 120.000 km
[Tempo há que possui] Até 1 ano

[Grau de satisfação com o carro] Muito satisfeito
[Grau de satisfação com a rede de concessionárias] Não utilizo

[Estilo] 5
[Acabamento] 5
[Posição de dirigir] 5
[Instrumentos] 5
[Itens de conveniência] 5
[Espaço interno] 5
[Capacidade de bagagem] 5
[Motor] 5
[Desempenho] 4
[Consumo] 4
[Câmbio] 4
[Freios] 4
[Suspensão] 4
[Estabilidade] 4
[Segurança passiva] 4
[Custo-benefício] 4

[Principais aspectos positivos] Design, porte, história, conforto, robustez, exclusividade.

[Principais aspectos negativos] Consumo alto (mas esperado para um V8 318 de tempos atrás, só que não era e não é pra qualquer bolso, fato), tragédia que envolveu a Mercedez-Benz e a Chrysler Corporation no fim dos anos 90, meses após a abertura da fábrica da Dodge em Campo Largo-PR, o que fez com que uma empresa em grande ascensão (The New Dodge) e modelos novos, superiores e muito bem feitos tivesse um triste declínio (história completa no wikipedia, leia. A fábrica do Brasil fechou em 2001 e gerou diversos prejuízos aos envolvidos. Não fosse a fusão para manter o alto crescimento, tudo poderia ser bem diferente pra Dodge, Jeep, Chrysler, etc… Quem não se recorda da linha 1998? Era tudo de bom, Viper, Neon, Stratus, Cherokee, Ram, Dakota, Caravan… acabamento bom e durável (minha Dakota não pia e tudo está novinho!) e design avançado e belo em relação à concorrência da época.

[Defeitos apresentados] Sim. Comprei o carro absolutamente original da maneira que eu queria (R/T cabine simples sem alteração alguma) e diversas peças ainda são originais de 2000 (os 4 amortecedores Cofap, por exemplo… tem a data estampada na peça!). Algumas peças de suspensão e de motor trocarei pra deixa-la redonda e fina como merece e estou começando a busca para deixar o último V8 fabricado no Brasil do jeito que merece, como quando saiu zero km do Paraná, minha linda e rara “Baby Ram”! Tem um mês que comprei, abaixo do que a galera vem pedindo (30 a 40k), por oportunidade, e agradeço à Deus.

[Concessionárias] Estive na Dodge recentemente pra cotar um serviço de reparo de um amassado causado por uma pessoa sem noção em um supermercado, em um clássico todo original, enfim, gente sem noção e bagunçada tem aos montes. Na concessionária Dodge de Brasília, cobraram 4 vezes mais do que no lugar que eles mesmos mandam fazer o serviço. Peças (MOPAR) e outros ainda não cotei com eles.

[Comentários adicionais] Desde que tenho 15 anos de idade (1999) sou apaixonado pela picape Dodge Dakota, o picape médio (nem pequena nem grande) mais belo já fabricado no mundo, em minha opinião. Até hoje se olha pra ela, que está totalmente original e muito, mas muito conservada, e se nota sua inspiração, seu equilíbrio, suas proporções lindas. Seu rodar é fino e muito mais avançado que o S-10 CS de mesmo ano que eu tinha, robustona, mas bem diferente no rodar, acabamento e design. Não uso pra trabalho, curto o estilo de picape cabine simples, liberdade e individualidade. Já tive diversas. A Dakota R/T, que já é um clássico e teve poucas unidades fabricadas (cerca de 12 mil de 1998 à 2001), sofre com instalação de gás e alterações nas entranhas e estéticas, mas a minha, enquanto minha, já é e vai ficar a mais original possível em TODOS os detalhes, assim como meus demais carros atuais (Chevrolet Camaro SS 2012, Volvo XC60 T6 2010 e VW New Beetle 2010). Sou viciado em carro com o mesmo aspecto de quando sai do forno, chassi limpinho, pneus iguais novinhos com cabelo da marca original, tudo no lugar, enfim… Estou muito feliz com a Dakota V8, seu consumo é de 4 a 7 kms por litro, existem vários ajustezinhos à fazer e comprei consciente disso, mas o carro tem potencial por nunca ter sofrido colisão, repintura e ter tudo original em seu lugar. Infelizmente bancos em couro foram colocados quando nova, muito bem feito (cinza com furinhos) e ainda novinhos, mas de série ela não tinha (li aqui no bcws). Infelizmente não estou achando os pneus Goodyear 31×10,5 R15 que vinha nela, saíram de linha, mas colocarei outro de mesma medida e marca boa. Ela é branca com todos os decalques em seus devidos lugares e as belas rodas originais, sem riscos com as calotinhas. A sport V6 brasileira usa outras rodas. A R/T americana tinha menor altura, rodas maiores, pneus street, retrovisores menores e motor 5.9 de 260 cavalos. A nossa R/T foi uma espécie abrasileirada, mas nem por isso não digna de clássico nacional.

[Best Cars Web Site] BCWS, mais de uma década que faz parte da minha vida. O editor, pra mim, é sumidade no assunto. Abraços!

[Data de publicação] 21/11/14

 

[Nome] Dennis K. Marinho
[Cidade] São Paulo
[Estado] SP

[Versão] R/T CE V8 5.2
[Ano-modelo] 2000
[Combustível] Gasolina
[Quilometragem atual] 150.000 km
[Tempo há que possui] Mais de 5 anos

[Grau de satisfação com o carro] Muito satisfeito
[Grau de satisfação com a rede de concessionárias] Não utilizo

[Estilo] 5
[Acabamento] 5
[Posição de dirigir] 5
[Instrumentos] 5
[Itens de conveniência] 5
[Espaço interno] 5
[Capacidade de bagagem] 5
[Motor] 5
[Desempenho] 5
[Consumo] 3
[Câmbio] 5
[Freios] 5
[Suspensão] 5
[Estabilidade] 5
[Segurança passiva] 5
[Custo-benefício] 5

[Principais aspectos positivos] custo/benefício, você não vai achar um carro desse nível com esse preço de hoje em dia, logo o valor dela vai subir pois já está se tornando um clássico e cada vez mais difícil de achar uma bem cuidada,o carro é maravilhoso, sou suspeito para falar pois já tive 04 Dakotas e também tive vários outros carros inclusive caminhonetes, mas nada até hoje superou a Dakota para mim, tenho carro moderno hoje para rodar no dia a dia,mas mesmo assim não vendo minha R/T, a qualidade deste carro é demais para o padrão Brasileiro de carroças, meu carro tem 13 anos e 180.000 km e não faz um barulho sequer, Qualidade Chrysler americana, que praticamente só montou o carro aqui,eu nem quero que volte a fabricar a Dakota pois agora com a FIAT mandando no grupo dá até medo do que eles poderiam fazer, aí sim ela teria fama de porcaria, pois se for para fabricar, tem que ser igual ao padrão feito aqui, o que acho bem difícil !

[Principais aspectos negativos] Existem pessoas que não conhecem nada do carro e ficam falando besteira…
negativo só a rede de concessionárias que nunca deixaram de ter peças, porém o preço é para você não voltar mais lá, e nem precisa pois você acha peças com facilidade a preços excelentes, e cuidado com mexânicos, eles não sabem nada, tem que ter algumas oficinas de confiança e mecânico gabaritado para encostar a mão nela, não é em qualquer esquina que resolvem algum problema, o mecânico tem que conhecer carros de verdade pois se não ficam trocando peça sem saber do que se trata, mas existem comunidades nas redes sociais que o pessoal resolve e conhece qualquer problema, assim você leva no mecânico já sabendo do que se trata…mas coisas de rotina como amortecedor, freios, correia, velas qualquer um sabe, agora a parte eletrônica e de sensores por ex. tem que pesquisar onde levar pois tá cheio de mané por aí que só sabe consertar Volkswagen.

[Defeitos apresentados] tenho Dakota a 12 anos, nas minhas 04 só troquei algumas coisas…
sempre manutenção de rotina, vales,cabos,freios,amortecedores, etc.
uma deu problema na bonba d’água e só

[Comentários adicionais] o carro é excelente, tem gente na minha rua que tem até medo dela quando eu passo com o V8 roncando hehe câmbio excelente, motor mesma base dos Dodges antigos 318, ou seja, esse motor só existe a quase 40 anos, é robusto demais, esse carro roda fácil mais de 500.000Km o desgaste é muito pequeno, vantagem de ladrão não querer roubar pois como tem poucas não são muito visadas, apenas se o cara pensar que você tem grana por causa do carrão e querer seus pertences, mas roubar o carro em si acho bem mais difícil, e anda demais comparando com outras, viajo direto, a última viagem foi de 1.200km até Joinville e digo que não tem nem graça para as modernas Hilux, L200 e etc. V8 é V8 Mopar on no Car !

[Best Cars Web Site] acho muito legal o Best Cars pois dá para ter uma idéia do carro que a pessoa procura se é realmente legal ou uma bomba, nada melhor que a opnião de quem tem realmente o veículo , do que ficar ouvindo besteira em porta de bar sobre carro que o cara nem nunca andou hehe obrigado

[Data de publicação] 8/3/13

[Nome] Felipe Rosa Haupt
[Cidade] Niteroi
[Estado] RJ

[Versão] 3.9 V6
[Ano-modelo] 2001
[Combustível] Gasolina e GNV
[Quilometragem atual] 200.000 km
[Tempo há que possui] Até 1 ano

[Grau de satisfação com o carro] Muito satisfeito
[Grau de satisfação com a rede de concessionárias] Não utilizo

[Estilo] 5
[Acabamento] 5
[Posição de dirigir] 4
[Instrumentos] 4
[Itens de conveniência] 4
[Espaço interno] 5
[Capacidade de bagagem] 5
[Motor] 5
[Desempenho] 5
[Consumo] 4
[Câmbio] 4
[Freios] 4
[Suspensão] 5
[Estabilidade] 5
[Segurança passiva] 5
[Custo-benefício] 5

[Principais aspectos positivos] Cara, esse carro é tudo de bom!!! acho até bom essa ideia que o carro é furada, pois assim barateia, se eu ´pudesse compraria mais de uma, carro maravilhoso emponente, melhor carro que ja tive. confortavel, estavel, robusto, seguro. todas as qualidade possiveis! eu tinha um picasso 2006 com 60mil troquei nessa dakota com 183 mil km, e estou muito satisfeito. ( um carro que até os 500 mil km é um semi novo.) eu abri o painel para instalar o som, a qualidade foi impressionante, nunca encontraremos algo assim em carros nacionais. Prefiro minha dakota com 190 mil agora do que qualquer carro zero “popular” Carros zero sim sao puro mico, agora um carro de qualidade, potencia e conforto como esse, não se compara.

[Principais aspectos negativos] Não possui, as peças são baratas, mercado paralelo é grande tambem. O consumo é normal para um carro desse porte.

[Defeitos apresentados] Não, depois que peguei ela, fiz uma manutenção preventiva, e esta um brinco. Apenas o GNV que deu uns problemas, que ja resolvi, e agora esta rodando mto bem tambem. Mas GNV não se pode julgar, pois não é algo do carro.

[Comentários adicionais] Sortudos os que possuem uma dakota. Um carro sem igual. tive um corolla 2007, era potente e confortavel, um picasso 2006, era potente, confortavel e espaçoso, mas agora estou apaixonado pela dakota, compro outro carro, mas nao me desfaço dela. Se bem que até 500 mil ainda é um semi novo. Somente aqui no brasil, que acha que carro com 100 mil é carro rodado.
Agora pagar 30 mil num carrinho popular.. hahaha

[Data de publicação] 27/7/12

[Nome] Matias Trevizani
[Cidade] Igrejinha
[Estado] RS

[Versão] Sport CS 3.9 V6 Automatica
[Ano-modelo] 2000
[Combustível] Gasolina e GNV
[Quilometragem atual] 140.000 km
[Tempo há que possui] Até 1 ano

[Grau de satisfação com o carro] Muito satisfeito
[Grau de satisfação com a rede de concessionárias] Não utilizo

[Estilo] 5
[Acabamento] 5
[Posição de dirigir] 4
[Instrumentos] 4
[Itens de conveniência] 5
[Espaço interno] 5
[Capacidade de bagagem] 5
[Motor] 4
[Desempenho] 3
[Consumo] 3
[Câmbio] 3
[Freios] 3
[Suspensão] 5
[Estabilidade] 5
[Segurança passiva] 5
[Custo-benefício] 5

[Principais aspectos positivos] Qualidade de construção, acabamento, resistência, imponência, o ronco do V6 é uma maravilha, prefiro desligar o rádio pra ouvir o motor. Simplesmente a melhor pick-up já fabricada no Brasil: autêntica, confortável, equipada (qual outra picape tinha câmbio automático e motor V8 até em versões cabine simples?). Baixa manutenção, peças não são caras como dizem, mas leve em um mecânico bom, nada de mexânicos! O cambio apesar de ter apenas 4 marchas, gira a apenas 2000rpm a 120km/h. Com essa eu casei!

[Principais aspectos negativos] O conjunto motor/câmbio prezam o conforto e não o desempenho; o câmbio automático “mata” o desempenho do V6 de 176cv, além de aumentar o consumo: na estrada, não faz mais de 8km/l de jeito nenhum. Desgaste excessivo das pastilhas de freio, coisa normal de carro AT. No mais não tenho do que reclamar.

[Defeitos apresentados] Folga no volante (normal), bomba da gasolina.

[Comentários adicionais] Um carro que mesmo com 12 anos de uso continua arrancando elogios por onde passa. Lembranças de um tempo em que fabricavam pick-ups de verdade no Brasil.

[Best Cars Web Site] Consulta obrigatória antes de comprar qualquer veículo!

[Data de publicação] 27/7/12

 

SEM COMENTÁRIOS